Menu

Podcast #56 - Pausa para Saúde: Infecção Hospitalar

Podcast da semana vai tratar sobre infecção hospitalar

Banners
Foto: EBC

JANARY: Sempre que a gente vai até um hospital, clínica ou qualquer tipo de unidade de saúde, nosso objetivo é receber o atendimento necessário para melhorar nossa condição de saúde, seja ela qual for. Mas e se, ao invés de ter uma recuperação mais rápida, você sair com o corpo um pouco mais debilitado do que quando chegou? Pois é, essa situação é muito ruim, mas é possível de ocorrer. Nesse caso, eu estou falando das infecções hospitalares e esse é o tema do nosso podcast desta semana! Eu sou Janary Damacena, e estou acompanhado pelo Rafael Santos na edição de áudio e por XXX.

LOC 2: Pois é, nas unidades de saúde, bactérias, vírus e muitos outros microrganismos, encontram um ambiente propício para ser transmitidos de uma pessoa para outra. É por isso que, de vez em quando, a gente escuta falar de casos de infecções adquiridas nesses ambientes ou até mesmo depois de o paciente receber a alta. Imagina como é perigosa essa facilidade de transmissão em pessoas consideradas pacientes de risco, como as crianças e os idosos, portadores de diabetes, pacientes com o sistema imunológico deprimido, os que usaram antibióticos por prazo longo, ou foram submetidos a procedimentos invasivos como cirurgias. Janary, você sabia que a gente usa esse termo “genérico” de infecção hospitalar, mas o assunto é muito mais amplo?

LOC [JANARY]: Não fazia a menor ideia disso, achei que era, inclusive, um termo técnico para caracterizar essa situação...

LOC 2: Mas não é. E nessa edição do Pausa para Saúde a gente está com a presença da Ana Maria Costa Cândido, que é coordenadora substituta Geral de Atenção Hospitalar do Ministério da Saúde, para falar um pouco mais sobre esse assunto. Então para começar, eu queria saber como devemos chamar esse tipo de infecção...

SONORA [ANA MARIA]

LOC [JANARY]: Nenhum tipo de infecção pode ser considerada boa né? Mas nesses casos, é possível que a infecção seja tão grave ao ponto de levar uma pessoa à morte?

SONORA [ANA MARIA]

LOC 2: Como é realizado o tratamento dessas infecções?

SONORA [ANA MARIA]

LOC [JANARY]: Quando a gente fala de cuidados para evitar doenças, nós pensamos em formas práticas para nos prevenir. Nesse caso, uma pessoa que está em um ambiente de assistência à saúde, que está lá porque já foi acometida por algum tipo de problema, qual o tipo de cuidado ela precisa ter para não complicar sua situação?

SONORA [ANA MARIA]

LOC 2: Então como a senhora está explicando, essas infecções não são algo que o paciente pode pegar pelo ar, ou tomando uma água, nada desse tipo, certo?

SONORA [ANA MARIA]

LOC [JANARY]: Isso quer dizer, então, que os profissionais de saúde também devem ficar bastante atentos com as questões de higiene?

SONORA [ANA MARIA]

LOC 2: Como é que um paciente, que já foi atendido em uma unidade de saúde, pode ficar mais atento aos sintomas de uma infecção desse tipo?

SONORA [ANA MARIA]

LOC [JANARY]: O uso racional e seguro de medicamentos também é uma questão importante de a gente destacar nesse assunto das infecções em ambientes de assistência à saúde. O que a senhora pode falar a esse respeito?

SONORA [ANA MARIA]

LOC 2: Tá certo, tudo pela melhor assistência à população! Mas infelizmente o nosso tempo de podcast acabou e teremos de encerrar essa edição. E se você gostou e quiser ouvir outros programas e acompanhar nosso Podcast é só ficar e olho nas nossas redes sociais. Facebook.com/minsaude e pelo twitter, @minsaude.

LOC [JANARY]: Além disso, se você quiser participar do nosso programa, é só enviar uma mensagem pro nosso WhatsApp pelo telefone (61) 9-9288-9677. Mande em formato dizendo formato de áudio dizendo o seu nome, cidade e estado. Exemplo: Meu nome é Janary Damacena, sou de Brasília, Distrito Federal. E então, fale sua dúvida, sugestão, conte sua história ou diga um tema para o Podcast.  Lembrando: nosso telefone é (61) 9-9288-9677.

