Menu

Mais de 1,7 mil bebês já foram beneficiados com doação de leite humano no Rio de Janeiro, em 2019

A doação ajuda  a salvar vidas de recém-nascidos prematuros e de baixo peso cujas mães não podem amamentar

Banners
Créditos: Ministério da Saúde

Foi com a leitura sobre a importância da doação de leite materno que a atriz Juliana Lucci, 35 anos, decidiu fazer parte das estatísticas de doadoras do Rio de Janeiro. A primeira doação foi logo após o nascimento da pequena Júlia, hoje com dois anos de idade. A atriz conta que, ao perceber que tinha excesso da produção de leite, começou a pesquisar sobre como doar.

SERVIÇO: Rio de Janeiro possui 18 bancos de leite humano

“Comecei a pesquisar isso (doação de leite materno). Poxa, eu tenho leite, eu consigo produzir mais, porque se eu estimular mais fazendo a ordenha mais vezes ao dia, eu consigo estimular e produzir mais. Por que não posso fazer isso e ajudar a quem precisa? A minha filha tinha acabado de nascer, e além de tudo, eu percebi que eu tinha a facilidade de ter bastante leite também. Resolvi que era o momento certo.”

E neste ano, com a segunda gravidez, Juliana voltou a doar. Ela e mais duas mil mulheres abasteceram os bancos e postos de coleta do estado com dois mil litros de leite, o que beneficiou, apenas nos quatro primeiros meses, quase mil e oitocentos bebês fluminense. 

Se estendidos para o cenário nacional, os dados da Fiocruz apontam que são mais de 68 mil litros arrecadados e quase 64 mil bebês beneficiados com leite materno doado. 

A doação ajuda  a salvar vidas de recém-nascidos prematuros e de baixo peso cujas mães não podem amamentar. O leite materno é o único alimento que reúne os nutrientes essenciais para o desenvolvimento dos bebês, como explica a nutricionista Ana Paula Moreira.

“O leite materno é o alimento padrão ouro. É onde vai ter todas as propriedades que o recém-nascido precisa do nascimento até o sexto mês. Nenhuma fórmula consegue ter os mesmos nutrientes do leite materno, por mais que os fabricantes digam que é parecido, que é similar”. 

Na cidade do Rio de Janeiro, a unidade referência é o Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira, localizado na Avenida Rui Barbosa, número 716, no Flamengo. O telefone de contato é o (21) 2554-1703. Repetindo: (21) 2554-1703. Ao todo, são 18 Bancos de Leite e 9 Postos de Coleta em todo o estado. 

Para ser doadora, a mulher precisa ser saudável e apresentar bons resultados nos exames de pré-natal. Se estiver tudo certo, os funcionários de qualquer Banco de Leite Humano fazem o cadastro da mãe e entregam todo o material necessário para a coleta. 

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite. 

 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: Foi com a leitura sobre a importância da doação de leite materno que a atriz Juliana Lucci, 35 anos, decidiu fazer parte das estatísticas de doadoras do Rio de Janeiro. A primeira doação foi logo após o nascimento da pequena Júlia, hoje com dois anos de idade. A atriz conta que, ao perceber que tinha excesso da produção de leite, começou a pesquisar sobre como doar.

TEC/SONORA: Juliana Lucci, atriz.

“Comecei a pesquisar isso (doação de leite materno). Poxa, eu tenho leite, eu consigo produzir mais, porque se eu estimular mais fazendo a ordenha mais vezes ao dia, eu consigo estimular e produzir mais. Por que não posso fazer isso e ajudar a quem precisa? A minha filha tinha acabado de nascer, e além de tudo, eu percebi que eu tinha a facilidade de ter bastante leite também. Resolvi que era o momento certo.”
 

LOC.: E neste ano, com a segunda gravidez, Juliana voltou a doar. Ela e mais duas mil mulheres abasteceram os bancos e postos de coleta do estado com dois mil litros de leite, o que beneficiou, apenas nos quatro primeiros meses, quase mil e oitocentos bebês fluminense. 

Se estendidos para o cenário nacional, os dados da Fiocruz apontam que são mais de 68 mil litros arrecadados e quase 64 mil bebês beneficiados com leite materno doado. 

A doação ajuda  a salvar vidas de recém-nascidos prematuros e de baixo peso cujas mães não podem amamentar. O leite materno é o único alimento que reúne os nutrientes essenciais para o desenvolvimento dos bebês, como explica a nutricionista Ana Paula Moreira.

TEC/SONORA: Ana Paula Moreira, nutricionista.

“O leite materno é o alimento padrão ouro. É onde vai ter todas as propriedades que o recém-nascido precisa do nascimento até o sexto mês. Nenhuma fórmula consegue ter os mesmos nutrientes do leite materno, por mais que os fabricantes digam que é parecido, que é similar”. 
 

LOC.: Na cidade do Rio de Janeiro, a unidade referência é o Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira, localizado na Avenida Rui Barbosa, número 716, no Flamengo. O telefone de contato é o (21) 2554-1703. Repetindo: (21) 2554-1703. Ao todo, são 18 Bancos de Leite e 9 Postos de Coleta em todo o estado. 

Para ser doadora, a mulher precisa ser saudável e apresentar bons resultados nos exames de pré-natal. Se estiver tudo certo, os funcionários de qualquer Banco de Leite Humano fazem o cadastro da mãe e entregam todo o material necessário para a coleta. 

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/.