Menu

Onyx defende contingenciamento de recursos para universidades e diz que não haverá recuo

O ministro afirmou que houve muita confusão entre os significados de cortar e contingenciar recursos

Banners
Foto: Reprodução

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, defendeu nesta quarta-feira (15) o contingenciamento de recursos no Ministério da Educação e disse que o governo não voltará atrás na decisão.

O ministro afirmou que houve muita confusão entre os significados de cortar e contingenciar recursos, que, segundo ele, é o que o governo fará. 

“Quando a gente está na nossa casa e a entrada de recursos não está boa ou o volume de gastos está muito alto, o que a gente faz? Segura. Nega o tênis para o filho, não vai no restaurante, toma uma sopinha no domingo à noite, nega a pizza. O governo tem que ser rigorosamente igual.”

O ministro falou com jornalistas na Câmara dos Deputados após acompanhar os esclarecimentos dados pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, na casa.

Na terça (14), líderes partidários afirmaram que Bolsonaro havia ligado, na frente deles, para o ministro da Educação e mandado suspender o contingenciamento nas universidades. Onyx, porém, afirmou que “não vai haver recuo”. Segundo ele, “houve uma confusão entre o que é contingenciamento e o que é corte".

João Paulo Machado

João Paulo é graduado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) e iniciou sua carreira estagiando na área de reportagem da Rádio Nacional (EBC). Na Agência do Rádio atuou na cobertura de eventos importantes como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. No mesmo período, desenvolveu trabalho em parceria com o Ministério do Esporte redigindo reportagens para o portal Brasil2016.gov.br, além de colaborações para redes sociais.Atualmente, cobre os acontecimentos da Praça dos Três Poderes para a Agência do Rádio.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, defendeu nesta quarta-feira (15) o contingenciamento de recursos no Ministério da Educação e disse que o governo não voltará atrás na decisão. 

O ministro afirmou que houve muita confusão entre os significados de cortar e contingenciar recursos, que, segundo ele, é o que o governo fará. 

“Quando a gente está na nossa casa e a entrada de recursos não está boa ou o volume de gastos está muito alto, o que a gente faz? Segura. Nega o tênis para o filho, não vai no restaurante, toma uma sopinha no domingo à noite, nega a pizza. O governo tem que ser rigorosamente igual.”

O ministro falou com jornalistas na Câmara dos Deputados após acompanhar os esclarecimentos dados pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, na casa.

Na terça (14), líderes partidários afirmaram que Bolsonaro havia ligado, na frente deles, para o ministro da Educação e mandado suspender o contingenciamento nas universidades. Onyx, porém, afirmou que “não vai haver recuo”. Segundo ele, “houve uma confusão entre o que é contingenciamento e o que é corte".