Menu

MAIS MÉDICOS: Ministério da Saúde vai renovar contratos em áreas de vulnerabilidade

Saúde vai renovar contrato de médicos que estão trabalhando em locais com maiores riscos de doenças e, também, nos DSEIs

Banners

O Ministério da Saúde vai renovar o contrato de médicos que estão trabalhando em locais com maiores riscos de doenças e, também, nos Distrito Sanitários Especiais Indígenas. Esses profissionais, que fazem parte do 9º e 10º ciclos do Programa Mais Médicos encerrariam as atividades no final deste mês. Ao todo, são 352 médicos brasileiros com CRM, estrangeiros e brasileiros  formados no exterior que trabalhavam em 264 áreas onde a população está em extrema pobreza . Segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, essa é uma estratégia para reforçar o atendimento nesses locais.

 

“A gente usa aqueles critérios para os quais o programa foi idealizado. Então essas vagas que abrem agora, naquela escala de classificação de 1 ao 8, a gente abre do 4 ao 8, que são as cidades de maior apelo e gradativamente vai trazendo a política para o seu eixo natural”.

No Diário Oficial da União desta quarta-feira (27/2), foi publicado o edital que abre a possibilidade de renovação de 352 vagas entre os médicos que fazem parte desses ciclos. Ficaram de fora dessa possibilidade de renovação do contrato, vagas em 181 municípios que estão localizados principalmente em capitais e regiões metropolitanas. O restante dos médicos não está apto a essa renovação, mas poderão participar das próximas etapas do programa, que está em fase de reformulação.


Comente...

Cadastre-se

O Ministério da Saúde vai renovar o contrato de médicos que estão trabalhando em locais com maiores riscos de doenças e, também, nos Distrito Sanitários Especiais Indígenas. Esses profissionais, que fazem parte do 9º e 10º ciclos do Programa Mais Médicos encerrariam as atividades no final deste mês. Ao todo, são 352 médicos brasileiros com CRM, estrangeiros e brasileiros  formados no exterior que trabalhavam em 264 áreas onde a população está em extrema pobreza . Segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, essa é uma estratégia para reforçar o atendimento nesses locais.


“A gente usa aqueles critérios para os quais o programa foi idealizado. Então essas vagas que abrem agora, naquela escala de classificação de 1 ao 8, a gente abre do 4 ao 8, que são as cidades de maior apelo e gradativamente vai trazendo a política para o seu eixo natural”.

No Diário Oficial da União desta quarta-feira (27/2), foi publicado o edital que abre a possibilidade de renovação de 352 vagas entre os médicos que fazem parte desses ciclos. Ficaram de fora dessa possibilidade de renovação do contrato, vagas em 181 municípios que estão localizados principalmente em capitais e regiões metropolitanas. O restante dos médicos não está apto a essa renovação, mas poderão participar das próximas etapas do programa, que está em fase de reformulação.