Menu

MATO GROSSO: Aleitamento materno é a forma mais econômica e eficaz de proteger recém-nascidos

O aleitamento materno, segundo o Ministério da Saúde, é a única estratégia que, sozinha, pode reduzir em até 13% as mortes de crianças de até cinco anos por causas evitáveis.

Banners
Foto: Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde recomenda o aleitamento materno até os dois anos ou mais, nos primeiros seis meses de vida é o único alimento necessário para o bebê. A mato-grossense Maria Amélia Borges, técnica em patologia clínica, tem 37 anos. Ela vê a necessidade de continuar dando esse alimento ao seu bebê George, que já está com um ano e oito meses, por acreditar que é essencial para o crescimento dele. 

“É uma experiência maravilhosa esse sentimento de você saber que você produz o alimento que sacia a fome do seu filho, que ajuda no crescimento, previne doenças, fortalece a imunidade e cria esse vínculo eterno.”

O aleitamento materno, segundo o Ministério da Saúde, é a única estratégia que, sozinha, pode reduzir em até 13% as mortes de crianças de até cinco anos por causas evitáveis. A enfermeira do Banco de Leite Humano do Hospital Júlio Muller, Lidiana Borralho de Arruda, explica quais são os benefícios do alimento.  

“O leite materno é o melhor e mais completo alimento para o bebê. Ele oferece a imunidade que a mãe adquiriu ao longo dos anos de vida e transmite para esse bebê. O leite materno é a primeira forma do bebê receber anticorpos. ”

Arte: Sabrine Cruz/Agência do Rádio

A amamentação, além de ajudar a desenvolver a fala, dentição e até a inteligência da criança, ajuda no vínculo entre mãe e bebê. Para isso, é importante uma rede de apoio para fortalecer o aleitamento materno. Nesse grupo, entram pais, irmãos, avós e toda a sociedade, como explica Rodrigo Carvalho, técnico responsável pela equipe de Promoção do Aleitamento Materno da Secretaria de Saúde do Mato Grosso. 

“Todas as nossas ações são voltadas para o empoderamento das mães, pais e rede de apoio. Fortalecer as famílias para que a gente tenha esse entendimento de cuidadores da saúde humana. É nesse sentido que a gente tem buscado dialogar com nossos escritórios regionais, e esse diálogo se estenda aos municípios, para que a gente consiga resultados fortalecedores, apoiando uns aos outros.”

De primeiro a sete de agosto é celebrada a Semana Mundial da Amamentação. No Mato Grosso, a programação principal será a exposição “Arte de Amamentar”, que está aberta ao público. Entre os artistas participantes estão Anna Pretta, Irani Gomes e Lourdes de Paula.  A exposição vai até o dia 30 de agosto, de segunda a sexta das oito da manhã às seis da tarde, na Biblioteca Pública Estadual Estêvão de Mendonça, no Palácio da Instrução, em Cuiabá.

A amamentação é a forma de proteção mais econômica e eficaz para redução da mortalidade infantil. Por isso, incentive todas as mulheres que você conhece para amamentarem seus filhos. Amamentação. Incentive a família, alimente a vida. 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: O Ministério da Saúde recomenda o aleitamento materno até os dois anos ou mais, nos primeiros seis meses de vida é o único alimento necessário para o bebê. A mato-grossense Maria Amélia Borges, técnica em patologia clínica, tem 37 anos. Ela vê a necessidade de continuar dando esse alimento ao seu bebê George, que já está com um ano e oito meses, por acreditar que é essencial para o crescimento dele. 

TEC./SONORA: Maria Amélia Borges, 37 anos, técnica em patologia clínica

“É uma experiência maravilhosa esse sentimento de você saber que você produz o alimento que sacia a fome do seu filho, que ajuda no crescimento, previne doenças, fortalece a imunidade e cria esse vínculo eterno.”
 

LOC.: O aleitamento materno, segundo o Ministério da Saúde, é a única estratégia que, sozinha, pode reduzir em até 13% as mortes de crianças de até cinco anos por causas evitáveis. A enfermeira do Banco de Leite Humano do Hospital Júlio Muller, Lidiana Borralho de Arruda, explica quais são os benefícios do alimento.  

TEC./SONORA: Lidiana Borralho de Arruda, enfermeira do Banco de Leite Humano do Hospital Júlio Muller.

“O leite materno é o melhor e mais completo alimento para o bebê. Ele oferece a imunidade que a mãe adquiriu ao longo dos anos de vida e transmite para esse bebê. O leite materno é a primeira forma do bebê receber anticorpos. ”
 

LOC.: A amamentação, além de ajudar a desenvolver a fala, dentição e até a inteligência da criança, ajuda no vínculo entre mãe e bebê. Para isso, é importante uma rede de apoio para fortalecer o aleitamento materno. Nesse grupo, entram pais, irmãos, avós e toda a sociedade, como explica Rodrigo Carvalho, técnico responsável pela equipe de Promoção do Aleitamento Materno da Secretaria de Saúde do Mato Grosso. 

TEC./SONORA: Rodrigo Carvalho, técnico responsável pela equipe de promoção de aleitamento materno da SES

“Todas as nossas ações são voltadas para o empoderamento das mães, pais e rede de apoio. Fortalecer as famílias para que a gente tenha esse entendimento de cuidadores da saúde humana. É nesse sentido que a gente tem buscado dialogar com nossos escritórios regionais, e esse diálogo se estenda aos municípios, para que a gente consiga resultados fortalecedores, apoiando uns aos outros.”
 

LOC.: De primeiro a sete de agosto é celebrada a Semana Mundial da Amamentação. No Mato Grosso, a programação principal será a exposição “Arte de Amamentar”, que está aberta ao público. Entre os artistas participantes estão Anna Pretta, Irani Gomes e Lourdes de Paula.  A exposição vai até o dia 30 de agosto, de segunda a sexta das oito da manhã às seis da tarde, na Biblioteca Pública Estadual Estêvão de Mendonça, no Palácio da Instrução, em Cuiabá.

A amamentação é a forma de proteção mais econômica e eficaz para redução da mortalidade infantil. Por isso, incentive todas as mulheres que você conhece para amamentarem seus filhos. Amamentação. Incentive a família, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/.