Menu

Proposta da Previdência estabelece idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres

Proposta da Previdência estabelece idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres. Texto será enviado ao Congresso após assinatura do presidente Jair Bolsonaro, o que está previsto para a próxima quarta-feira (20)

Banners
Rogério Marinho apresentou idade mínima de aposentadoria nesta quinta (14) - Foto: Antônio  Cruz / Agência Brasil

Depois de idas e vindas, o governo federal enfim bateu o martelo sobre a reforma da Previdência. O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou nesta quinta-feira (14) que o texto prevê idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres no período de transição de 12 anos.

Pelo atual regime previdenciário, há a possiblidade de se aposentar sem idade mínima, desde que haja 35 anos de contribuição para homens e 30 para mulheres. Homens com 65 anos e mulheres com 60 podem se aposentar desde que tenham no mínimo 15 anos de contribuição. Há ainda a regra 86 por 96, em que se soma o tempo de serviço e de contribuição – a soma deve resultar em 86 para mulheres e 96 para homens.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o texto da reforma precisa de aprovação de 308 dos 513 deputados na Câmara, o que representa três quintos da Casa, antes de ser enviado ao Senado Federal.

De acordo com o governo, a proposta vai ser assinada pelo presidente Jair Bolsonaro na próxima quarta (20) e depois será enviada ao Congresso. O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirma que Jair Bolsonaro defendia que a reforma tivesse mais tempo de transição.

“O presidente defendia 65 e 60 anos e uma transição bem mais longa. Nós conversamos com ele, e o presidente tem sensibilidade. Entendeu também as condições da economia e fez distinção de gênero. Ele acha importante que a mulher se aposente com menos tempo de contribuição e trabalho do que homem”.

Ainda segundo o secretário, o presidente pediu para que fossem divulgadas apenas algumas informações do texto a princípio. O inteiro teor da proposta será conhecido apenas no dia 20 de fevereiro.

Thiago Marcolini



Conteúdos relacionados

Cadastre-se

Depois de idas e vindas, o governo federal enfim bateu o martelo sobre a reforma da Previdência. O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou nesta quinta-feira (14) que o texto prevê idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres no período de transição de 12 anos.

Pelo atual regime previdenciário, há a possiblidade de se aposentar sem idade mínima, desde que haja 35 anos de contribuição para homens e 30 para mulheres. Homens com 65 anos e mulheres com 60 podem se aposentar desde que tenham no mínimo 15 anos de contribuição. Há ainda a regra 86 por 96, em que se soma o tempo de serviço e de contribuição – a soma deve resultar em 86 para mulheres e 96 para homens.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o texto da reforma precisa de aprovação de 308 dos 513 deputados na Câmara, o que representa três quintos da Casa, antes de ser enviado ao Senado Federal.

De acordo com o governo, a proposta vai ser assinada pelo presidente Jair Bolsonaro na próxima quarta (20) e depois será enviada ao Congresso. O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirma que Jair Bolsonaro defendia que a reforma tivesse mais tempo de transição.

“A equipe econômica defendeu para ele 65 anos iguais para os dois gêneros e uma transição de 10 anos, essa era a ideia da equipe. Depois de uma negociação com o presidente, o resultado é 65 para homens e 62 para mulheres, e uma transição de 12 anos”.

Ainda segundo o secretário, o presidente pediu para que fossem divulgadas apenas algumas informações do texto a princípio. O inteiro teor da proposta será conhecido apenas no dia 20 de fevereiro.

Reportagem, Thiago Marcolini