Menu

PARANÁ: Estado intensifica campanha de prevenção à aids e distribui 3 milhões de preservativos

Há trabalhos nos 399 municípios e equipes distribuídas por todo o litoral paranaense. Todos os postos de saúde e as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) também terão preservativos para que a população se previna.

Banners
Foto: Divulgação internet

 O estado do Paraná tem dedicado atenção à prevenção, ao diagnóstico e ao tratamento do HIV e das IST, as infecções sexualmente transmissíveis. Dados preliminares da Coordenação de Aids, Hepatites Virais e Tuberculose mostram que o estado registrou, somente no ano passado, aproximadamente 2,2 mil casos de HIV e 986 de aids. Para o carnaval, os esforços estão intensificados, inclusive, com a distribuição de três milhões de preservativos para todo o estado do Paraná.

As ações tiveram início no começo do ano. Há trabalhos nos 399 municípios e equipes distribuídas por todo o litoral paranaense. Todos os postos de saúde e as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) também terão preservativos para que a população se previna, como explica a responsável técnica da Coordenação Estadual de Aids, Hepatites Virais e Tuberculose, da Secretaria de Saúde do Paraná, Mara Carmem Franzoloso.

“O preservativo é um método seguro e uma das melhores barreiras para prevenir o HIV. Como a gente fala sempre que precisa ter essa prevenção, com o uso do preservativo, do sexo seguro, a gente reforça também que nenhuma prevenção é suficiente isoladamente. A pessoa precisa saber, estar orientada como se pega essas doenças e como evitar", alerta.
 
Em todo o país, municípios também realizam as suas campanhas, com orientações à população, distribuição de preservativos. A partir do diagnóstico positivo, o tratamento do HIV também é gratuito. O produtor de eventos Paulo Wesley, de 47 anos, aderiu ao tratamento desde a descoberta da sua infecção e hoje está saudável.

 “Eu acho que, quanto mais moderno e com menos efeitos colaterais dos medicamentos a adesão acaba sendo simplificada. Do que vários comprimidos ao dia, por exemplo. E quando você consegue trazer isso pra dois comprimidos ao dia, a adesão acontece", pondera.

No Paraná, um dos esforços é para manter 90% das pessoas vivendo com HIV diagnosticadas. Desse grupo, o objetivo é que 90% estejam em tratamento com antirretrovirais e que 90% dessas pessoas apresentem carga viral indetectável, quando as chances de transmissão são menores. Por isso, nesse carnaval, pare, pense e use camisinha. Procure uma unidade de saúde mais próxima e garanta a sua proteção. Legal é se divertir com segurança. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: O estado do Paraná tem dedicado atenção à prevenção, ao diagnóstico e ao tratamento do HIV e das IST, as infecções sexualmente transmissíveis. Dados preliminares da Coordenação de Aids, Hepatites Virais e Tuberculose mostram que o estado registrou, somente no ano passado, aproximadamente 2,2 mil casos de HIV e 986 de aids. Para o carnaval, os esforços estão intensificados, inclusive, com a distribuição de três milhões de preservativos para todo o estado do Paraná.

As ações tiveram início no começo do ano. Há trabalhos nos 399 municípios e equipes distribuídas por todo o litoral paranaense. Todos os postos de saúde e as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) também terão preservativos para que a população se previna, como explica a responsável técnica da Coordenação Estadual de Aids, Hepatites Virais e Tuberculose, da Secretaria de Saúde do Paraná, Mara Carmem Franzoloso.
 

TEC./SONORA: Mara Carmem Franzoloso, responsável técnica da Coordenação Estadual de Aids, Hepatites Virais e Tuberculose, da Secretaria de Saúde do Paraná.

“O preservativo é um método seguro e uma das melhores barreiras para prevenir o HIV. Como a gente fala sempre que precisa ter essa prevenção, com o uso do preservativo, do sexo seguro, a gente reforça também que nenhuma prevenção é suficiente isoladamente. A pessoa precisa saber, estar orientada como se pega essas doenças e como evitar”. 
 

LOC.: Em todo o país, municípios também realizam as suas campanhas, com orientações à população, distribuição de preservativos. A partir do diagnóstico positivo, o tratamento do HIV também é gratuito. O produtor de eventos Paulo Wesley, de 47 anos, aderiu ao tratamento desde a descoberta da sua infecção e hoje está saudável.

TEC./SONORA: Paulo Wesley, produtor de eventos. 

 “Eu acho que, quanto mais moderno e com menos efeitos colaterais dos medicamentos a adesão acaba sendo simplificada. Do que vários comprimidos ao dia, por exemplo. E quando você consegue trazer isso pra dois comprimidos ao dia, a adesão acontece.”
 


LOC.: No Paraná, um dos esforços é para manter 90% das pessoas vivendo com HIV diagnosticadas. Desse grupo, o objetivo é que 90% estejam em tratamento com antirretrovirais e que 90% dessas pessoas apresentem carga viral indetectável, quando as chances de transmissão são menores. Por isso, nesse carnaval, pare, pense e use camisinha. Procure uma unidade de saúde mais próxima e garanta a sua proteção. Legal é se divertir com segurança. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde, Governo Federal. Pátria Amada Brasil.