Menu

Kim Kataguiri critica vídeo obsceno postado por Bolsonaro: "Isso não é postura de conservador"

Jornais estrangeiros também repercutiram a publicação e criticaram o presidente da República

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Agência Brasil

Aliado de Bolsonaro, o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) endossou as críticas ao presidente por conta do vídeo postado nas redes sociais. Segundo o parlamentar, a postagem é "incompatível com a postura de um presidente, ainda mais de direita", e classificou a atitude como uma "bola fora".

Em seu perfil no Twitter, o líder do MBL defendeu que apesar de haver boas razões para criticar o carnaval, “não justifica mostrar uma obscenidade para milhões de famílias por meio de uma rede social sob o pretexto de criticar a festa", e foi enfático: "isso não é postura de conservador”.

 

O jornal americano "The New York Times" fez uma longa matéria sobre o post de Bolsonaro nesta quarta-feira (6). O inglês "The Guardian", afirmou que Bolsonaro foi "ridicularizado após tuitar vídeo pornográfico explícito de carnaval". O espanhol "El País" trouxe um texto de opinião sobre o assunto e defendeu que "ao tomar decisões baseado nos gritos das redes sociais, Jair Bolsonaro corrompe a democracia".

Na terça-feira (5), Bolsonaro compartilhou em sua conta oficial do Twitter um vídeo de uma cena do carnaval em que um homem aparece com as nádegas de fora, dançando após introduzir o dedo no próprio ânus. Em seguida, um outro rapaz parece urina na cabeça dele.

Para tentar justifica a publicação, Bolsonaro escreveu que não se sentia confortável em mostrar, mas que precisa expor a verdade para a população brasileira. Segundo ele, as imagens obscenas demonstravam que é "isso que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro”.

 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

Aliado de Bolsonaro, o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) endossou as críticas ao presidente por conta do vídeo postado nas redes sociais. Segundo o parlamentar, a postagem é "incompatível com a postura de um presidente, ainda mais de direita", e classificou a atitude como uma "bola fora".

Em seu perfil no Twitter, o líder do MBL defendeu que apesar de haver boas razões para criticar o carnaval, “não justifica mostrar uma obscenidade para milhões de famílias por meio de uma rede social sob o pretexto de criticar a festa", e foi enfático: "isso não é postura de conservador, nada justifica o Presidente compartilhar pornografia ”.

O jornal americano "The New York Times" fez uma longa matéria sobre o post de Bolsonaro nesta quarta-feira (6). O inglês "The Guardian", afirmou que Bolsonaro foi "ridicularizado após tuitar vídeo pornográfico explícito de carnaval". O espanhol "El País" trouxe um texto de opinião sobre o assunto e defendeu que "ao tomar decisões baseado nos gritos das redes sociais, Jair Bolsonaro corrompe a democracia".

Na terça-feira (5), Bolsonaro compartilhou em sua conta oficial do Twitter um vídeo de uma cena do carnaval em que um homem aparece com as nádegas de fora, dançando após introduzir o dedo no próprio ânus. Em seguida, um outro rapaz parece urina na cabeça dele.

Para tentar justifica a publicação, Bolsonaro escreveu que não se sentia confortável em mostrar, mas que precisa expor a verdade para a população brasileira. Segundo ele, as imagens obscenas demonstravam que é "isso que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro”.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes