Menu

SÃO JOAQUIM DE BICAS (MG): Município está em alerta para infestação do mosquito que transmite Dengue, Zika e Chikungunya

Banners
Foto: Shutterstock

 Você que mora em São Joaquim de Bicas, fique atento! A cidade está em estado de alerta para um possível aumento nos casos de Dengue, Zika e Chikungunya.  De acordo com dados do último Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti, o LIRAa, do Ministério da Saúde, o Índice de Infestação Predial do mosquito transmissor é de quase 1,4% no município, o que significa possibilidade de epidemia das doenças.

Um fator que pode agravar a proliferação do mosquito no município é que São Joaquim de Bicas está na área afetada pelo desastre de Brumadinho e tem sofrido com os impactos da tragédia, como contaminação dos mananciais, córregos e rios.

Por conta do receio de ficar sem água potável, alguns moradores estão fazendo a armazenagem de forma incorreta. Esse hábito pode contribuir para a proliferação dos criadouros do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. Segundo a diretora de Vigilância Epidemiológica de Minas Gerais, Janaína Fonseca, é fundamental que os moradores mantenham os reservatórios, como galões, caixas d’água e tambores, limpos e protegidos por telas.

 “É muito importante que a população de São Joaquim de Bicas tome alguns cuidados. Pelo fato da água do rio Paraopeba estar inutilizada para qualquer ação, mesmo que seja regar plantas, a preocupação é que as pessoas estejam armazenando água; e este armazenar água pode gerar um foco de proliferação de mosquito. Então a gente tem que, se armazenar, por algum motivo, que mantenha os recipientes adequadamente tampados.” 

O acúmulo e descarte indevido de lixo é outro fator que pode aumentar a proliferação do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. Por isso, o diretor de Operação Metropolitana da Companhia de Saneamento de Minas Gerais, Rômulo Perilli, também dá algumas dicas importantes.

“Jamais deixem água em galões sem tampa, sem cuidados, em locais que possam propiciar a proliferação de insetos; usar prioritariamente a caixa d’água normal, que tem em cada residência, que esta caixa d’água seja revisada a cada seis meses, que tenha tampa perfeitamente vedada”.

 O mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya vive dentro de casa, tem hábitos diurnos e ataca, em geral, ao amanhecer e ao entardecer. A fêmea procura água limpa e parada para botar ovos. Apenas um mosquito pode ter capacidade de infectar até cinco pessoas. Além de eliminar os possíveis criadouros, vestir roupas longas e claras também pode ajudar na defesa contra o inseto.
Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes. Ministério da Saúde, Governo Federal. Pátria Amada Brasil.
 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC: Você que mora em São Joaquim de Bicas, fique atento! A cidade está em estado de alerta para um possível aumento nos casos de Dengue, Zika e Chikungunya.  De acordo com dados do último Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti, o LIRAa, do Ministério da Saúde, o Índice de Infestação Predial do mosquito transmissor é de quase 1,4% no município, o que significa possibilidade de epidemia das doenças.

Um fator que pode agravar a proliferação do mosquito no município é que São Joaquim de Bicas está na área afetada pelo desastre de Brumadinho e tem sofrido com os impactos da tragédia, como contaminação dos mananciais, córregos e rios.

Por conta do receio de ficar sem água potável, alguns moradores estão fazendo a armazenagem de forma incorreta. Esse hábito pode contribuir para a proliferação dos criadouros do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. Segundo a diretora de Vigilância Epidemiológica de Minas Gerais, Janaína Fonseca, é fundamental que os moradores mantenham os reservatórios, como galões, caixas d’água e tambores, limpos e protegidos por telas.
 

TEC/SONORA: Janaína Fonseca de Almeida, diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.

 “É muito importante que a população de São Joaquim de Bicas tome alguns cuidados. Pelo fato da água do rio Paraopeba estar inutilizada para qualquer ação, mesmo que seja regar plantas, a preocupação é que as pessoas estejam armazenando água; e este armazenar água pode gerar um foco de proliferação de mosquito. Então a gente tem que, se armazenar, por algum motivo, que mantenha os recipientes adequadamente tampados.” 
 

LOC: O acúmulo e descarte indevido de lixo é outro fator que pode aumentar a proliferação do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. Por isso, o diretor de Operação Metropolitana da Companhia de Saneamento de Minas Gerais, Rômulo Perilli, também dá algumas dicas importantes.

TEC/SONORA: Rômulo Perilli, diretor de Operação Metropolitana da Companhia de Saneamento de Minas Gerais.

“Jamais deixem água em galões sem tampa, sem cuidados, em locais que possam propiciar a proliferação de insetos; usar prioritariamente a caixa d’água normal, que tem em cada residência, que esta caixa d’água seja revisada a cada seis meses, que tenha tampa perfeitamente vedada”.
 

LOC: O mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya vive dentro de casa, tem hábitos diurnos e ataca, em geral, ao amanhecer e ao entardecer. A fêmea procura água limpa e parada para botar ovos. Apenas um mosquito pode ter capacidade de infectar até cinco pessoas. Além de eliminar os possíveis criadouros, vestir roupas longas e claras também pode ajudar na defesa contra o inseto.
Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes. Ministério da Saúde, Governo Federal. Pátria Amada Brasil.