Menu

PREVENÇÃO: Ministério da Saúde antecipa campanha de combate ao Aedes aegypti

Você sabia que combater o mosquito Aedes aegypti durante todo o ano é muito importante para evitar doenças como a dengue, zika e chikungunya?

Banners

Você sabia que combater o mosquito Aedes aegypti durante todo o ano é muito importante para evitar doenças como a dengue, zika e chikungunya? Pois é, apesar de o mosquito preferir o calor e a época de chuvas para se reproduzir, mesmo durante as secas e o frio, é preciso fazer sua parte para acabar com esse perigo! Por isso, o Ministério da Saúde antecipou para este mês, a nova campanha de combate ao Aedes aegypti, que tradicionalmente era realizada em novembro. É o pontapé inicial para as ações de prevenção e eliminar de vez focos do mosquito. Mas a estratégia do Ministério da Saúde não é apenas essa, como explicou o ministro Luiz Henrique Mandetta.  

“A gente aposta também no controle biológico com as fábricas de insetário aonde o mosquito da dengue, com uma pequena bactéria que existe entre os mosquitos (que é colocada exatamente no lugar aonde iria o vírus), quer dizer, o vírus não tem mais como pegar carona no mosquito. Então isso daí nos eliminaria muitos casos de chikungunya e zika. E o Ministério da Saúde aumenta recursos e vem fazendo essa pesquisa para tentar chegar numa solução melhor”.

Essa estratégia é chamada de método Wolbachia: um microrganismo que reduz a capacidade de o mosquito transmitir doenças. Desta forma, o Wolbachia é inserido artificialmente em mosquitos para que eles se misturem à natureza e diminua o risco de transmissão de dengue, zika e chikungunya. Só é importante lembrar que essa ação é complementar, então continua necessário que a população adote medidas de prevenção como tirar 10 minutos do dia para descartar o lixo em local adequado, não acumular água em recipientes no quintal ou dentro de casa. 
 

Janary Bastos Damacena



Cadastre-se

Você sabia que combater o mosquito Aedes aegypti durante todo o ano é muito importante para evitar doenças como a dengue, zika e chikungunya? Pois é, apesar de o mosquito preferir o calor e a época de chuvas para se reproduzir, mesmo durante as secas e o frio, é preciso fazer sua parte para acabar com esse perigo! Por isso, o Ministério da Saúde antecipou para este mês, a nova campanha de combate ao Aedes aegypti, que tradicionalmente era realizada em novembro. É o pontapé inicial para as ações de prevenção e eliminar de vez focos do mosquito. Mas a estratégia do Ministério da Saúde não é apenas essa, como explicou o ministro Luiz Henrique Mandetta.  

“A gente aposta também no controle biológico com as fábricas de insetário aonde o mosquito da dengue, com uma pequena bactéria que existe entre os mosquitos (que é colocada exatamente no lugar aonde iria o vírus), quer dizer, o vírus não tem mais como pegar carona no mosquito. Então isso daí nos eliminaria muitos casos de chikungunya e zika. E o Ministério da Saúde aumenta recursos e vem fazendo essa pesquisa para tentar chegar numa solução melhor”.

Essa estratégia é chamada de método Wolbachia: um microrganismo que reduz a capacidade de o mosquito transmitir doenças. Desta forma, o Wolbachia é inserido artificialmente em mosquitos para que eles se misturem à natureza e diminua o risco de transmissão de dengue, zika e chikungunya. Só é importante lembrar que essa ação é complementar, então continua necessário que a população adote medidas de prevenção como tirar 10 minutos do dia para descartar o lixo em local adequado, não acumular água em recipientes no quintal ou dentro de casa.