Menu

PARÁ: Grupos de apoio oferecem informação e amparo a mães que amamentam

O empoderamento da rede de apoio à família e à amamentação é tema da Semana Mundial da Amamentação em 2019, que ocorre em todo o Brasil.

Banners
Ítalo Novais

Livre demanda ou rotina? O formato dos mamilos pode interferir na amamentação? E qual é a melhor posição para cada mamada? Estas são apenas algumas das dúvidas que ocupam a cabeça de mães e pais com a chegada do bebê.  

Uma das soluções encontradas por famílias neste período de adaptação ao aleitamento materno é a formação de redes e grupos de apoio para a troca de informações e experiências. Encontros, rodas de conversa e até sessões de cinema tornam-se um espaço de acolhimento e orientação.

Foi em um destes espaços que a professora universitária paraense Natália Conceição Barros encontrou apoio na amamentação do filho Miguel. Após o parto, o bebê perdeu peso e não conseguiu engordar imediatamente. Contrariada com a sugestão do profissional de saúde para complementar as mamadas com leite industrializado, Natália conta que o amparo do grupo foi fundamental no apoio à sua decisão e na busca por outro profissional. 

“Por ter informação, eu também tinha uma rede de apoio, que eram mulheres. E foi superimportante para mim. Me deu confiança. Inclusive, depois eu estudei isso. Eu trabalho com antropologia e fizemos artigos sobre a importância da rede de apoio à maternagem no puerpério e nesse momento que a mulher tem apoio e informação para sustentar a amamentação”.

O empoderamento da rede de apoio à família e à amamentação é tema da Semana Mundial da Amamentação em 2019, que ocorre em todo o Brasil. Para a coordenadora da Saúde da Criança do Ministério da Saúde, Janine Ginani, grupos de fomento à amamentação são cruciais para a ampliação da prática.

“A campanha desse ano tem um mote essencial, que é a rede de apoio. A mulher não pode se sentir sozinha nesse processo da amamentação. É necessário de que esta rede esteja consciente de que esta mulher precisa de apoio. Ela não precisa pedir. Ela tem que ter esse apoio. Tem que contar com essa rede. Então é essencial que as pessoas que estão ao redor dessa mulher favoreçam esse processo para que a gente consiga garantir a amamentação exclusiva até os 6 meses.”

Há quase três décadas, a Semana Mundial de Amamentação é celebrada em agosto e tem como objetivo de reforçar a importância do aleitamento materno até os dois anos de idade ou mais e exclusivo nos primeiros seis meses de vida.

Com o slogan “Amamentação. Incentive a família, alimente a vida” a edição de 2019 da Campanha do Ministério da Saúde alusiva à Semana Mundial da Amamentação traz peças visuais como vídeos, cartazes e folders divulgados para todo o país. 

A amamentação é a forma de proteção mais econômica e eficaz para redução da mortalidade infantil. Por isso, incentive todas as mulheres que você conhece para amamentarem os seus filhos. Para mais informações, acesse saude.gov.br/amamentacao.

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: Livre demanda ou rotina? O formato dos mamilos pode interferir na amamentação? E qual é a melhor posição para cada mamada? Estas são apenas algumas das dúvidas que ocupam a cabeça de mães e pais com a chegada do bebê.  

Uma das soluções encontradas por famílias neste período de adaptação ao aleitamento materno é a formação de redes e grupos de apoio para a troca de informações e experiências. Encontros, rodas de conversa e até sessões de cinema tornam-se um espaço de acolhimento e orientação.

Foi em um destes espaços que a professora universitária paraense Natália Conceição Barros encontrou apoio na amamentação do filho Miguel. Após o parto, o bebê perdeu peso e não conseguiu engordar imediatamente. Contrariada com a sugestão do profissional de saúde para complementar as mamadas com leite industrializado, Natália conta que o amparo do grupo foi fundamental no apoio à sua decisão e na busca por outro profissional.

“Por ter informação, eu também tinha uma rede de apoio, que eram mulheres. E foi superimportante para mim. Me deu confiança. Inclusive, depois eu estudei isso. Eu trabalho com antropologia e fizemos artigos sobre a importância da rede de apoio à maternagem no puerpério e nesse momento que a mulher tem apoio e informação para sustentar a amamentação”

LOC.: O empoderamento da rede de apoio à família e à amamentação é tema da Semana Mundial da Amamentação em 2019, que ocorre em todo o Brasil. Para a coordenadora da Saúde da Criança do Ministério da Saúde, Janine Ginani, grupos de fomento à amamentação são cruciais para a ampliação da prática.

“A campanha desse ano tem um mote essencial, que é a rede de apoio. A mulher não pode se sentir sozinha nesse processo da amamentação. É necessário de que esta rede esteja consciente de que esta mulher precisa de apoio. Ela não precisa pedir. Ela tem que ter esse apoio. Tem que contar com essa rede. Então é essencial que as pessoas que estão ao redor dessa mulher favoreçam esse processo para que a gente consiga garantir a amamentação exclusiva até os 6 meses.”

LOC.: Há quase três décadas, a Semana Mundial de Amamentação é celebrada em agosto e tem como objetivo de reforçar a importância do aleitamento materno até os dois anos de idade ou mais e exclusivo nos primeiros seis meses de vida.

Com o slogan “Amamentação. Incentive a família, alimente a vida” a edição de 2019 da Campanha do Ministério da Saúde alusiva à Semana Mundial da Amamentação traz peças visuais como vídeos, cartazes e folders divulgados para todo o país. 

A amamentação é a forma de proteção mais econômica e eficaz para redução da mortalidade infantil. Por isso, incentive todas as mulheres que você conhece para amamentarem os seus filhos. Para mais informações, acesse saude.gov.br/amamentacao.