Menu

Novo Cadastro Positivo deve beneficiar mais de um milhão de consumidores no DF

Medida foi sancionada nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro

Banners
Foto: Arquivo/EBC

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta semana o projeto que prevê a inclusão automática de cidadãos considerados “bons pagadores” no Cadastro Positivo. A medida vale tanto para pessoas físicas quanto para empresas. O cadastro reúne informações sobre pagamentos em dia e empréstimos quitados e pode contribuir para a diminuição das taxas de juros, ao reduzir o risco para as instituições financeiras na hora de conceder o crédito.

Dados disponibilizados pela Serasa Experian revelam que o novo cadastro positivo vai beneficiar consumidores de todas as unidades da Federação. Só no Distrito Federal, por exemplo, 78,3% da população adulta poderá ter mais facilidade de conseguir crédito junto a instituições financeiras ou fazer compras a prazo. 

A estimativa da Serasa Experian é que quase 1,8 milhão de pessoas sejam beneficiadas apenas no DF. Muitas delas, hoje sem acesso a crédito, poderão ser incluídas nesse mercado pelo simples fato de manterem em dia contas como de água, luz e telefone.

O diretor de Relações Governamentais da Serasa Experian, Julien Dutra, explica que a previsão para incluir o nome nessa relação já existe desde 2011, mas a burocracia no processo desestimulava os consumidores a aderirem ao cadastro.

Com a sanção, todos os consumidores passam a fazer parte dessa lista de bons pagadores automaticamente. No entanto, Julien afirma que a saída pode ser feita a qualquer momento, bastando apenas uma solicitação formal para isso.

Outra vantagem apontada pelo especialista é que as avaliações de crédito serão feitas com base nos dados que constam no Cadastro Positivo, ou seja, não mais na lista de devedores. “O negativo vai passar a ser o coadjuvante dessa história. Apenas uma fotografia bem pequena perto de um filme grande de uma boa história chamado Cadastro Positivo”, disse.  

O estudo feito pela Serasa Experian aponta ainda que o sistema deve beneficiar cerca de 137 milhões de brasileiros - 88,5% da população adulta do país. O levantamento mostra ainda que pode haver redução de juros para 74% das pessoas com idade acima de 18 anos que atualmente possuem acesso ao crédito.

Estímulo à economia

Apoiadora da medida, a deputada federal Paula Belmonte (Cidadania/DF) afirma que o Cadastro Positivo vai estimular a economia. “Muitas pessoas não sabem que têm crédito no mercado. Então, isso vai trazer a possibilidade para que a gente possa vender mais e girar mais a economia”, garante ela.

A parlamentar disse ainda que a nova norma vai contribuir para a geração de emprego. “Nós vamos ter mais arrecadação de tributo para investir. Além disso, as empresas vão ter mais lucratividade e vão conseguir expandir seus negócios”, explica Belmonte.

Tramitação

Com origem no Senado Federal, o texto do novo Cadastro Positivo foi modificado na Câmara dos Deputados e precisou passar por nova análise dos senadores, concluída no mês passado.

O novo Cadastro Positivo passa a valer a partir de julho deste ano. Vale lembrar que, mesmo quem está com o nome negativado pode participar, ou seja, suas contas pagas em dias também poderão ser consideradas para fins de avaliação de crédito. Com isso, as empresas poderão ter condições de analisar seus históricos de pagamentos de uma forma mais completa e justa.

Dependendo da política financeira do seu banco, por exemplo, você pode conseguir, inclusive, taxas de juros melhores do que alguém que não tem o nome inscrito no Cadastro Positivo.
 

Marquezan Araújo

Marquezan é formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), atuou como âncora de jornal radiofônico e locutor de programa musical. Passou por estágios na Agência Brasil e na Rádio Nacional, da EBC. Repórter da Agência do Rádio desde 2016, acompanha as movimentações do Legislativo no Congresso Nacional.


Cadastre-se

LOC.: Um levantamento feito pela Serasa Experian revela que a inclusão de consumidores no Cadastro Positivo vai beneficiar mais de 78% da população adulta do Distrito Federal. Na prática, isso significa que um milhão e 786 mil pessoas poderão ter mais facilidade de conseguir crédito junto a instituições financeiras ou fazer compras a prazo, por exemplo.

Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro sancionou lei que torna automática a inclusão de bons pagadores no Cadastro Positivo. Isso vale tanto para pessoas físicas quanto para empresas. O cadastro, uma espécie de currículo financeiro, reúne informações sobre pagamentos em dia e empréstimos quitados.

O diretor de Relações Governamentais da Serasa Experian, Julien Dutra, explica que a previsão para incluir o nome nessa relação já existe desde 2011, mas a burocracia no processo desestimulava os consumidores a aderirem ao antigo cadastro.

De acordo com ele, uma das vantagens que surgem com a nova norma é que as avaliações de crédito serão feitas com base nos dados que constam da lista de bons pagadores, ou seja, não mais da relação dos inadimplentes.
 

TEC.SONORA: Julien Dutra, diretor de Relações Governamentais do Serasa Experian

“O negativo vai passar a ser o coadjuvante dessa história. Apenas uma fotografia pequena perto de um filme grande de uma boa história chamado Cadastro Positivo.”
 

LOC.: O estudo feito pela Serasa Experian aponta ainda que o novo modelo deve beneficiar cerca de 137 milhões de brasileiros - 88,5% da população adulta do país.

O levantamento mostra ainda que pode haver redução de juros para 74% das pessoas com idade acima de 18 anos que atualmente possuem acesso ao crédito.

Com origem no Senado Federal, o nova Cadastro Positivo foi modificado na Câmara dos Deputados e precisou passar por nova análise dos senadores, concluída no mês passado.

Apoiadora da medida, a deputada federal Paula Belmonte (Cidadania- DF) afirma que a lei vai ajudar a aquecer a economia brasileira.
 

TEC.SONORA: Paula Belmonte, deputada federal(Cidadania- DF)

“Essa questão do Cadastro Positivo é algo que vai trazer mais fomento para a economia. Quer dizer, você percebe que muitas pessoas, às vezes, não sabem que têm crédito no mercado. Então, vai trazer a possibilidade para que a gente possa vender mais e girar mais a economia. E a gente está falando de geração de emprego, porque nós vamos ter mais tributo para ser investido e aquelas empresas vão ter mais lucratividade e vão conseguir expandir seus negócios.”
 

LOC.: O novo Cadastro Positivo passa a valer a partir de julho deste ano. Vale lembrar que, mesmo quem está com o nome negativado pode participar, ou seja, suas contas pagas em dias também poderão ser consideradas para fins de avaliação de crédito. Com isso, as empresas poderão ter condições de analisar seus históricos de pagamentos de uma forma mais completa e justa.

Reportagem, Marquezan Araújo