Menu

MULUNGU (PB): Em situação de risco de 2016, infestação do transmissor de dengue, zika e chikungunya preocupa agentes de saúde da cidade

Segundo o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), o índice está em 5% este ano

Banners
Foto: Ministério da Saúde

Febre, pele avermelhada e dores intensas nas juntas são alguns dos sintomas da chikungunya, doença transmitida pela picada do Aedes aegypti. Em Mulungu, uma das vítimas do mosquito foi o professor Romário dos Santos, de 24 anos, que pegou a infecção em 2017. 

“O corpo ficou todo doendo, todas as articulações. Caminhar doía, segurar alguma coisa doía. Tudo realmente estava doendo. E o que eu mais me lembro era a língua, eu não conseguia sentir gostos das coisas”, conta. 

O município da região metropolitana de Guarabira está em situação de risco para surto de dengue, zika e chikungunya desde 2016. Segundo o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), o índice está em 5% este ano. Classificação do Ministério da Saúde considera que para estar em condições satisfatórias, os imóveis pesquisados em determinada da cidade devem apresentar taxa de infestação menor que 1%.

Para o médico sanitarista da Fundação Oswaldo Cruz, Cláudio Maierovitch, a população precisa entender que a forma mais eficaz de evitar as doenças causadas pelo mosquito é impedir que ele nasça.

“A principal prevenção – para as três doenças – se refere à transmissão. A primeira coisa é quanto à eliminação dos criadouros dos mosquitos. Então, qualquer objeto, qualquer coisa que possa acumular água parada, especialmente água limpa dentro dos quintais, dentro de casa, mesmo em apartamento, em locais de trabalho, pode se transformar em um criadouro para o mosquito Aedes aegypti”, afirma.

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa por você. Aqui vão algumas recomendações do Ministério da Saúde para a limpeza dos reservatórios de água. É importante mantê-los sempre tampados. A limpeza deve ser periódica, com água, bucha e sabão. Ao acabar a água do reservatório, é necessário fazer uma nova lavagem nos recipientes e guardá-los de cabeça para baixo. Segundo o ministério, esse cuidado é essencial porque os ovos do mosquito podem viver mais de um ano no ambiente seco.

Dengue, chikungunya e zika podem matar. Caso queira denunciar focos do mosquito, procure a prefeitura da sua cidade. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/combateaedes.

Crédito: Ministério da Saúde
 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: Febre, pele avermelhada e dores intensas nas juntas são alguns dos sintomas da chikungunya, doença transmitida pela picada do Aedes aegypti. Em Mulungu, uma das vítimas do mosquito foi o professor Romário dos Santos, de 24 anos, que pegou a infecção em 2017. 

“O corpo ficou todo doendo, todas as articulações. Caminhar doía, segurar alguma coisa doía. Tudo realmente estava doendo. E o que eu mais me lembro era a língua, eu não conseguia sentir gostos das coisas”. 

LOC.: O município da região metropolitana de Guarabira está em situação de risco para surto de dengue, zika e chikungunya desde 2016. Segundo o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), o índice está em 5% este ano. Classificação do Ministério da Saúde considera que para estar em condições satisfatórias, os imóveis pesquisados em determinada da cidade devem apresentar taxa de infestação menor que 1%.

Para o médico sanitarista da Fundação Oswaldo Cruz, Cláudio Maierovitch, a população precisa entender que a forma mais eficaz de evitar as doenças causadas pelo mosquito é impedir que ele nasça.
 

“A principal prevenção – para as três doenças – se refere à transmissão. A primeira coisa é quanto à eliminação dos criadouros dos mosquitos. Então, qualquer objeto, qualquer coisa que possa acumular água parada, especialmente água limpa dentro dos quintais, dentro de casa, mesmo em apartamento, em locais de trabalho, pode se transformar em um criadouro para o mosquito Aedes aegypti.”

 LOC.: E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa por você. Aqui vão algumas recomendações do Ministério da Saúde para a limpeza dos reservatórios de água. É importante mantê-los sempre tampados. A limpeza deve ser periódica, com água, bucha e sabão. Ao acabar a água do reservatório, é necessário fazer uma nova lavagem nos recipientes e guardá-los de cabeça para baixo. Segundo o ministério, esse cuidado é essencial porque os ovos do mosquito podem viver mais de um ano no ambiente seco.

Dengue, chikungunya e zika podem matar. Caso queira denunciar focos do mosquito, procure a prefeitura da sua cidade. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/combateaedes.