Juliana Gonçalves

A carreira jornalística de Juliana deu início com assessoria de imprensa. Após um tempo, entrou como estagiária na redação da Agência do Rádio. Trabalhou, também, na TV Band com foco em política por um tempo e voltou para nossa redação como repórter em 2018.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

JANARY: Sempre que a gente vai até um hospital, clínica ou qualquer tipo de unidade de saúde, nosso objetivo é receber o atendimento necessário para melhorar nossa condição de saúde, seja ela qual for. Mas e se, ao invés de ter uma recuperação mais rápida, você sair com o corpo um pouco mais debilitado do que quando chegou? Pois é, essa situação é muito ruim, mas é possível de ocorrer. Nesse caso, eu estou falando das infecções hospitalares e esse é o tema do nosso podcast desta semana! Eu sou Janary Damacena, e estou acompanhado pelo Rafael Santos na edição de áudio e por XXX.

LOC 2: Pois é, nas unidades de saúde, bactérias, vírus e muitos outros microrganismos, encontram um ambiente propício para ser transmitidos de uma pessoa para outra. É por isso que, de vez em quando, a gente escuta falar de casos de infecções adquiridas nesses ambientes ou até mesmo depois de o paciente receber a alta. Imagina como é perigosa essa facilidade de transmissão em pessoas consideradas pacientes de risco, como as crianças e os idosos, portadores de diabetes, pacientes com o sistema imunológico deprimido, os que usaram antibióticos por prazo longo, ou foram submetidos a procedimentos invasivos como cirurgias. Janary, você sabia que a gente usa esse termo “genérico” de infecção hospitalar, mas o assunto é muito mais amplo?

LOC [JANARY]: Não fazia a menor ideia disso, achei que era, inclusive, um termo técnico para caracterizar essa situação...

LOC 2: Mas não é. E nessa edição do Pausa para Saúde a gente está com a presença da Ana Maria Costa Cândido, que é coordenadora substituta Geral de Atenção Hospitalar do Ministério da Saúde, para falar um pouco mais sobre esse assunto. Então para começar, eu queria saber como devemos chamar esse tipo de infecção...

SONORA [ANA MARIA]

LOC [JANARY]: Nenhum tipo de infecção pode ser considerada boa né? Mas nesses casos, é possível que a infecção seja tão grave ao ponto de levar uma pessoa à morte?

SONORA [ANA MARIA]

LOC 2: Como é realizado o tratamento dessas infecções?

SONORA [ANA MARIA]

LOC [JANARY]: Quando a gente fala de cuidados para evitar doenças, nós pensamos em formas práticas para nos prevenir. Nesse caso, uma pessoa que está em um ambiente de assistência à saúde, que está lá porque já foi acometida por algum tipo de problema, qual o tipo de cuidado ela precisa ter para não complicar sua situação?

SONORA [ANA MARIA]

LOC 2: Então como a senhora está explicando, essas infecções não são algo que o paciente pode pegar pelo ar, ou tomando uma água, nada desse tipo, certo?

SONORA [ANA MARIA]

LOC [JANARY]: Isso quer dizer, então, que os profissionais de saúde também devem ficar bastante atentos com as questões de higiene?

SONORA [ANA MARIA]

LOC 2: Como é que um paciente, que já foi atendido em uma unidade de saúde, pode ficar mais atento aos sintomas de uma infecção desse tipo?

SONORA [ANA MARIA]

LOC [JANARY]: O uso racional e seguro de medicamentos também é uma questão importante de a gente destacar nesse assunto das infecções em ambientes de assistência à saúde. O que a senhora pode falar a esse respeito?

SONORA [ANA MARIA]

LOC 2: Tá certo, tudo pela melhor assistência à população! Mas infelizmente o nosso tempo de podcast acabou e teremos de encerrar essa edição. E se você gostou e quiser ouvir outros programas e acompanhar nosso Podcast é só ficar e olho nas nossas redes sociais. Facebook.com/minsaude e pelo twitter, @minsaude.

LOC [JANARY]: Além disso, se você quiser participar do nosso programa, é só enviar uma mensagem pro nosso WhatsApp pelo telefone (61) 9-9288-9677. Mande em formato dizendo formato de áudio dizendo o seu nome, cidade e estado. Exemplo: Meu nome é Janary Damacena, sou de Brasília, Distrito Federal. E então, fale sua dúvida, sugestão, conte sua história ou diga um tema para o Podcast.  Lembrando: nosso telefone é (61) 9-9288-9677.