Menu

PARACATU (MG): Cidade registrou mais de 3,2 mil casos prováveis de dengue em 2019

Banners
Créditos: Arquivo CNA

 LOC.: Durante os 15 dias em que enfrentou a dengue, com febre alta, dor de cabeça, dores nos olhos, enjoos, calafrios e falta de apetite, Wanderlei dos Santos, de 49 anos, repensou a forma de prevenir a doença. Morador do bairro Alto do Córrego há 40 anos, o funcionário público de Paracatu sente-se mais consciente sobre as ações de combate ao Aedes aegypti.
TEC./SONORA: Wanderlei dos Santos, funcionário público. 
“Quando você sente na pele, passa a ter um certo cuidado e a se preocupar mais. Até por ter familiares: um filho, uma esposa, uma mãe, um pai. Isso serve de lição”.
LOC. Município do noroeste mineiro, Paracatu teve 3,2 mil casos prováveis de dengue em 2019, contra 55 notificações, em 2018. Em relação à chikungunya, apenas um caso foi notificado em 2019, sem nenhuma confirmação de zika nos últimos dois anos. 
Dados do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti, o LIRAa, mostram que o noroeste mineiro está em estado de alerta com a infestação de dengue, zika e chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.
Coordenador de Endemia da Secretaria de Saúde de Paracatu, Márcio André Moraes explica que os reservatórios de água e vasos de plantas são os vilões na proliferação do mosquito. Com a chegada do período de chuva, o gestor pede para a população ter muito cuidado e ajude no combate ao Aedes aegypti.
TEC./SONORA: Márcio André Moraes, coordenador de Endemia da Secretaria de Saúde de Paracatu.
“Pedimos o apoio da população. Não deixe água parada! Chamamos atenção também pois o período chuvoso está para vir. Tenha cuidado com os quintais, onde ficam calhas, caixas d’água, lajes, construções, pneus e tudo aquilo que venha a juntar água”. 
LOC.: Na tentativa de acabar com os focos do mosquito Aedes aegypti, Paracatu tem realizado ações nos bairros para retirar lixo e objetos que acumulam água. Equipes de educação e saúde têm ido às escolas desenvolver trabalhos de conscientização com as crianças. Visitam também empresas privadas. 
Se você tem alguma dúvida, quer solicitar a visita de agentes em sua residência ou está em situação de risco, pode acionar a Divisão da Saúde pelo telefone (38) 3671-3928. Repetindo: (38) 3671-3928.
As autoridades de saúde mineiras notificaram, no ano passado, em todo estado, mais de 480 mil casos prováveis de dengue. Foram confirmadas 169 mortes em decorrência da doença. Em 2020, a Secretaria de Estado de Saúde já registrou 56 casos prováveis da doença até o momento, não havendo registro de casos graves.
Em relação à chikungunya, foram 2,8 mil casos prováveis e um óbito, no ano passado, em Patos de Minas. Em 2020, apenas um caso provável foi notificado, no município de Belo Oriente.
As notificações de Zika chegaram a 698 em 2019, sendo 164 em gestantes. Neste ano, até o momento, não houve registro de casos prováveis.
E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.
 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: Durante os 15 dias em que enfrentou a dengue, com febre alta, dor de cabeça, dores nos olhos, enjoos, calafrios e falta de apetite, Wanderlei dos Santos, de 49 anos, repensou a forma de prevenir a doença. Morador do bairro Alto do Córrego há 40 anos, o funcionário público de Paracatu sente-se mais consciente sobre as ações de combate ao Aedes aegypti.

“Quando você sente na pele, passa a ter um certo cuidado e a se preocupar mais. Até por ter familiares: um filho, uma esposa, uma mãe, um pai. Isso serve de lição”.

LOC.: Município do noroeste mineiro, Paracatu teve 3,2 mil casos prováveis de dengue em 2019, contra 55 notificações, em 2018. Em relação à chikungunya, apenas um caso foi notificado em 2019, sem nenhuma confirmação de zika nos últimos dois anos. 
Dados do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti, o LIRAa, mostram que o noroeste mineiro está em estado de alerta com a infestação de dengue, zika e chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.
Coordenador de Endemia da Secretaria de Saúde de Paracatu, Márcio André Moraes explica que os reservatórios de água e vasos de plantas são os vilões na proliferação do mosquito. Com a chegada do período de chuva, o gestor pede para a população ter muito cuidado e ajude no combate ao Aedes aegypti.

“Pedimos o apoio da população. Não deixe água parada! Chamamos atenção também pois o período chuvoso está para vir. Tenha cuidado com os quintais, onde ficam calhas, caixas d’água, lajes, construções, pneus e tudo aquilo que venha a juntar água”. 

Na tentativa de acabar com os focos do mosquito Aedes aegypti, Paracatu tem realizado ações nos bairros para retirar lixo e objetos que acumulam água. Equipes de educação e saúde têm ido às escolas desenvolver trabalhos de conscientização com as crianças. Visitam também empresas privadas. 
Se você tem alguma dúvida, quer solicitar a visita de agentes em sua residência ou está em situação de risco, pode acionar a Divisão da Saúde pelo telefone (38) 3671-3928. Repetindo: (38) 3671-3928.
As autoridades de saúde mineiras notificaram, no ano passado, em todo estado, mais de 480 mil casos prováveis de dengue. Foram confirmadas 169 mortes em decorrência da doença. Em 2020, a Secretaria de Estado de Saúde já registrou 56 casos prováveis da doença até o momento, não havendo registro de casos graves.
Em relação à chikungunya, foram 2,8 mil casos prováveis e um óbito, no ano passado, em Patos de Minas. Em 2020, apenas um caso provável foi notificado, no município de Belo Oriente.
As notificações de Zika chegaram a 698 em 2019, sendo 164 em gestantes. Neste ano, até o momento, não houve registro de casos prováveis.
E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.