Menu

Mangueira é campeã do Carnaval carioca pela 20ª vez

A escola ressaltou a memória de personagens negros e índios supostamente esquecidos pelos livros de história

Banners
Tomaz Silva/Agência Brasil

A Estação Primeira de Mangueira é a grande campeã do Carnaval do Rio de Janeiro em 2019. Está é a 20° vez que a verde rosa levanta o troféu de melhor escola de samba do grupo especial, se mantendo como a segunda maior vencedora entre todas as agremiações, atrás apenas da Portela, que têm 22 títulos.

Na avenida, a verde e rosa contagiou e emocionou o público com um enredo que recontou a história do Brasil. A escola ressaltou a memória de personagens negros e índios supostamente esquecidos pelos livros de história. Entre essas, estava a vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada em março do ano passado, cuja as investigações seguem sem solução.

A Mangueira fez um desfile quase perfeito, com boa desenvoltura dos integrantes, cores chamativas e carros alegóricos luxuosos. Na apuração, recebeu apenas três notas abaixo dos 10 pontos, nos ‘Alegorias e Adereços’, ‘Enredo’ e ‘Fantasias’. Todas elas, porém, foram descartadas. A escola, portanto, terminou a apuração com pontuação máxima, na soma de todos os quesitos.

João Paulo Machado

João Paulo é graduado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) e iniciou sua carreira estagiando na área de reportagem da Rádio Nacional (EBC). Na Agência do Rádio atuou na cobertura de eventos importantes como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. No mesmo período, desenvolveu trabalho em parceria com o Ministério do Esporte redigindo reportagens para o portal Brasil2016.gov.br, além de colaborações para redes sociais.Atualmente, cobre os acontecimentos da Praça dos Três Poderes para a Agência do Rádio.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

A Estação Primeira de Mangueira é a grande campeã do Carnaval do Rio de Janeiro em 2019. Está é a 20° vez que a verde rosa levanta o troféu de melhor escola de samba do grupo especial, se mantendo como a segunda maior vencedora entre todas as agremiações, atrás apenas da Portela, que têm 22 títulos.

Na avenida, a verde e rosa contagiou e emocionou o público com um enredo que recontou a história do Brasil. A escola ressaltou a memória de personagens negros e índios supostamente esquecidos pelos livros de história. Entre essas, estava a vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada em março do ano passado, cuja as investigações seguem sem solução.

A Mangueira fez um desfile quase perfeito, com boa desenvoltura dos integrantes, cores chamativas e carros alegóricos luxuosos. Na apuração, recebeu apenas três notas abaixo dos 10 pontos, nos quesitos ‘Alegorias e Adereços’, ‘Enredo’ e ‘Fantasias’. Todas elas, porém, foram descartadas. A escola, portanto, terminou a apuração com pontuação máxima na soma de todos os quesitos.

Reportagem, João Paulo Machado