Menu

Pernambuco terá de qualificar 270 mil trabalhadores em profissões industriais até 2023

Segundo Mapa do Trabalho Industrial, do SENAI, áreas de metalmecânica e energia e telecomunicações demandarão técnicos capacitados em quatro anos

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Divulgação: CNI

O estado de Pernambuco terá de qualificar 270.982 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo o coordenador de Economia da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), Cezar Andrade, a ocupação das vagas abertas depende da qualificação dos trabalhadores.

“A maior dificuldade dos empresários, tanto da indústria quanto fora dela, é justamente a mão de obra qualificada. Não faltam pessoas procurando emprego. Não falta emprego. O que falta é gente qualificada para assumir as funções”, avalia.

Para Andrade, o SENAI está preparado para capacitar trabalhadores em diversas áreas, inclusive metalmecânica, que está entre as áreas que mais precisarão de profissionais qualificados nos próximos anos.

“A gente tem uma demanda bem alta nos cursos de metalmecânica, alimentos, confecção e vestuário, construção civil. O SENAI está preparado para ofertar esses cursos para capacitar esses profissionais”, completou.

Qualificação profissional

O setor da construção civil terá a maior demanda por formação de cursos de educação profissional com carga horária inferior a 200 horas. Nos próximos quatro anos, 37.836 trabalhadores precisam estar capacitados para atuarem no estado.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Pernambuco (Sinduscon-PE), José Antônio Simón, explica que as empresas investem na capacitação dos trabalhadores da área da construção civil no estado para que a cadeia produtiva do setor se mantenha atualizada.

“Temos uma atuação muito grande com a capacitação da mão de obra por meio de cursos e de programas. Estamos investindo maciçamente. Com isso, esperamos promover a especialização de toda a cadeia que produz dentro do setor”, explicou.

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Na avaliação do deputado federal Sebastião Oliveira (PL-PE), a educação técnica é uma ferramenta fundamental na geração de oportunidades para a população mais pobre.

“É fundamental essa excelência de conhecimento para inserção da juventude no mercado de trabalho. Isso é feito por meio da capacitação, de cursos técnicos. Esses instrumentos são fundamentais na capacitação para o mercado de trabalho, para a indústria e para a área de serviços, por exemplo. Aqui em Pernambuco, foi o que alavancou o crescimento do estado”, pontua.

O Mapa do Trabalho Industrial mostra ainda que entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados, estão as de operadores de máquinas para costura de peças do vestuário (7.254); e pedreiros, confeiteiros e afins (4.125).

Para quem tiver interesse em saber mais sobre alguma dessas áreas, é só acessar pe.senai.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI. Mais informações podem consultadas pelo telefone 0800 600 9606.
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

LOC.: O estado de Pernambuco terá de qualificar 270.982 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo o coordenador de Economia da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), Cezar Andrade, a ocupação das vagas abertas depende da qualificação dos trabalhadores.

TEC./SONORA: Cezar Andrade, coordenador de Economia da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE)
 

“A maior dificuldade dos empresários, tanto da indústria quanto fora dela, é justamente a mão de obra qualificada. Não faltam pessoas procurando emprego. Não falta emprego. O que falta é gente qualificada para assumir as funções.”

LOC.: O setor da construção civil terá a maior demanda por formação de cursos de educação profissional com carga horária inferior a 200 horas. Nos próximos quatro anos, 37.836 trabalhadores precisam estar capacitados para atuarem no estado.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Pernambuco (Sinduscon-PE), José Antônio Simón, explica que as empresas investem na capacitação dos trabalhadores da área da construção civil no estado para que a cadeia produtiva do setor se mantenha atualizada.

TEC./SONORA: José Antônio Simón, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco (Sinduscon-PE)
 

“Temos uma atuação muito grande com a capacitação da mão de obra por meio de cursos e de programas. Estamos investindo maciçamente. Com isso, esperamos promover a especialização de toda a cadeia que produz dentro do setor.”

LOC.: Na avaliação do deputado federal Sebastião Oliveira (PL-PE), a educação técnica é uma ferramenta fundamental na geração de oportunidades para a população mais pobre.

TEC./SONORA: Sebastião Oliveira (PL-PE), deputado federal
 

“É fundamental essa excelência de conhecimento para inserção da juventude no mercado de trabalho. Isso é feito por meio da capacitação, de cursos técnicos. Esses instrumentos são fundamentais na capacitação para o mercado de trabalho, para a indústria e para a área de serviços, por exemplo. Aqui em Pernambuco, foi o que alavancou o crescimento do estado.”

LOC.: O Mapa do Trabalho Industrial mostra ainda que entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados, estão as de operadores de máquinas para costura de peças do vestuário (7.254); e pedreiros, confeiteiros e afins (4.125).

Para quem tiver interesse em saber mais sobre alguma dessas áreas, é só acessar pe.senai.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI. Mais informações podem consultadas pelo telefone 0800 600 9606. Repetindo: 0800 600 9606.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes