Menu

Senado deve votar pagamento de auxílio emergencial de R$ 600 nesta segunda (30)

Trabalhadores autônomos e informais terão direito ao benefício

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Jane de Oliveira - Agência Senado

Senadores devem votar nesta segunda-feira (30), o projeto que propõe o pagamento de um auxílio emergencial de R$ 600, por três meses, a pessoas de baixa renda, como trabalhadores autônomos, informais e pessoas sem renda fixa. A medida tem como objetivo contribuir com as pessoas que tiveram a renda comprometida em função da pandemia do novo coronavírus. O projeto será debatido e votado pelos senadores virtualmente.

De acordo com a proposta, duas pessoas de uma mesma família poderão acumular os benefícios do auxílio emergencial e do Bolsa Família. O projeto permite que mães que criem seus filhos sozinhas possam receber duas cotas do auxílio, totalizando R$ 1,2 mil.

O projeto propõe que a contribuição seja paga por bancos públicos através de contas no estilo “poupança social digital”, podendo ser a mesma já utilizada pelos beneficiários para a movimentação recursos de programas sociais governamentais, como PIS/Pasep e FGTS.

A medida foi aprovada pelo Plenário da Câmara dos Deputados na última quinta-feira (26). O poder Executivo poderá prorrogar o pagamento do auxílio enquanto durar a epidemia do Covid-19.
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

LOC.: Senadores devem votar nesta segunda-feira (30), o projeto que propõe o pagamento de um auxílio emergencial de R$ 600, por três meses, a pessoas de baixa renda, como trabalhadores autônomos, informais e pessoas sem renda fixa. A medida tem como objetivo contribuir com as pessoas que tiveram a renda comprometida em função da pandemia do novo coronavírus. O projeto será debatido e votado pelos senadores virtualmente.

De acordo com a proposta, duas pessoas de uma mesma família poderão acumular os benefícios do auxílio emergencial e do Bolsa Família. O projeto permite que mães que criem seus filhos sozinhas possam receber duas cotas do auxílio, totalizando R$ 1,2 mil.

O projeto propõe que a contribuição seja paga por bancos públicos através de contas no estilo “poupança social digital”, podendo ser a mesma já utilizada pelos beneficiários para a movimentação recursos de programas sociais governamentais, como PIS/Pasep e FGTS.

A medida foi aprovada pelo Plenário da Câmara dos Deputados na última quinta-feira (26). O poder Executivo poderá prorrogar o pagamento do auxílio enquanto durar a epidemia do Covid-19.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes