Menu

NORTE: Empresários consideram SESI e SENAI como as instituições que mais contribuem para a qualificação profissional

Estudo do Instituto FSB Pesquisa mostra que nove em cada dez entrevistados (91,2%) têm imagem positiva ou muito positiva do SENAI. Já sobre o SESI, esse percentual chegou próximo de 80%

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Divulgação/SENAI

Levantamento do Instituto FSB Pesquisa mostra que o SESI e o SENAI foram as instituições melhor avaliadas pela iniciativa privada por conta da qualificação profissional ofertada no país. Nove em cada dez empresários (91,2%) disseram ter imagem positiva ou muito positiva do SENAI. Já sobre o SESI, esse percentual foi de 79,4%.

O sentimento é comum na região Norte. Glauciney de Castro, gerente operacional da Usina Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão, no Amapá, conta que com o SENAI é um parceiro na hora de aprimorar conhecimentos entre os funcionários. “A gente sempre aprende alguma coisa nova quando vamos aos treinamentos. Às vezes, as regulações mudaram, o equipamento de segurança passou por aperfeiçoamento. Então, acaba sendo uma troca positiva”, afirma.

A pesquisa realizada com quatro mil empresários revela ainda que, em uma escala de zero a dez, SESI e SENAI receberam nota 7,0 por sua contribuição profissional, com avaliação superior à instituições das redes pública e privada. De acordo com a pesquisa, 85,2% dos empresários avaliaram o trabalho das entidades administradas pela indústria como bom ou ótimo.

A usina realiza anualmente treinamentos de segurança do trabalho. Danilo Paulino de Sá, 23 anos, é técnico em eletrotécnica e afirma que os ensinamentos que aprende nas aulas são importantes para o cargo de metalúrgico. “Os treinamentos vêm melhorando muito nosso desempenho em técnicas para trabalho em altura e em resgate, caso necessário, de algum trabalhador. O SENAI tem nos ajudado muito com seus ótimos instrutores, que são muito bem preparados para fazer esse tipo de serviço”, elogiou.

A deputada federal Professora Marcivânia (PCdoB-AP) é entusiasta dos serviços oferecidos pelas instituições do Sistema S e lembra o importante papel que exercem na região amazônica. “O trabalho não só merece continuar, mas continuar cada vez mais atendendo os trabalhadores e as famílias dos trabalhadores porque o Brasil precisa. O poder público não consegue na sua amplitude abraçar tudo. Então, o Sistema S faz um serviço de preparação profissional que é necessário”, argumentou.

Serviços

A região Norte tem 45 unidades fixas e 39 unidades móveis do SENAI. No Brasil, em 2018, foram feitas 2,3 milhões de matrículas em educação profissional. Já o SESI efetuou 1,1 milhão de matrículas em educação básica, continuada e ações educativas e, no mesmo período, beneficiou mais de 3,5 milhões de pessoas com serviços de saúde e segurança, além de aplicar mais de 989 mil vacinas.

Sara Rodrigues

Sara iniciou a carreira jornalística como estagiária da Agência do Rádio, em 2014. Foi repórter da UnBTV durante 1 ano e 6 meses e retornou para a redação da ARB como repórter. É responsável pela coluna Diversão em Pauta, e cobre Política Internacional.


Cadastre-se

LOC.: Levantamento do Instituto FSB Pesquisa mostra que o SESI e o SENAI foram as instituições melhor avaliadas pela iniciativa privada por conta da qualificação profissional ofertada no país. Nove em cada dez empresários (91,2%) disseram ter imagem positiva ou muito positiva do SENAI. Já sobre o SESI, esse percentual foi de 79,4%.

O sentimento é comum na região Norte. Glauciney de Castro, gerente operacional da Usina Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão, no Amapá, conta que com o SENAI é um parceiro na hora de aprimorar conhecimentos entre os funcionários.

TEC./SONORA: Glauciney de Castro, gerente operacional da Usina Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão.

“A gente sempre aprende alguma coisa nova quando vamos aos treinamentos. Às vezes, as regulações mudaram, o equipamento de segurança passou por aperfeiçoamento. Então, acaba sendo uma troca positiva.”

LOC.: A pesquisa realizada com quatro mil empresários revela ainda que, em uma escala de zero a dez, SESI e SENAI receberam nota 7,0 por sua contribuição profissional, com avaliação superior à instituições das redes pública e privada. De acordo com a pesquisa, 85,2% dos empresários avaliaram o trabalho das entidades administradas pela indústria como bom ou ótimo.

A usina realiza anualmente treinamentos de segurança do trabalho. Danilo Paulino de Sá, 23 anos, é técnico em eletrotécnica e afirma que os ensinamentos que aprende nas aulas são importantes para o cargo de metalúrgico.

TEC./SONORA: Danilo Paulino de Sá, 23 anos, técnico em eletrotécnica.

“Os treinamentos vêm melhorando muito nosso desempenho em técnicas para trabalho em altura e em resgate, caso necessário, de algum trabalhador. O SENAI tem nos ajudado muito com seus ótimos instrutores, que são muito bem preparados para fazer esse tipo de serviço.”

LOC.: A deputada federal Professora Marcivânia (PCdoB-AP) é entusiasta dos serviços oferecidos pelas instituições do Sistema S e lembra o importante papel que exercem na região amazônica.

TEC./SONORA: Professora Marcivânia (PCdoB-AP), deputada federal

“Tenho certeza que o Sistema S, pela qualidade do serviço que é prestado, não só merece continuar, mas atender cada vez mais pessoas, os trabalhadores, as famílias dos trabalhadores. O poder público não consegue na sua amplitude abraçar tudo. Então, [o Sistema S] faz um serviço de preparação profissional que é necessária, a gente precisa de profissionais cada vez mais qualificados.”

LOC.: A região Norte tem 45 unidades fixas e 39 unidades móveis do SENAI. No Brasil, em 2018, foram feitas 2,3 milhões de matrículas em educação profissional. Já o SESI efetuou 1,1 milhão de matrículas em educação básica, continuada e ações educativas e, no mesmo período, beneficiou mais de 3,5 milhões de pessoas com serviços de saúde e segurança, além de aplicar mais de 989 mil vacinas.

Reportagem, Sara Rodrigues