Menu

LIMOEIRO (PE): Agentes de endemias devem visitar mais de 90% dos imóveis no combate ao Aedes

O bairro João Ernesto é o que apresenta mais risco para a proliferação do mosquito.

Banners
Foto: Divulgação

Limoeiro (PE) está entre os municípios de Pernambuco que apresentaram índice alto para a infestação do Aedes aegypti, no ano passado, segundo a Secretaria de Saúde do Estado. Como possível consequência, a cidade teve 242 notificações para a dengue e seis casos confirmados. Neste ano, ainda não há registros.

E para evitar um possível surto de dengue, a Secretaria de Saúde do Município vem trabalhando em ações de limpeza na cidade, atividades educativas nas escolas e casas, e de recolhimento mensal de pneus sem utilização.

Só em 2019, os agentes de endemias recolheram 1,4 mil pneus em borracharias e rodovias e visitaram 31,5 mil imóveis, número que correspondem a mais de 90% de cobertura. O objetivo é repetir, no mínimo, essa cobertura em 2020, segundo o Gerente de Endemias da Secretaria de Saúde de Limoeiro, Márcio Severino

O gestor avalia que, durante as visitas realizadas nos imóveis, os agentes observam que a maioria das casas tem, em média, três depósitos de água. Este fator, segundo Severino, facilita o armazenamento irregular. Por isso, ele pede atenção redobrada:

“Nós fazemos o nosso dever de casa mensalmente, mas o principal ator nessa ação é o morador. Ele vive nas casas todos os dias. A população precisa assumir seu papel no que se refere o manejo ambiental, o controle do quintal e o manejo domiciliar.”

Créditos: Ítalo Novaes

O bairro João Ernesto é o que apresenta mais risco para a proliferação do mosquito, justamente por ser um local populoso, com mais de 2,6 mil habitantes. 

Outra localidade que requer atenção no combate ao mosquito é o Centro, onde a Ana Patrícia Teixeira, de 44 anos, mora. A massoterapeuta sofreu com a dengue e relata um cotidiano de dores nas articulações. Ela, inclusive, precisou se afastar do trabalho por dias.

Recuperada, ela aumentou os cuidados dentro de casa e pede aos vizinhos que façam o mesmo. 

“Vejo falta de compromisso, em cuidar dos reservatórios, das casas. Então, sempre que eu vou na casa dos vizinhos, vejo muito reservatório aberto.”

Caso você deseje receber a visitar e instruções de agentes de endemias em sua residência, o setor de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde está disponível pelo número (81) 99766-4332. Repetindo: (81) 99766-4332. Atualmente, Limoeiro conta com 26 agentes no combate à dengue. 

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes. 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC:  Limoeiro (PE) está entre os municípios de Pernambuco que apresentaram índice alto para a infestação do Aedes aegypti, no ano passado, segundo a Secretaria de Saúde do Estado. Como possível consequência, a cidade teve 242 notificações para a dengue e seis casos confirmados. Neste ano, ainda não há registros.

E para evitar um possível surto de dengue, a Secretaria de Saúde do Município vem trabalhando em ações de limpeza na cidade, atividades educativas nas escolas e casas, e de recolhimento mensal de pneus sem utilização. Só em 2019, os agentes de endemias recolheram 1,4 mil pneus em borracharias e rodovias e visitaram 31,5 mil imóveis, número que correspondem a mais de 90% de cobertura. O objetivo é repetir, no mínimo, essa cobertura em 2020, segundo o Gerente de Endemias da Secretaria de Saúde de Limoeiro, Márcio Severino

O gestor avalia que, durante as visitas realizadas nos imóveis, os agentes observam que a maioria das casas tem, em média, três depósitos de água. Este fator, segundo Severino, facilita o armazenamento irregular. Por isso, ele pede atenção redobrada:

TEC./SONORA: Gerente de Endemias da Secretaria de Saúde de Limoeiro, Márcio Severino

“Nós fazemos o nosso dever de casa mensalmente, mas o principal ator nessa ação é o morador. Ele vive nas casas todos os dias. A população precisa assumir seu papel no que se refere o manejo ambiental, o controle do quintal e o manejo domiciliar.”

LOC.:  O bairro João Ernesto é o que apresenta mais risco para a proliferação do mosquito, justamente por ser um local populoso, com mais de 2,6 mil habitantes. 

Outra localidade que requer atenção no combate ao mosquito é o Centro, onde a Ana Patrícia Teixeira, de 44 anos, mora. A massoterapeuta sofreu com a dengue e relata um cotidiano de dores nas articulações. Ela, inclusive, precisou se afastar do trabalho por dias. 

Recuperada, ela aumentou os cuidados dentro de casa e pede aos vizinhos que façam o mesmo. 

TEC./SONORA: Ana Patrícia Teixeira, 44 anos, massoterapeuta

“Vejo falta de compromisso, em cuidar dos reservatórios, das casas. Então, sempre que eu vou na casa dos vizinhos, vejo muito reservatório aberto.”

LOC.: Caso você deseje receber a visitar e instruções de agentes de endemias em sua residência, o setor de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde está disponível pelo número (81) 99766-4332. Repetindo: (81) 99766-4332. Atualmente, Limoeiro conta com 26 agentes no combate à dengue. 

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.