Menu

Minas Gerais terá de qualificar mais de um milhão de trabalhadores em profissões industriais até 2023

Segundo Mapa do Trabalho Industrial, do SENAI, áreas transversais, metalmecânica e eletrotécnica demandarão técnicos capacitados em quatro anos

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Divulgação: CNI

O estado de Minas Gerais terá de qualificar 1.175.667 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo a coordenadora da gerência de Educação Profissional do SENAI-MG, Alessandra Teixeira, as áreas que mais vão demandar mão de obra qualificada no estado são metalmecânica e eletroeletrônica. Ambas, segundo a gestora, dependem de uma qualificação específica.

“Quando falo na área de metalmecânica e na área de eletroeletrônica, eu preciso citar que são profissões cada vez mais ligadas à tecnologia. A indústria 4.0 está aí, então a tecnologia, a automatização nos processos produtivos tem demandado cada vez mais um profissional qualificado”, explica.

O setor de metalmecânica precisará, segundo estudo do SENAI, qualificar 21.671 novos profissionais técnicos nos próximos quatro anos no estado. Esse setor é visto como estratégico para a indústria, já que quase todas as outras áreas do setor produtivo dependem dele. As indústrias desse segmento transformam metais nos mais diversos tipos de produtos, como máquinas e tubulações.

Para o diretor-executivo de Tecnologia da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), João Alfredo Delgado, a educação profissional pode ser a diferença nesse novo mercado da Indústria 4.0. 

“A educação profissional é a solução. Quando a gente fala de vagas nas empresas que não estão sendo preenchidas, normalmente é que a pessoa não atende os skills, ou seja, não tem o perfil que está sendo procurado”, ressalta.

Como forma de mudar a realidade de milhões de brasileiros que estão desempregados, a saída, na avaliação da deputada federal Greyce Elias (Avante-MG), é ampliar a oferta de vagas técnicas, especialmente para os mais jovens. 

“A educação profissional é uma forma de combater o desemprego no país. É importante fortalecermos esse trabalho com a capacitação de jovens e adultos”, defende a parlamentar.

Qualificação profissional

Segundo o Mapa do Trabalho Industrial, entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados, estão as de mecânicos de manutenção de máquinas industriais (27.909) e operadores de máquinas para costura de peças do vestuário (24.007). 

As áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica em Minas Gerais são transversais; metalmecânica; eletroeletrônica; energia e telecomunicações; e construção. São chamados de profissionais transversais aqueles que trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Os jovens que tiverem interesse em uma dessas áreas podem acessar o site fiemg.com.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI no estado. Mais informações podem ser consultadas pelo telefone (31) 3263-4200.
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

LOC.: O estado de Minas Gerais terá de qualificar 1.175.667 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo a coordenadora da gerência de Educação Profissional do SENAI-MG, Alessandra Teixeira, as áreas que mais vão demandar mão de obra qualificada no estado são metalmecânica e eletroeletrônica. Ambas, segundo a gestora, dependem de uma qualificação específica.

TEC./SONORA: Alessandra Teixeira, coordenadora da gerência de Educação Profissional do SENAI-MG 
 

“Quando falo na área de metalmecânica e na área de eletroeletrônica, eu preciso citar que são profissões cada vez mais ligadas à tecnologia. A indústria 4.0 está aí, então a tecnologia, a automatização nos processos produtivos tem demandado cada vez mais um profissional qualificado.”

 

LOC.: O setor de metalmecânica precisará, segundo estudo do SENAI, qualificar 21.671 novos profissionais técnicos nos próximos quatro anos no estado. Esse setor é visto como estratégico para a indústria, já que quase todas as outras áreas do setor produtivo dependem dele. As indústrias desse segmento transformam metais nos mais diversos tipos de produtos, como máquinas e tubulações.

Para o diretor-executivo de Tecnologia da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), João Alfredo Delgado, a educação profissional pode ser a diferença nesse novo mercado da Indústria 4.0. 

TEC./SONORA: João Alfredo Delgado, diretor-executivo de Tecnologia da Abimaq
 

“A educação profissional é a solução. Quando a gente fala de vagas nas empresas que não estão sendo preenchidas, normalmente é que a pessoa não atende os skills, ou seja, não tem o perfil que está sendo procurado”

LOC.: Como forma de mudar a realidade de milhões de brasileiros que estão desempregados, a saída, na avaliação da deputada federal Greyce Elias (Avante-MG), é ampliar a oferta de vagas técnicas, especialmente para os mais jovens. 

TEC./SONORA: deputada federal Greyce Elias (Avante-MG)
 

“A educação profissional é uma forma de combater o desemprego no país. É importante fortalecermos esse trabalho com a capacitação de jovens e adultos.”

LOC.: As áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica em Minas Gerais são transversais; metalmecânica; eletroeletrônica; energia e telecomunicações; e construção. São chamados de profissionais transversais aqueles que trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

Os jovens que tiverem interesse em uma dessas áreas podem acessar o site fiemg.com.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI no estado. Mais informações podem ser consultadas pelo telefone (31) 3263-4200. Repetindo: (31) 3263-4200.

Com a colaboração de Juliana Gonçalves, reportagem, Paulo Henrique Gomes