Menu

Saiba identificar os sintomas da Hanseníase, doença que registra mais de 26 mil novos casos ao ano no país

Ao surgimento de qualquer mancha que tenha a perda ou diminuição da sensibilidade ao toque, ao calor ou frio, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima

Banners
Créditos: Ministério da Saúde

A Hanseníase é uma das doenças mais antigas conhecidas pelo homem. Apesar disso, hoje em dia, ela continua a gerar novos casos de infecção. Para se ter uma ideia, só em 2017, a Hanseníase atingiu mais de 210 mil pessoas em todo o mundo. Neste ranking, o Brasil ocupa a segunda posição, com mais de 26 mil novos casos ao ano. Em função disso, a doença permanece como um importante problema de saúde pública no país. A infecção pode acometer pessoas de ambos os sexos e de qualquer idade. Por isso, a coordenadora-geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação do Ministério da Saúde, Carmelita Ribeiro Filha, fala sobre os sintomas mais comuns da Hanseníase.  

Créditos: Ministério da Saúde

“A Hanseníase é uma doença que tem manifestação em pele, mas a hanseníase é uma doença primariamente neurológica. O que isso significa? Os nervos periféricos são os responsáveis pela sensação de dor, de calor, de frio... Por isso que as pessoas que têm sinais da Hanseníase podem ter uma mancha que tem alteração da sensibilidade, uma mancha dormente, podem ter um pé dormente e não ter mancha, ela pode ter formigamento em uma área do corpo.”

O importante é ficar atento aos sinais do seu corpo. Ao surgimento de qualquer mancha que tenha a perda ou diminuição da sensibilidade ao toque, ao calor ou frio, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima. Quanto mais cedo o diagnóstico, menores as chances de sequelas. A Hanseníase tem cura e o tratamento está disponível gratuitamente no SUS. Por isso, não esqueça: identificou, tratou, curou. Para mais informações acesse saúde.gov.br/hanseníase.

Créditos: Ministério da Saúde

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: A Hanseníase é uma das doenças mais antigas conhecidas pelo homem. Apesar disso, hoje em dia, ela continua a gerar novos casos de infecção. Para se ter uma ideia, só em 2017, a Hanseníase atingiu mais de 210 mil pessoas em todo o mundo. Neste ranking, o Brasil ocupa a segunda posição, com mais de 26 mil novos casos ao ano. Em função disso, a doença permanece como um importante problema de saúde pública no país. A infecção pode acometer pessoas de ambos os sexos e de qualquer idade. Por isso, a coordenadora-geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação do Ministério da Saúde, Carmelita Ribeiro Filha, fala sobre os sintomas mais comuns da Hanseníase.  

“A Hanseníase é uma doença que tem manifestação em pele, mas a hanseníase é uma doença primariamente neurológica. O que isso significa? Os nervos periféricos são os responsáveis pela sensação de dor, de calor, de frio... Por isso que as pessoas que têm sinais da Hanseníase podem ter uma mancha que tem alteração da sensibilidade, uma mancha dormente, podem ter um pé dormente e não ter mancha, ela pode ter formigamento em uma área do corpo.”

LOC.: O importante é ficar atento aos sinais do seu corpo. Ao surgimento de qualquer mancha que tenha a perda ou diminuição da sensibilidade ao toque, ao calor ou frio, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima. Quanto mais cedo o diagnóstico, menores as chances de sequelas. A Hanseníase tem cura e o tratamento está disponível gratuitamente no SUS. Por isso, não esqueça: identificou, tratou, curou. Para mais informações acesse saúde.gov.br/hanseníase.