Menu

Processos trabalhistas caem 32% sob efeito da reforma promovida em 2017

Cerca de 700 mil processos deixaram de ser abertos na Justiça. A principal causa é o pagamento dos advogados vencedores por parte de quem perde a ação

Banners
Internet Divulgação

Os processos trabalhistas diminuíram 32%, em 2019, em comparação com dados levantados pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), em 2017, quando as novas regras previstas na reforma trabalhista passaram a valer.

De acordo com os dados do TST, entre janeiro e outubro de 2017, as varas trabalhistas tinham mais de 2,2 milhões de processos. No mesmo período de 2019, a quantidade de processos caiu em cerca de 700 mil e, hoje, não passa de 1,5 milhões.

Segundo especialistas ouvidos pelo site do jornal Folha de São Paulo, a principal causa para a queda do número de processos na Justiça trabalhista é a regra instituída pela reforma que impõe a parte vencida a obrigatoriedade de pagar os honorários dos advogados da parte vitoriosa nos processos.

A reforma trabalhista foi aprovada no Congresso Nacional e sancionada durante o governo de Michel Temer, em novembro de 2017.

Cristiano Carlos

Cristiano é jornalista formado pela Universidade Católica de Brasília, com larga experiência em emissoras de rádio, desde 2002. Como repórter trabalha na cobertura do Congresso Nacional, em Brasília, na produção de conteúdos sobre o dia a dia dos bastidores, da atuação dos parlamentares, nas comissões e nos plenários do Senado e Câmara dos Deputados. Acompanhou as campanhas eleitorais nacionais em 2014 e 2018. Também atua nas editorias de educação, saúde e esportes.


Cadastre-se

LOC: Os processos trabalhistas diminuíram 32%, em 2019, em comparação com dados levantados pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), em 2017, quando as novas regras previstas na reforma trabalhista passaram a valer.

De acordo com os dados do TST, entre janeiro e outubro de 2017, as varas trabalhistas tinham mais de 2,2 milhões de processos. No mesmo período de 2019, a quantidade de processos caiu em cerca de 700 mil e, hoje, não passa de 1,5 milhões.

Segundo especialistas ouvidos pelo site do jornal Folha de São Paulo, a principal causa para a queda do número de processos na Justiça trabalhista é a regra instituída pela reforma que impõe a parte vencida a obrigatoriedade de pagar os honorários dos advogados da parte vitoriosa nos processos.

A reforma trabalhista foi aprovada no Congresso Nacional e sancionada durante o governo de Michel Temer, em novembro de 2017.

Reportagem, Cristiano Carlos