Menu

Juros menores e melhores condições de pagamento: os benefícios do novo Cadastro Positivo para mais de 30 milhões de paulistas

Lista de bons pagadores é semelhante a um ranking no qualconsumidores são qualificados por pontos; nova lei começa a valer em julho

Banners
Creative Commons BR

A partir de julho deste ano, os brasileiros bons pagadores serão recompensados pelo acerto das contas em dia. Isso porque foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro neste mês a lei que prevê a inclusão automática de consumidores no Cadastro Positivo. 

Inscritos que estiverem em dia com IPVA, água, luz, cartão de crédito, por exemplo, poderão obter melhores condições de pagamento e obter taxas mais baixas de juros com agentes econômicos. As avaliações de crédito serão feitas com base nos dados que constam do Cadastro Positivo, e não mais na lista de devedores. 

No ano passado, a quantidade de brasileiros que não conseguiu pagar as contas em dia cresceu quase 5% e alcançou mais de 62 milhões de consumidores, de acordo com dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Em São Paulo, a nova lei do Cadastro Positivo pode beneficiar cerca de 31 milhões de consumidores considerados bons pagadores – valor que representa mais de 88% das pessoas economicamente ativas no estado, acima dos 18 anos. Os dados são da Serasa Experian

Na região Sudeste, a quantidade de pessoas beneficiadas com o Cadastro Positivo também é superior aos 88%, com mais de 11,5 milhões de consumidores no Rio de Janeiro e 2,7 milhões no Espírito Santo.

“A inclusão automática é importante para que as pessoas entrem no Cadastro Positivo e, consequentemente, isso barateie o crédito”, ressalta o deputado federal Alex Manente, do Cidadania-SP. Ele considera que a redução nos juros cobrados nos financiamentos contribuirá para o crescimento da economia.

Divulgação - Internet

A lista dos bons pagadores é semelhante a um ranking no qual os consumidores serão qualificados por pontos. A expectativa é de que quem tiver maior número de pontos tenha maiores vantagens na aquisição de crédito no mercado por representar menos risco.

“Tendo uma boa pontuação, ele vai conseguir taxas de juros menores, ou seja, o custo do crédito vai ficar menor e, por conseguinte, ele vai conseguir outras vantagens”, explica o Diretor de Relações Governamentais da Serasa Experian, Julien Dutra.

Ele acredita que, além da redução de juros, as instituições podem oferecer condições melhores de pagamento, como um número maior de parcelas.

Mudanças

O Cadastro Positivo foi criado em 2011 para permitir que instituições financeiras ofertassem facilidades aos bons pagadores. No entanto, a adesão ao cadastro era baixa porque o consumidor precisava aderir à lista, ou seja, precisava autorizar a inclusão do nome no cadastro.

Para aumentar a adesão, o Congresso Nacional inverteu a dinâmica tornando automática a inserção de quem é bom pagador no Cadastro Positivo. Mas, se o consumidor não quiser participar da lista, ele pode pedir para retirar o seu nome do ranking.

Em todo país, o sistema pode beneficiar cerca de 137 milhões de consumidores e ajudar a reduzir a inadimplência em até 45%, em todos os estados.

Com origem no Senado Federal, o texto do novo Cadastro Positivo foi modificado na Câmara dos Deputados e precisou passar por nova análise dos senadores, concluída no mês passado.

A nova lei passa a valer a partir de julho deste ano. Vale lembrar que, mesmo quem está com o nome negativado pode participar, ou seja, suas contas pagas em dia também poderão ser consideradas para fins de avaliação de crédito. 

Cristiano Carlos

Cristiano é jornalista formado pela Universidade Católica de Brasília, com larga experiência em emissoras de rádio, desde 2002. Como repórter trabalha na cobertura do Congresso Nacional, em Brasília, na produção de conteúdos sobre o dia a dia dos bastidores, da atuação dos parlamentares, nas comissões e nos plenários do Senado e Câmara dos Deputados. Acompanhou as campanhas eleitorais nacionais em 2014 e 2018. Também atua nas editorias de educação, saúde e esportes.


Cadastre-se

LOC.:  A nova lei do Cadastro Positivo, sancionada neste mês pelo presidente Jair Bolsonaro, pode beneficiar cerca de 31 milhões de consumidores paulistas considerados bons pagadores. O número representa mais de 88% das pessoas economicamente ativas no estado, segundo dados da Serasa Experian. 

As avaliações de crédito serão feitas com base nos dados que constam no Cadastro Positivo, e não mais na lista de devedores. Inscritos que estiverem em dia com contas de água, IPVA, cartão de crédito, por exemplo, poderão obter melhores condições de pagamento e obter taxas mais baixas de juros com agentes econômicos. 

Para o deputado federal, Alex Manente, do Cidadania de São Paulo, o novo Cadastro Positivo vai separar os bons pagadores dos inadimplentes.

TEC./SONORA: Alex Manente (Cidadania-SP)

“É importante para que as pessoas tenham Cadastro Positivo e, consequentemente, barateie o crédito. Porque, infelizmente, no Brasil, até então, tínhamos poucas pessoas com acesso a quem tinha Cadastro Positivo e, consequentemente, encarecia o crédito para todos. Isso vai facilitar, estimular a economia no país barateando o crédito”.

LOC.: O Cadastro Positivo foi criado em 2011 para permitir que instituições financeiras ofertassem facilidades aos bons pagadores. No entanto, a adesão ao cadastro era baixa porque o consumidor precisava aderir à lista, ou seja, precisava autorizar a inclusão de seu nome no cadastro.

Para aumentar a adesão, o Congresso Nacional inverteu a dinâmica tornando automática a inclusão do nome do bom pagador no Cadastro Positivo. Mas, se o consumidor não quiser participar da lista, ele pode pedir para retirar o seu nome do ranking.

A lista dos bons pagadores é semelhante a um ranking no qual os consumidores serão qualificados por pontos. Quem tiver maior número de pontos terá, possivelmente, maiores vantagens na aquisição de crédito no mercado, como explica o Diretor de Relações Governamentais da Serasa Experian, Julien Dutra.

TEC./SONORA: Diretor de Relações Governamentais da Serasa Experian, Julien Dutra
 

“Tendo uma boa pontuação, ele vai conseguir taxas de juros menores, ou seja, o custo do crédito vai ficar menor e, por conseguinte, ele vai conseguir outras vantagens, além de uma taxa de juros menor, uma condição melhor de pagamento, em parcelas maiores, em parcelas mais curtas, dependendo do interesse do cidadão”.

LOC.: Na região Sudeste, a quantidade de pessoas beneficiadas com o Cadastro Positivo também é superior aos 88%, com mais de 14 milhões de consumidores em Minas Gerais, mais de 11 milhões no Rio de Janeiro e dois milhões e 700 mil no Espírito Santo.  

Com origem no Senado Federal, o texto do novo Cadastro Positivo foi modificado na Câmara dos Deputados e precisou passar por nova análise dos senadores, concluída no mês passado. 

Vale lembrar que, mesmo quem está com o nome negativado pode participar, ou seja, suas contas pagas em dias também poderão ser consideradas para fins de avaliação de crédito. A inclusão automática dos consumidores no Cadastro Positivo começa a valer a partir de julho.

Reportagem, Cristiano Carlos