Menu

CNC: Oferta de trabalho temporário para Natal será a maior dos últimos seis anos

A confederação espera a contratação de 91 mil pessoas para atender ao aumento da demanda do varejo

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Prefeitura de Gravatá-PE

A oferta de vagas de emprego temporário no comércio varejista no Natal deverá ser a maior dos últimos seis anos. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) espera a contratação de 91 mil trabalhadores no período. O número, segundo a entidade, representa um aumento de 4% em comparação com 2018.  

Já os setores do comércio que deverão ter os maiores volumes de contratações, serão os ramos: de vestuário (62,5 mil vagas) e de hiper e supermercados (12,8 mil). Segundo a CNC, oito em cada dez vagas ofertadas deverão ser preenchidas por vendedores (57 mil), operadores de caixa (13 mil) e pessoal de almoxarifado (4,6 mil).

De acordo com o economista da CNC, Fábio Bentes, o Natal deve movimentar quase R$ 36 bilhões neste ano. Para ele, por trás desta expectativa de vendas, existe um cenário favorável para o consumo nesta segunda metade do ano.

“Ele é composto por uma inflação baixa - portanto isso ajuda a preservar o poder de compra do consumidor; as condições de crédito, quando a gente olha o prazo das operações, das compras a prazo, na realidade a gente percebe uma ampliação no número de meses nessas prestações e isso suaviza a prestação para o consumidor”, comenta.

Além disso, segundo Fábio Bentes, outro fator para a retomada do nível de atividade do setor é a liberação de recursos, como os saques do FGTS e do PIS/Pasep.

“A gente não teve isso em 2017, quando ainda no governo Temer houve a liberação dos recursos das contas inativas, porque naquele período, o calendário vigorou de março à julho; agora ele começa em setembro e se estende até o primeiro trimestre do ano que vem. Portanto, as condições de consumo evoluíram favoravelmente e permitem que a gente espere um Natal mais positivo este ano”, relata.

Vale destacar que a taxa de efetivação dos trabalhadores temporários deverá ser maior do que nos últimos cinco anos, com expectativa de absorção definitiva de 26,1%.
 

Cintia Moreira

Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Cadastre-se

A oferta de vagas de emprego temporário no comércio varejista no Natal deverá ser a maior dos últimos seis anos. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) espera a contratação de 91 mil trabalhadores no período. O número, segundo a entidade, representa um aumento de 4% em comparação com 2018.  

Já os setores do comércio que deverão ter os maiores volumes de contratações, serão os ramos: de vestuário (62,5 mil vagas) e de hiper e supermercados (12,8 mil). Segundo a CNC, oito em cada dez vagas ofertadas deverão ser preenchidas por vendedores (57 mil), operadores de caixa (13 mil) e pessoal de almoxarifado (4,6 mil).

De acordo com o economista da CNC, Fábio Bentes, o Natal deve movimentar quase R$ 36 bilhões neste ano. Para ele, por trás desta expectativa de vendas, existe um cenário favorável para o consumo nesta segunda metade do ano.
 

“Ele é composto por uma inflação baixa - portanto isso ajuda a preservar o poder de compra do consumidor; as condições de crédito, quando a gente olha o prazo das operações, das compras a prazo, na realidade a gente percebe uma ampliação no número de meses nessas prestações e isso suaviza a prestação para o consumidor.”

Além disso, segundo Fábio Bentes, outro fator para a retomada do nível de atividade do setor é a liberação de recursos, como os saques do FGTS e do PIS/Pasep.

“A gente não teve isso em 2017, quando ainda no governo Temer houve a liberação dos recursos das contas inativas, porque naquele período, o calendário vigorou de março à julho; agora ele começa em setembro e se estende até o primeiro trimestre do ano que vem. Portanto, as condições de consumo evoluíram favoravelmente e permitem que a gente espere um Natal mais positivo este ano.”

Vale destacar que a taxa de efetivação dos trabalhadores temporários deverá ser maior do que nos últimos cinco anos, com expectativa de absorção definitiva de 26,1%.

Reportagem, Cintia Moreira