Menu

Liderada por Messi, Argentina quer superar desconfiança em busca do tri

A seleção albiceleste se classificou para o Mundial apenas na última rodada das Eliminatórias da América do Sul

Banners

Messi e mais dez. Certamente essa será a escalação da Argentina nas partidas da Copa do Mundo da Rússia em 2018. Liderada pelo camisa dez do Barcelona, os argentinos chegam ao Mundial para tentar acabar com o jejum de 25 anos sem títulos. Será que dessa vez vai? A Argentina inicia sua jornada na Copa no grupo D, ao lado de Croácia, Islândia e Nigéria.

MAIS: Acesse a versão desta matéria para blogs e sites

A seleção argentina chega para o Mundial cercada de desconfiança. A campanha irregular nas Eliminatórias, somada ao desempenho pouco convincente do time nos últimos meses, deixa os hermanos com a pulga atrás da orelha.

Messi tem como objetivo dar o terceiro título mundial para a Argentina

Com um time cheio de estrelas, os argentinos garantiram sua participação na Copa apenas na última rodada das Eliminatórias, após vencerem o Equador, em Quito, por 3 a 1. O herói da classificação foi Lionel Messi, que marcou os três gols da Argentina na partida.

Para se ter uma ideia do drama vivido pelos nossos vizinhos, os argentinos estavam na sexta colocação ao final da penúltima rodada do torneio, posição que deixava o país fora do Mundial.

Nas Eliminatórias, foram sete vitórias, sete empates e quatro derrotas, com 19 gols marcados e 16 sofridos. No final das contas, a Argentina ficou com a terceira colocação e evitou o vexame de não ir à Copa.

Após ser vice-campeã na Copa de 2014, no Brasil, os albicelestes tentam o tricampeonato mundial na Rússia. Os argentinos foram campões do mundo em 1978, em casa, e em 1986, liderados por Maradona, no México. Mas o grande jejum sem títulos tira o sono dos argentinos. São 25 anos sem conquistar nada. A última conquista dos hermanos foi a Copa América de 1993, disputada no Equador. Faz tempo...

Liderados por Messi, a Argentina chega à Copa da Rússia com um time recheado de craques, mas com um futebol que nem de longe enche os olhos dos torcedores. "La Pulga" terá ao seu lado craques como Dí Maria, Sergio Agüero, Gonzalo Higuaín e Paulo Dybala. O ataque é de colocar medo em qualquer adversário, mas a defesa deixa a desejar.

Sem dúvidas, Lionel Messi fará de tudo para que a Argentina saia da Rússia como campeã mundial. Depois de ser vice pela quarta vez, o argentino chegou a anunciar que não iria jogar mais pelo seu país após a Copa América de 2016. No entanto, Messi repensou a decisão e voltou a defender as cores do país. Ele fará de tudo para quebrar o tabu e conseguir levar o título na Rússia, neste ano. Nós brasileiros, é claro, esperamos que não.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes

Agência do Rádio



Conteúdos relacionados

Cadastre-se