Menu

Ministério da Saúde libera R$4 milhões para assistência para Brumadinho (MG)

Nesta segunda-feira (18), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou um pacote de medidas para ajudar a população da região afetada pelo rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG).

Banners
Foto: Renato Strauss / Ascom MS

Nesta segunda-feira (18), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou um pacote de medidas para ajudar a população da região afetada pelo rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Isso significa que o Ministério da Saúde vai liberar R$ 4 milhões de reais, sendo que mais de um milhão e meio de reais serão incorporados ao valor transferido todos os anos para a região. Além disso, o ministro anunciou que será realizado um acompanhamento da saúde dos profissionais envolvidos no resgate às vítimas da tragédia. As medidas vão auxiliar 18 cidades afetadas, que juntas abrigam cerca de um milhão de pessoas, conforme explica o  ministro Luiz Henrique Mandetta:

“A gente sabe que essa dor vai levar muitos anos. Nada poderá substituir. Mas é função da saúde pública estar próximo, dispor psicólogos, assistentes sociais, terapeutas, para que a gente possa dar um pouco de apoio nessa transição entre um luto vazio e o preenchimento da vida por uma causa que deve ser o final desse luto”.

Na região da cidade de Brumadinho, foram habilitados dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e três Equipes Multiprofissionais de Atenção Especializada em Saúde Mental. Essa é uma preocupação com os reflexos da tragédia na vida da população, uma vez que já foi identificado em situações semelhantes a esse desastre, um aumento de casos de ansiedade e depressão.

Reportagem, Janary Damacena. 
 

Janary Bastos Damacena



Conteúdos relacionados

Cadastre-se

Nesta segunda-feira (18), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou um pacote de medidas para ajudar a população da região afetada pelo rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Isso significa que o Ministério da Saúde vai liberar R$ 4 milhões de reais, sendo que mais de um milhão e meio de reais serão incorporados ao valor transferido todos os anos para a região. Além disso, o ministro anunciou que será realizado um acompanhamento da saúde dos profissionais envolvidos no resgate às vítimas da tragédia. As medidas vão auxiliar 18 cidades afetadas, que juntas abrigam cerca de um milhão de pessoas, conforme explica o  ministro Luiz Henrique Mandetta:

 

“A gente sabe que essa dor vai levar muitos anos. Nada poderá substituir. Mas é função da saúde pública estar próximo, dispor psicólogos, assistentes sociais, terapeutas, para que a gente possa dar um pouco de apoio nessa transição entre um luto vazio e o preenchimento da vida por uma causa que deve ser o final desse luto”.

Na região da cidade de Brumadinho, foram habilitados dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e três Equipes Multiprofissionais de Atenção Especializada em Saúde Mental. Essa é uma preocupação com os reflexos da tragédia na vida da população, uma vez que já foi identificado em situações semelhantes a esse desastre, um aumento de casos de ansiedade e depressão.