Menu

PARAÍBA: Foliões serão atendidos com 2 milhões de preservativos

A ação tem o objetivo de conscientizar os foliões sobre a importância do uso do preservativo para prevenir infecções como o HIV, por exemplo

Banners
Foto: Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Mais de duas milhões de camisinhas começaram a ser distribuídas para a população da Paraíba. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, todos os 223 municípios paraibanos serão abastecidos com grandes quantidades de preservativos para atender o período de carnaval. A ação tem o objetivo de conscientizar os foliões sobre a importância do uso do preservativo para prevenir o risco de infecções sexualmente transmissíveis (IST), como o HIV, por exemplo.

Nos últimos anos, o número de pessoas que vivem com HIV tem aumentado no Brasil, sendo que 73% dos novos casos são em homens. Entre esses um quinto está entre os jovens na faixa dos 15 aos 24 anos. Somente na Paraíba, no período de 2007 a 2018, houve um aumento de 300% nos casos de HIV. Em 2019, já foram notificados sete novos casos no estado.

A gerente operacional das IST/HIV/Aids/Hepatites Virais, Ivoneide Lucena, explica que todas as pessoas já podem buscar as camisinhas nos serviços de saúde, sem passar por nenhuma consulta. Basta pegar na recepção a quantidade que necessitar.

“As pessoas podem passar no serviço de saúde, não precisa ter uma consulta médica, nem consulta de enfermagem. Qualquer pessoa pode passar na recepção e solicitar a quantidade de preservativo masculino que quiser. Pode levar para a galera, para a turma, para a vizinhança, para os colegas que vão sair nas festividades do carnaval. Então, (todos) podem pegar no serviço de saúde e também terão a oportunidade de pegar as camisinhas nas festas, através das equipes que estarão distribuindo”, afirma.

Diagnosticado com HIV em 1998, o veterinário aposentado Valdomiro Gomes, de 46 anos, ressalta a importância do uso de preservativos para prevenir infecções sexualmente transmissíveis. Há mais de 20 anos vivendo com HIV, Valdomiro é um dos fundadores de uma entidade que apoia pessoas com HIV. Ele conta que, em todos esses anos de trabalho, os métodos de tratamento e combate à doença evoluíram bastante. 

“Do ponto de vista da assistência, nós temos aqui na Paraíba uma assistência relativamente boa. Então, a gente tem uma assistência relativamente boa. Mas, claro, a gente tem algumas dificuldades, como os problemas com as pessoas que vem do interior, porque geralmente são pessoas de baixa condição de renda. Porque os centros de tratamento, eles estão concentrados principalmente na região metropolitana de João Pessoa, da capital”, explica.

A gerente operacional das IST/HIV/Aids/Hepatites Virais, Ivoneide Lucena ressalta que mesmo com todos os avanços, a prevenção ainda é a melhor forma de se cuidar.

“Em todas as relações sexuais se você tiver usado preservativo você não vai ficar com o peso da dúvida, você não vai carregar o peso de ter ou não adquirido alguma IST (infecção sexualmente transmissível). Então, a prevenção é a melhor forma de se cuidar”, finalizado.

Em caso de dúvidas, procure a Unidade de Saúde mais próxima. E neste carnaval, não se esqueça: escolha a melhor maneira para se proteger e curta a folia com segurança. O importante é não se descuidar. Pare, pense e use camisinha. Para saber mais, acesse aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.
 


Comente...

Cadastre-se

LOC.: Mais de duas milhões de camisinhas começaram a ser distribuídas para a população da Paraíba. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, todos os 223 municípios paraibanos serão abastecidos com grandes quantidades de preservativos para atender o período de carnaval. A ação tem o objetivo de conscientizar os foliões sobre a importância do uso do preservativo para prevenir o risco de infecções sexualmente transmissíveis (IST), como o HIV, por exemplo.

Nos últimos anos, o número de pessoas que vivem com HIV tem aumentado no Brasil, sendo que 73% dos novos casos são em homens. Entre esses um quinto está entre os jovens na faixa dos 15 aos 24 anos. Somente na Paraíba, no período de 2007 a 2018, houve um aumento de 300% nos casos de HIV. Em 2019, já foram notificados sete novos casos no estado.

A gerente operacional das IST/HIV/Aids/Hepatites Virais, Ivoneide Lucena, explica que todas as pessoas já podem buscar as camisinhas nos serviços de saúde, sem passar por nenhuma consulta. Basta pegar na recepção a quantidade que necessitar.
 

TEC./SONORA: Ivoneide Lucena, gerente operacional das IST/HIV/Aids/hepatites virais da Paraíba

“As pessoas podem passar no serviço de saúde, não precisa ter uma consulta médica, nem consulta de enfermagem. Qualquer pessoa pode passar na recepção e solicitar a quantidade de preservativo masculino que quiser. Pode levar para a galera, para a turma, para a vizinhança, para os colegas que vão sair nas festividades do carnaval. Então, (todos) podem pegar no serviço de saúde e também terão a oportunidade de pegar as camisinhas nas festas, através das equipes que estarão distribuindo.”
 

LOC.: Diagnosticado com HIV em 1998, o veterinário aposentado Valdomiro Gomes, de 46 anos, ressalta a importância do uso de preservativos para prevenir infecções sexualmente transmissíveis. Há mais de 20 anos vivendo com HIV, Valdomiro é um dos fundadores de uma entidade que apoia pessoas com HIV. Ele conta que, em todos esses anos de trabalho, os métodos de tratamento e combate à doença evoluíram bastante. 

TEC./SONORA: Valdomiro Gomes, personagem

“Do ponto de vista da assistência, nós temos aqui na Paraíba uma assistência relativamente boa. Então, a gente tem uma assistência relativamente boa. Mas, claro, a gente tem algumas dificuldades, como os problemas com as pessoas que vem do interior, porque geralmente são pessoas de baixa condição de renda. Porque os centros de tratamento, eles estão concentrados principalmente na região metropolitana de João Pessoa, da capital.”

LOC.: A gerente operacional das IST/HIV/Aids/Hepatites Virais, Ivoneide Lucena, informa que o estado disponibiliza para a sociedade a possibilidade da realização de teste rápido de HIV. Ela ressalta, porém, que mesmo com todos os avanços, a prevenção ainda é a melhor forma de se cuidar. 

TEC./SONORA: Ivoneide Lucena, gerente operacional das IST/HIV/Aids/hepatites virais da Paraíba

“Em todas as relações sexuais se você tiver usado preservativo você não vai ficar com o peso da dúvida, você não vai carregar o peso de ter ou não adquirido alguma IST (infecção sexualmente transmissível). Então, a prevenção é a melhor forma de se cuidar.”
 

LOC.: Em caso de dúvidas, procure a Unidade de Saúde mais próxima. E neste carnaval, não se esqueça: escolha a melhor maneira para se proteger e curta a folia com segurança. O importante é não se descuidar. Pare, pense e use camisinha. Para saber mais, acesse aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.