Menu

MP pede que policial que postou que iria “brincar com comunas” durante protesto contra cortes na educação seja investigado

Segundo o órgão, a publicação do militar representa um “inequívoco discurso de ódio”

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Reprodução/Redes Sociais

O Ministério Público do Distrito Federal enviou um ofício à Polícia Militar solicitando a investigação de um policial que afirmou em suas redes sociais que iria “brincar com os comunas” durante protesto, em Brasília, contra o bloqueio de recursos nas universidades federais.

O policial militar, identificado como Rodrigo Jardim, fez uma postagem em seu perfil no Instagram onde dizia: “E vamos todos para o extra na Esplanada brincar com os comunas”. Na publicação, o policial aparece fardado, dentro de um ônibus da Polícia Militar.  Segundo o Ministério Público, a fala representa um “inequívoco discurso de ódio”.

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal determinou que seja aberto procedimento administrativo para análise do caso. A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa do DF também pediu esclarecimentos à PM sobre o comportamento do militar. A Polícia Militar disse que a imagem "está sendo analisada". 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

O Ministério Público do Distrito Federal enviou um ofício à Polícia Militar solicitando a investigação de um policial que afirmou em suas redes sociais que iria “brincar com os comunas” durante protesto, em Brasília, contra o bloqueio de recursos nas universidades federais.

O policial militar, identificado como Rodrigo Jardim, fez uma postagem em seu perfil no Instagram onde dizia: “E vamos todos para o extra na Esplanada brincar com os comunas”. Na publicação, o policial aparece fardado, dentro de um ônibus da Polícia Militar.  Segundo o Ministério Público, a fala representa um “inequívoco discurso de ódio”.

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal determinou que seja aberto procedimento administrativo para análise do caso. A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa do DF também pediu esclarecimentos à PM sobre o comportamento do militar. A Polícia Militar disse que a imagem "está sendo analisada". 

Reportagem, Paulo Henrique Gomes