Menu

Método com peixes reduz em 80% larvas do mosquito da dengue em Taquaritinga do Norte

O peixe ornamental conhecido como “barrigudinho” tem sido aliado no combate à proliferação do mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya.

Banners
Foto: Divulgação

O peixe ornamental conhecido como “barrigudinho” tem sido aliado no combate à proliferação do mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya em Taquaritinga do Norte, Pernambuco. 

Segundo o coordenador de Vigilância em Saúde da cidade, Gustavo Alves, o animal se alimenta das larvas do Aedes quando colocado em caixas d’água e cisternas.

“É 100% seguro. Inclusive, esses peixinhos comem também lodo das caixas d’água. Notamos que a diminuição [das larvas] chega a 80% com o peixe na cisterna do morador.”

Mais de cinco mil peixes “barrigudinhos” foram distribuídos em Taquaritinga do Norte desde que o projeto foi implantado, em 2016, segundo as autoridades locais de saúde. Sob orientação dos agentes de endemias, cada morador recebe, em média, cinco animais. 

O agricultor Arthur Ruan, de 26 anos, mora no Zamba e aderiu ao uso de peixes para combater os focos do mosquito. Como teve dengue no ano passado, ele notou que o método trouxe resultados.

“Eu achei bem eficiente os peixes. É melhor do que aplicar remédio, porque eu vi que não matou. Os peixes realmente comem as larvas.”

No mês de janeiro deste ano, Taquaritinga do Norte registrou duas notificações de dengue. No ano passado, houve 56 notificações da doença, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Créditos: Ítalo Novaes

Além de Taquaritinga do Norte, os outros munícipios devem redobrar a atenção, já que Pernambuco está entre as áreas de risco que pode enfrentar surto de dengue este ano, segundo o Ministério da Saúde. Até 25 de janeiro, foram confirmados 53 casos de dengue e seis de chikungunya e nenhum de zika, segundo as autoridades estaduais de saúde. 

Por isso, o trabalho de todos é importante na luta contra o Aedes. E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes. 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC: O peixe ornamental conhecido como “barrigudinho” tem sido aliado no combate à proliferação do mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya em Taquaritinga do Norte, Pernambuco. 

Segundo o coordenador de Vigilância em Saúde da cidade, Gustavo Alves, o animal se alimenta das larvas do Aedes quando colocado em caixas d’água e cisternas.

TEC./SONORA: coordenador de Vigilância e Saúde de Taquaritinga do Norte, Gustavo Alves

“É 100% seguro. Inclusive, esses peixinhos comem também lodo das caixas d’água. Notamos que a diminuição [das larvas] chega a 80% com o peixe na cisterna do morador.”

LOC.: Mais de cinco mil peixes “barrigudinhos” foram distribuídos em Taquaritinga do Norte desde que o projeto foi implantado, em 2016, segundo as autoridades locais de saúde. Sob orientação dos agentes de endemias, cada morador recebe, em média, cinco animais. 

O agricultor Arthur Ruan, de 26 anos, mora no Zamba e aderiu ao uso de peixes para combater os focos do mosquito. Como teve dengue no ano passado, ele notou que o método trouxe resultados.

TEC./SONORA: Arthur Ruan, agricultor

“Eu achei bem eficiente os peixes. É melhor do que aplicar remédio, porque eu vi que não matou. Os peixes realmente comem as larvas.”

LOC.:. No mês de janeiro deste ano, Taquaritinga do Norte registrou duas notificações de dengue. No ano passado, houve 56 notificações da doença, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Além de Taquaritinga do Norte, os outros munícipios devem redobrar a atenção, já que Pernambuco está entre as áreas de risco que pode enfrentar surto de dengue este ano, segundo o Ministério da Saúde. Até 25 de janeiro, foram confirmados 53 casos de dengue e seis de chikungunya e nenhum de zika, segundo as autoridades estaduais de saúde. 

Por isso, o trabalho de todos é importante na luta contra o Aedes. E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.