Menu

RS: Estudante de Santa Cruz do Sul conquista certificado de excelência na maior competição de profissões técnicas do mundo

Cristiano de Castro Nunes e outros quatro gaúchos receberam reconhecimento por superar nível padrão mundial em suas modalidades. Único medalhista do estado, Carlos Augusto Brys levou o bronze

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners

Natural de Santa Cruz do Sul, Cristiano de Castro Nunes, de 18 anos, representou o Brasil na WorldSkills, maior competição de profissões técnicas do mundo. O jovem, que disputou na modalidade de Robótica Móvel, foi um dos cinco estudantes gaúchos que recebeu o certificado de excelência, dado aos competidores que superaram o nível padrão mundial em suas respectivas ocupações.

Ele conta que, durante a competição, aprendeu a lidar com a ansiedade, principalmente ao ver o nível de excelência dos projetos adversários.

“Esse certificado vale muito. Foi uma boa nota. Esse resultado não me deixa triste, pois, quando o resultado saiu, lembrei que demos o máximo no nosso projeto. Fico feliz com o resultado e estou satisfeito”, afirma Nunes.

Dos seis estudantes do Rio Grande do Sul que representaram o Brasil na WorldSkills 2019, Cristiano e mais quatro conseguiram certificados de excelência nas modalidades em que disputaram. São eles: Andressa Souza (Tecnologia de Mídia Impressa), de Cachoeirinha; Émerson Moraes (Robótica Móvel), de Rio Pardo; Bruna Rupolo (Cabeleireiro), de Parobé; e Sofia Lerner (Cozinha), de Porto Alegre. O único medalhista do estado foi Carlos Augusto Brys, 21 anos, de Sapucaia do Sul, que levou o bronze na modalidade de Instalações Elétricas Prediais.

Crédito: Ítalo Novais - Agência do Rádio Mais

 

A conquista dos estudantes brasileiros repercutiu entre os parlamentares no Congresso Nacional. Na opinião do deputado federal Darcísio Perondi (MDB-RS), a educação técnica profissional é o caminho mais curto para inserção de jovens no mercado de trabalho.

“Que a competição sirva de estímulo, de plataforma, para que não falte, em nenhum momento, dinheiro para o ensino profissionalizante”, defendeu Perondi.

Desempenho brasileiro
A delegação brasileira tem se estabelecido entre as equipes mais vitoriosas da WorldSkills. Foi a campeã na edição ocorrida em São Paulo, em 2015. Na edição de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em 2017, alcançou o segundo lugar. Em 2019, além das 13 medalhas, a delegação tupiniquim garantiu, ainda, 28 certificados de excelência, em 28 ocupações técnicas profissionais.

Na edição deste ano, 1.354 jovens de 63 países participaram do torneio. O Brasil ficou em terceiro lugar na classificação geral. A China, que sediará a próxima WorldSkills, em 2021, ficou em primeiro lugar. A Rússia, anfitriã do torneio, conquistou a segunda posição.
 

Jalila Arabi



Cadastre-se

LOC.: Natural de Santa Cruz do Sul, Cristiano de Castro Nunes, de 18 anos, representou o Brasil na WorldSkills, maior competição de profissões técnicas do mundo. O jovem, que disputou na modalidade de Robótica Móvel, foi um dos cinco estudantes gaúchos que recebeu o certificado de excelência, dado aos competidores que superaram o nível padrão mundial em suas respectivas ocupações.

Ele conta que, durante a competição, aprendeu a lidar com a ansiedade, principalmente ao ver o nível de excelência dos projetos adversários.
 

“Esse certificado vale muito. Foi uma boa nota. Esse resultado não me deixa triste, pois quando o resultado saiu, lembrei que demos o máximo no nosso projeto. Fico feliz com o resultado e estou satisfeito.” 

LOC.: Andressa Souza, de Cachoeirinha, na modalidade de Tecnologia de Mídia Impressa; Émerson Moraes, de Rio Pardo, em Robótica Móvel; Bruna Rupolo, de Parobé, na ocupação de Cabeleireiro; e Sofia Lerner, de Porto Alegre, na categoria Cozinha, foram os outros representantes gaúchos que, assim como Cristiano, conseguiram o certificado de excelência na competição.

O único medalhista do estado foi Carlos Augusto Brys, 21 anos, de Sapucaia do Sul, que levou o bronze na modalidade de Instalações Elétricas Prediais.

A conquista dos estudantes brasileiros repercutiu entre os parlamentares no Congresso Nacional. Na opinião do deputado federal Darcísio Perondi (MDB-RS), a educação técnica profissional é o caminho mais curto para inserção de jovens no mercado de trabalho.
 

“Que a competição sirva de estímulo, de plataforma, para que não falte, em nenhum momento, dinheiro para o ensino profissionalizante.”

LOC.: Na edição deste ano da WorldSkills, a delegação do Brasil ficou em 3º lugar no ranking total de pontos, com medalhas em 13 das 56 categorias em disputa. Além disso, os estudantes brasileiros conquistaram 28 certificados de excelência, em 28 ocupações.

Reportagem, Jalila Arabi.