Menu

MEC libera R$ 60 milhões para levar internet a 8 mil escolas rurais

Além disso, o programa Inovação Educação Conectada prevê a compra e distribuição de computadores, notebooks e outros equipamentos

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Ministério da Educação

Alunos de oito mil escolas rurais do país vão ter acesso à internet de banda larga em sala de aula, pelo programa Inovação Educação Conectada, do governo federal. O Ministério da Educação (MEC) anunciou o repasse de R$ 60 milhões para essa novidade, que deve beneficiar cerca de três milhões de estudantes até o fim deste ano. O dinheiro vai ser repassado para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que será o responsável por fazer as conexões de internet nas escolas.

No anúncio ocorrido em Brasília, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, entregou um cheque simbólico para o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o astronauta Marcos Pontes. Weintraub comentou os benefícios da ação.

“Você tendo a capacidade intelectual de ler e escrever e tendo acesso somente a uma biblioteca é uma distância muito grande se você puder ter acesso a todo conhecimento humano que foi produzido até esse momento. É isso o que a internet representa”, disse.

Estes R$ 60 milhões representam a segunda parcela do programa Inovação Educação Conectada, que leva internet para escolas públicas rurais. A primeira foi liberada em 2017, com o mesmo valor. No total, serão seis parcelas, uma por ano, até 2023, somando R$ 360 milhões.

De acordo com o ministro Marcos Pontes, ciência e tecnologia, junto com a educação, são ferramentas "poderosas" do desenvolvimento socioeconômico do país. Segundo ele, são mais de 2 milhões de alunos já conectados no Brasil, em locais de difícil acesso, como as escolas rurais.

“Tecnologia está em todos os lugares, está na Saúde, está na Agricultura, está na Indústria”, comentou.

Para serem contempladas nessa fase, as escolas precisam ter mais de 149 estudantes. Além do número de alunos, existem outros critérios para receberem a conexão: não podem ter atualmente acesso à internet, mas devem contar com computadores para os alunos. No caso, caberá aos gestores de estados e municípios selecionar quais escolas receberão os equipamentos e aderir à ata para a aquisição.

Vale destacar que o programa Inovação Educação Conectada não se restringe à conectividade. Para garantir a inclusão total, com internet e equipamentos tecnológicos, o MEC lançou um edital para compra de projetores, notebooks, laptops e carrinhos de recarga de bateria para dar mobilidade aos produtos eletrônicos. A expectativa é de que o processo licitatório seja concluído até setembro.

De acordo com o Censo de 2018, o Brasil possui 56.954 escolas rurais. Em 2019, o programa vai atender 14% delas.
 

Cintia Moreira

Com 3 anos de formação, Cintia sempre optou pelo radiojornalismo. Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

Alunos de oito mil escolas rurais do país vão ter acesso à internet de banda larga em sala de aula, pelo programa Inovação Educação Conectada, do governo federal. O Ministério da Educação (MEC) anunciou o repasse de R$ 60 milhões para essa novidade, que deve beneficiar cerca de três milhões de estudantes até o fim deste ano. O dinheiro vai ser repassado para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que será o responsável por fazer as conexões de internet nas escolas.

No anúncio ocorrido em Brasília, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, entregou um cheque simbólico para o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o astronauta Marcos Pontes. Weintraub comentou os benefícios da ação.
 

“Você tendo a capacidade intelectual de ler e escrever e tendo acesso somente a uma biblioteca é uma distância muito grande se você puder ter acesso a todo conhecimento humano que foi produzido até esse momento. É isso o que a internet representa.”

Estes R$ 60 milhões representam a segunda parcela do programa Inovação Educação Conectada, que leva internet para escolas públicas rurais. A primeira foi liberada em 2017, com o mesmo valor. No total, serão seis parcelas, uma por ano, até 2023, somando R$ 360 milhões.

De acordo com o ministro Marcos Pontes, ciência e tecnologia, junto com a educação, são ferramentas "poderosas" do desenvolvimento socioeconômico do país. Segundo ele, são mais de 2 milhões de alunos já conectados no Brasil, em locais de difícil acesso, como as escolas rurais.
 

“Tecnologia está em todos os lugares, está na Saúde, está na Agricultura, está na Indústria.”

Para serem contempladas nessa fase, as escolas precisam ter mais de 149 estudantes. Além do número de alunos, existem outros critérios para receberem a conexão: não podem ter atualmente acesso à internet, mas devem contar com computadores para os alunos. No caso, caberá aos gestores de estados e municípios selecionar quais escolas receberão os equipamentos e aderir à ata para a aquisição.

Vale destacar que o programa Inovação Educação Conectada não se restringe à conectividade. Para garantir a inclusão total, com internet e equipamentos tecnológicos, o MEC lançou um edital para compra de projetores, notebooks, laptops e carrinhos de recarga de bateria para dar mobilidade aos produtos eletrônicos. A expectativa é de que o processo licitatório seja concluído até setembro.

De acordo com o Censo de 2018, o Brasil possui 56.954 escolas rurais. Em 2019, o programa vai atender 14% delas.

Reportagem, Cintia Moreira