Menu

PERNAMBUCO: Famoso pela alegria, carnaval também exige responsabilidades, alerta gestora de saúde

Na busca pela prevenção do HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as chamadas IST, o preservativo é o principal aliado do folião

Banners
Foto: Divulgação

O carnaval de Pernambuco é um dos mais famosos e tradicionais do Brasil. A festa que reúne milhões de foliões é sempre marcada por muita alegria e diversão. Mas a folia também exige responsabilidades. Além dos cuidados naturais com hidratação e alimentação, é preciso estar atento ao uso da camisinha. Na busca pela prevenção do HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as chamadas IST, o preservativo é o principal aliado do folião. Segundo a gerente do Programa Estadual de IST/Aids e Hepatites Virais, Camila Dantas, nada é mais seguro do que se prevenir da maneira correta.

“É muito melhor a gente fazer o uso do preservativo e evitar uma infecção. Então, o que a gente sempre fala, que mesmo no meio da folia, em meio a muito brilho, muita fantasia, bebida alcóolica, as pessoas devem usar camisinha, nada pode ser uma desculpa”, afirma. 

A gestora antecipou que a ideia da campanha de prevenção neste ano é seguir os exemplos das desenvolvidas anteriormente, quando foram instaladas tendas de distribuição de camisinhas em grande parte dos blocos de rua.

Camila Dantas, gerente do Programa Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais. 

“A ideia é – anualmente como a gente vem fazendo – ter nossos trabalhadores da Secretaria de Saúde nas ruas, distribuindo os preservativos. Os municípios também montam sua estratégia de distribuição de preservativo. Mas uma coisa que nós sempre fazemos nos maiores blocos, nós estamos com equipe estruturada para poder fazer essa distribuição.”

De acordo com dados da Secretaria de Saúde de Pernambuco, o estado registrou, desde 1983, 26.657 ocorrências de aids. Desse total, 17.339 acometeram homens e 9.318, mulheres.  Os registros, no entanto, tem caído ao longo dos últimos anos. Foram 1.263 ocorrências em 2015, 1.170 em 2016 e 1.001 em 2017, o que, segundo a secretaria, representa uma redução de 20,7% no período. Entre os casos de HIV em Pernambuco, está o de um jornalista de 30 anos, morador do Recife, que prefere não se identificar. Ele fala sobre a importância do tratamento e do diagnóstico da doença. 

“Não tem coisa melhor do que quando você se conhece por inteiro e saber do que acontece com você. Quando você sabe o que acontece com seu fisiológico, é mais fácil lidar com qualquer tipo de situação. Se você tiver, se alguém for diagnosticado com HIV, é muito melhor fazer o tratamento. Muito melhor fazer o tratamento e saber que você tem essa infecção do que ficar com essa venda no olho. Realmente pode acontecer com você ou então com seus parceiros”, conta.

Por isso, informe-se ao máximo e não se descuide! A dica é simples para os foliões: pare, pense e use camisinha. Em caso de dúvida, procure uma unidade de saúde! Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil. 


Comente...

Cadastre-se

LOC.: O carnaval de Pernambuco é um dos mais famosos e tradicionais do Brasil. A festa que reúne milhões de foliões é sempre marcada por muita alegria e diversão. Mas a folia também exige responsabilidades. Além dos cuidados naturais com hidratação e alimentação, é preciso estar atento ao uso da camisinha. Na busca pela prevenção do HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as chamadas IST, o preservativo é o principal aliado do folião. Segundo a gerente do Programa Estadual de IST/Aids e Hepatites Virais, Camila Dantas, nada é mais seguro do que se prevenir da maneira correta.

TEC./SONORA: Camila Dantas, gerente do Programa Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais. 

“É muito melhor a gente fazer o uso do preservativo e evitar uma infecção. Então, o que a gente sempre fala, que mesmo no meio da folia, em meio a muito brilho, muita fantasia, bebida alcóolica, as pessoas devem usar camisinha, nada pode ser uma desculpa.” 

LOC.: A gestora antecipou que a ideia da campanha de prevenção neste ano é seguir os exemplos das desenvolvidas anteriormente, quando foram instaladas tendas de distribuição de camisinhas em grande parte dos blocos de rua.

TEC./SONORA: Camila Dantas, gerente do Programa Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais. 

“A ideia é – anualmente como a gente vem fazendo – ter nossos trabalhadores da Secretaria de Saúde nas ruas, distribuindo os preservativos. Os municípios também montam sua estratégia de distribuição de preservativo. Mas uma coisa que nós sempre fazemos nos maiores blocos, nós estamos com equipe estruturada para poder fazer essa distribuição.”
 

LOC.: De acordo com dados da Secretaria de Saúde de Pernambuco, o estado registrou, desde 1983, 26.657 ocorrências de aids. Desse total, 17.339 acometeram homens e 9.318, mulheres.  Os registros, no entanto, tem caído ao longo dos últimos anos. Foram 1.263 ocorrências em 2015, 1.170 em 2016 e 1.001 em 2017, o que, segundo a secretaria, representa uma redução de 20,7% no período. Entre os casos de HIV em Pernambuco, está o de um jornalista de 30 anos, morador do Recife, que prefere não se identificar. Ele fala sobre a importância do tratamento e do diagnóstico da doença. 

TEC./SONORA: Jornalista, 30 anos, preferiu não se identificar. 

“Não tem coisa melhor do que quando você se conhece por inteiro e saber do que acontece com você. Quando você sabe o que acontece com seu fisiológico, é mais fácil lidar com qualquer tipo de situação. Se você tiver, se alguém for diagnosticado com HIV, é muito melhor fazer o tratamento. Muito melhor fazer o tratamento e saber que você tem essa infecção do que ficar com essa venda no olho. Realmente pode acontecer com você ou então com seus parceiros.”
 

LOC.: Por isso, informe-se ao máximo e não se descuide! A dica é simples para os foliões: pare, pense e use camisinha. Em caso de dúvida, procure uma unidade de saúde! Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.