Menu

PREVENÇÃO: Porto de Santos é o primeiro porto brasileiro a receber simulado para Ebola

Nesta quarta-feira, o Brasil realizou o primeiro simulado em um porto, para caso suspeito de Ebola. Mais de 150 pessoas participaram do treinamento, realizado no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, com uma embarcação não ancorada. A simulação foi um treinamento das instituições envolvidas para casos reais de suspeita da doença no país.

Banners

Tempo de áudio – 02'13''

REPÓRTER: Nesta quarta-feira, o Brasil realizou o primeiro simulado em um porto, para caso suspeito de Ebola. Mais de 150 pessoas participaram do treinamento, realizado no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, com uma embarcação não ancorada. O simulado foi promovido pelo Ministério da Saúde, a Secretaria de Portos da Presidência da República e a Companhia Docas do Estado de São Paulo, além da Agência Nacional de Vigilância Sanitária em parceria com outras 12 instituições. A simulação foi um treinamento das instituições envolvidas para casos reais de suspeita da doença no país. A coordenadora geral de vigilância em saúde ambiental do Ministério da Saúde, Daniela Buosi, explica que a simulação segue os mesmos procedimentos que estão no protocolo.

SONORA: coordenadora geral de vigilância em saúde ambiental do Ministério da Saúde - Daniela Buosi

"Começa desde o acionamento por meio do comandante do navio segue todo o rito portuário até o ponto de retirar o caso suspeito. Ele é um processo para emergência em saúde pública ou qualquer tipo de intercorrência dentro de uma embarcação e a gente procurou testar esse processo para ver se ele estava totalmente como desenhado, ele está sendo realizado na prática. Então o importante da gente reforçar isso, que o que a gente fez aqui como uma encenação, é o que está desenhado no protocolo e é como vai ocorrer na vida real se a gente tiver qualquer tipo de emergência em saúde pública".

REPÓRTER: O médico, Daniel de Moraes, foi voluntário para participar da simulação para caso suspeito de Ebola no porto de Santos. Ele conta que o simulado serviu como aprendizado para uma situação real de caso da doença.

SONORA: médico - Daniel de Moraes

"Bem positivo. Nunca no Brasil teve num porto um simulado como esse. É um aprendizado não só para nós como para todos os portos do Brasil, para a gente ver os nossos erros e aprimorar para um eventual caso de Ebola, de uma outra doença, que venha a chegar nos portos brasileiros".

REPÓRTER: De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o risco de transmissão da doença por viajante internacional é considerado baixo. Até o momento, foi registrado apenas um caso suspeito de Ebola no País. Para saber mais sobre o simulado para Ebola, acesse o site do Ministério da Saúde: www.saude.gov.br

Reportagem, Karina Chagas

Agência do Rádio



Cadastre-se