Menu

Receita Federal aciona PF após registrar acesso ilegal a informações fiscais de Bolsonaro

Medida foi tomada após ter sido identificado que dois funcionários do órgão acessaram sem permissão dados do presidente e de seus familiares

Banners
Foto: Receita Federal/Flickr

A Receita Federal abriu sindicância para apurar possível acesso ilegal de dois servidores a informações fiscais do presidente Jair Bolsonaro. A medida foi tomada após ter sido identificado que Bolsonaro e seus familiares tiveram dados acessados sem permissão.

Em nota divulgada na sexta-feira (5), a Receita informou que foi aberta uma sindicância que concluiu não haver motivação legal para a iniciativa dos funcionários do órgão.

O texto cita ainda que, diante dos fatos, a Polícia Federal foi notificada para apurar responsabilidade funcional dos envolvidos.

Não é a primeira vez que a Receita tem o nome incluído em questões desse tipo. Em fevereiro, o órgão abriu processo interno para apurar o vazamento de documentos em que auditores propunham uma investigação fiscal do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, e de sua mulher, Guiomar.

 

Juliana Gonçalves

A carreira jornalística de Juliana deu início com assessoria de imprensa. Após um tempo, entrou como estagiária na redação da Agência do Rádio. Trabalhou, também, na TV Band com foco em política por um tempo e voltou para nossa redação como repórter em 2018.


Cadastre-se

A Receita Federal abriu sindicância para apurar possível acesso ilegal de dois servidores a informações fiscais do presidente Jair Bolsonaro. A medida foi tomada após ter sido identificado que Bolsonaro e seus familiares tiveram dados acessados sem permissão.

Em nota divulgada na sexta-feira (5), a Receita informou que foi aberta uma sindicância que concluiu não haver motivação legal para a iniciativa dos funcionários do órgão.

O texto cita ainda que, diante dos fatos, a Polícia Federal foi notificada para apurar responsabilidade funcional dos envolvidos.

Não é a primeira vez que a Receita tem o nome incluído em questões desse tipo. Em fevereiro, o órgão abriu processo interno para apurar o vazamento de documentos em que auditores propunham uma investigação fiscal do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, e de sua mulher, Guiomar.

Reportagem, Juliana Gonçalves