Menu

Morre mais uma vítima da ação do Exército que fuzilou músico no Rio

Luciano Macedo, catador de materiais recicláveis, foi atingido por balas de fuzil no momento em que tentava ajudar a família de Evaldo Santos Rosa; ele estava hospitalizado e morreu nesta madrugada

Banners
Creative Commons BR

Mais uma vítima morreu em consequência da ação do Exército realizada em Guadalupe, zona norte do Rio de Janeiro, no último dia 7. O catador de materiais recicláveis Luciano Macedo foi atingido por balas de fuzil no momento em que tentava ajudar a família de Evaldo Santos Rosa, alvejada por 80 tiros disparados pelos militares.

Luciano Macedo foi internado em um hospital da Baixada Fluminense e, após 10 dias, não resistiu aos ferimentos, e faleceu na madrugada desta quinta-feira (18).

No domingo, dia 7 de abril, Evaldo, a esposa, o filho de sete anos, o sogro e uma amiga da família trafegavam de carro por Guadalupe, quando foram surpreendidos por uma guarnição do Exército. Os militares, sem ao menos abordarem o veículo, dispararam mais de 80 tiros de fuzil no carro da família. Evaldo morreu no local. O sogro foi baleado, mas não corre riscos de morte. A esposa, o filho e a amiga, não se feriram. Luciano presenciou a ação, tentou ajudar a família e acabou atingido pelos tiros.

 

Cristiano Carlos

Cristiano é jornalista formado pela Universidade Católica de Brasília, com larga experiência em emissoras de rádio, desde 2002. Como repórter trabalha na cobertura do Congresso Nacional, em Brasília, na produção de conteúdos sobre o dia a dia dos bastidores, da atuação dos parlamentares, nas comissões e nos plenários do Senado e Câmara dos Deputados. Acompanhou as campanhas eleitorais nacionais em 2014 e 2018. Também atua nas editorias de educação, saúde e esportes.


Cadastre-se

LOC.: Mais uma vítima morreu em consequência da ação do Exército realizada em Guadalupe, zona norte do Rio de Janeiro, no último dia 7. O catador de materiais recicláveis Luciano Macedo foi atingido por balas de fuzil no momento em que tentava ajudar a família de Evaldo Santos Rosa, alvejada por 80 tiros disparados pelos militares.

Luciano Macedo foi internado em um hospital da Baixada Fluminense e, após 10 dias, não resistiu aos ferimentos, e faleceu na madrugada desta quinta-feira (18).

No domingo, dia 7 de abril, Evaldo, a esposa, o filho de sete anos, o sogro e uma amiga da família trafegavam de carro por Guadalupe, quando foram surpreendidos por uma guarnição do Exército. Os militares, sem ao menos abordarem o veículo, dispararam mais de 80 tiros de fuzil no carro da família. Evaldo morreu no local. O sogro foi baleado, mas não corre riscos de morte. A esposa, o filho e a amiga, não se feriram. Luciano presenciou a ação, tentou ajudar a família e acabou atingido pelos tiros.

Com a colaboração de Cristiano Carlos, reportagem Marquezan Araújo