Menu

Taxa de desemprego sobe em 14 estados no 1º trimestre do ano, aponta IBGE

O maior índice no período foi verificado no Amapá, onde chegou a 20,2%

Banners
Foto: Arquivo/EBC

A taxa de desemprego aumentou em 14 das 27 unidades da federação no 1º trimestre deste ano, na comparação com os três meses finais do ano passado. Nas demais áreas, o índice se manteve estável. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O maior nível de desemprego no recorte foi verificado no Amapá, onde a taxa chegou a 20,2%. Na sequência, aparecem Bahia e Acre, com 18,3% e 18%, respectivamente. Já as menores taxas foram registradas em Santa Catarina (7,2%); Rio Grande do Sul (8,0%); e Paraná e Rondônia (8,9%). Em São Paulo, o desemprego ficou em 13,5%, enquanto no Rio de Janeiro, a taxa chegou a 15,3%.

No trimestre encerrado em março, o desemprego é o maior desde o trimestre que se encerrou em maio de 2018. São 13,4 milhões de pessoas desempregadas, diante de 12,1 milhões registrados no último trimestre do ano passado.

 

Marquezan Araújo

Marquezan é formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), atuou como âncora de jornal radiofônico e locutor de programa musical. Passou por estágios na Agência Brasil e na Rádio Nacional, da EBC. Repórter da Agência do Rádio desde 2016, acompanha as movimentações do Legislativo no Congresso Nacional.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

LOC.: A taxa de desemprego aumentou em 14 das 27 unidades da federação no 1º trimestre deste ano, na comparação com os três meses finais do ano passado. Nas demais áreas, o índice se manteve estável. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O maior nível de desemprego no recorte foi verificado no Amapá, onde a taxa chegou a 20,2%. Na sequência, aparecem Bahia e Acre, com 18,3% e 18%, respectivamente. Já as menores taxas foram registradas em Santa Catarina (7,2%); Rio Grande do Sul (8,0%); e Paraná e Rondônia (8,9%). Em São Paulo, o desemprego ficou em 13,5%, enquanto no Rio de Janeiro, a taxa chegou a 15,3%.

No trimestre encerrado em março, o desemprego é o maior desde o trimestre que se encerrou em maio de 2018. São 13,4 milhões de pessoas desempregadas, diante de 12,1 milhões registrados no último trimestre do ano passado.

Reportagem, Marquezan Araújo