Menu

Operação da PF mira fraudes em indenizações da tragédia de Mariana

Serão cumpridos 24 mandados de busca e apreensão no Espírito Santo e no DF

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) fez uma operação nesta terça-feira (26) para investigar fraudes no pagamento de indenizações referentes à tragédia de Mariana, que aconteceu em novembro de 2015. A lama decorrente do rompimento da barragem da Samarco, empresa subsidiária da Vale, atingiu o Rio Doce. Com isso, aproximadamente mil e quatrocentos pescadores de municípios do Espírito Santo tiveram que suspender suas atividades, mas tiveram direito a indenização.

A operação Meandros, da PF, teve como objetivo investigar fraudes na emissão de protocolos de solicitação de licença de pescador profissional e inserção de documentos públicos falsos em sistema de informações.

A suspeita é de que diversas pessoas estavam obtendo licenças falsas de pescador para receber as indenizações.

Segundo a PF, Cerca de cem pessoas receberam compensações de maneira indevida. O prejuízo é de R$ 7 milhões, somando indenizações e auxílios financeiros.

Serão cumpridos 24 mandados de busca e apreensão em Baixo Guandu, colônia de pescadores afetada pelo desastre; na sede do Escritório Federal de Aquicultura e Pesca, em Vitória; e no escritório de advocacia de suspeitos de intermediar a fraude, em Vila Velha. Também serão cumpridos mandados em Serra e Brasília. 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

A Polícia Federal fez uma operação nesta terça-feira (26) para investigar fraudes no pagamento de indenizações referentes à tragédia de Mariana, que aconteceu em novembro de 2015. A lama decorrente do rompimento da barragem da Samarco, empresa subsidiária da Vale, atingiu o Rio Doce. Com isso, aproximadamente mil e quatrocentos pescadores de municípios do Espírito Santo tiveram que suspender suas atividades, mas tiveram direito a indenização.

A operação Meandros, da PF, teve como objetivo investigar fraudes na emissão de protocolos de solicitação de licença de pescador profissional e inserção de documentos públicos falsos em sistema de informações.

A suspeita é de que diversas pessoas estavam obtendo licenças falsas de pescador para receber as indenizações.

Segundo a PF, Cerca de cem pessoas receberam compensações de maneira indevida. O prejuízo é de R$ 7 milhões, somando indenizações e auxílios financeiros.

Serão cumpridos 24 mandados de busca e apreensão em Baixo Guandu, colônia de pescadores afetada pelo desastre; na sede do Escritório Federal de Aquicultura e Pesca, em Vitória; e no escritório de advocacia de suspeitos de intermediar a fraude, em Vila Velha. Também serão cumpridos mandados em Serra e Brasília.