Menu

TIRA-DÚVIDAS: Médico sanitarista explica sintomas da dengue, zika e chikungunya e indica formas de prevenção

Médico sanitarista da Fiocruz, Cláudio Maierovitch, dá detalhes das três arboviroses transmitidas pelo mosquito

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Créditos: Ministério da Saúde

Aedes aegypti é o nome científico do mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya, doenças chamadas de arboviroses. É possível identificá-lo por suas listras brancas no tronco, cabeça e pernas. O mosquito precisa de água acumulada e parada para se proliferar. Sendo assim, o Ministério da Saúde alerta que em decorrência do aumento das chuvas, o verão é a época de maior risco de transmissão dessas doenças. Quem explica melhor os sintomas e as formas de prevenção é o médico sanitarista da Fiocruz, Cláudio Maierovitch. Para começar, vamos falar um pouco sobre os hábitos desse mosquito. Em qual período do dia ele costuma atacar mais?

“Esse mosquito, o Aedes aegypti, tem um hábito mais diurno. Por isso, é um pouco diferente daqueles mosquitos que as pessoas estão acostumadas, que ficam zumbindo durante a noite incomodando o sono das pessoas. Quando a quantidade de mosquitos é muito grande, então eles têm uma disputa maior para conseguir picar as pessoas, aí eles também picam durante a noite. Mas o principal é durante o dia, particularmente depois das 10 da manhã até o início da tarde.”

Falando agora um pouco sobre as doenças, quais são os principais sintomas da dengue?

“Dengue é uma doença que geralmente começa com febre, que começa de repente, começa subitamente, como a gente fala, acompanhada de dor de cabeça, muita dor nos olhos, dor atrás dos olhos, dor no corpo muito forte, mal-estar. Esses sintomas costumam durar alguns dias. Na maior parte dos casos, a doença vai durar alguns dias e vai sarar sozinha.”

É possível que uma pessoa que já teve dengue, seja infectada novamente pelo vírus?

“Dengue pode ser causada por um dos quatro tipos de seu vírus, que são muito parecidos, mas o corpo reconhece de maneiras diferentes, são os chamados Dengue 1, Dengue 2, Dengue 3 e Dengue 4. Cada pessoa pode ter até quatro vezes a doença. Uma vez que tem a doença por um desses tipos e que sara ela fica imune, ou seja, não contrairá novamente a dengue pelo mesmo vírus, mas poderá ter pelos outros três. E há uma particularidade da dengue: quando a pessoa tem dengue pela segunda vez – ou seja, por um segundo tipo de vírus –, existe uma chance maior de que a doença se agrave. Este agravamento é notado tanto por dores abdominais fortes, vômitos, sangramento, sensação de tontura, mal-estar..., especialmente numa fase em que a doença já tinha começado a melhorar. O observado em casos graves é que a pessoa começa com os sintomas e o quadro vai piorando por alguns dias, depois, em geral, a febre diminui e a pessoa começa a melhorar. Se nessa fase, ela tiver um dos sintomas como dor abdominal, deve procurar o serviço de saúde imediatamente.”

O mosquito também é responsável pela transmissão de chikungunya. Nesse caso, de que maneira a doença se manifesta?

“Embora, em geral, os sintomas de mal-estar não sejam tão intensos quanto dengue, a febre pode não ser tão alta, mas a dor no corpo é muito forte. Tanto dores nas articulações, a popular “dor nas juntas”, como uma dor no corpo que as pessoas têm e que torna difícil até andar. Há uma característica típica dessa doença: as pessoas andam curvadas porque é a posição que dói menos para se locomover. Há uma particularidade da doença causada pelo vírus chikungunya, é que essas dores, essa inflamação nas articulações, podem durar um bom tempo. Podem durar várias semanas e em alguns casos, que não são tão frequentes, podem até durar vários anos e serem incapacitantes, impedindo as pessoas até de trabalhar. ”

Outro vírus que passou a correr pelo Brasil, causando preocupação especialmente para as gestantes, é o vírus da zika. Como identificar os sinais dessa doença?

“Na maior parte das pessoas, causa sintomas mais leves. Em geral não começa com febre, mas começa com manchas pelo corpo, coceiras pelo corpo. Os olhos ficam irritados, inflamados e depois aparece febre. E, em geral, em poucos dias, três ou quatro dias, esses sintomas desaparecem completamente. No entanto, se observou que gestantes que tiveram infecção pelo vírus Zika, em algumas ocasiões, transmitiram este vírus para o bebê, para o feto. Isso causou más-formações no feto e os bebês nasceram com um tamanho de cabeça pequena, chamada microcefalia, quando o cérebro não se desenvolveu adequadamente na gestação. ”

Normalmente, os sintomas dessas três doenças costumam aparecer quanto tempo após a picada?

“Varia um pouco de uma doença para outra. Em geral, nós podemos considerar um período de cerca de uma semana até 10 dias entre o momento da picada e o início dos sintomas.”

Para encerrar, qual é a recomendação para que as pessoas não sejam infectadas pelos vírus transmitidos pelo mosquito?

“A principal prevenção – para as três doenças – se refere a evitar a transmissão. A primeira ação é para eliminação dos criadouros dos mosquitos. Então qualquer objeto, qualquer local que possa acumular água parada, especialmente água limpa, mas não só água limpa, dentro dos quintais, dentro de casa, mesmo em apartamento, em ambientes de trabalho, pode se transformar em um criadouro para o mosquito Aedes aegypti. É um mosquito que gosta de ficar perto das pessoas. Então, é necessário um esforço de todos para eliminar as condições que favorecem a proliferação do mosquito. E também cada pessoa pode tomar medidas para que todos fiquem menos expostos aos mosquitos. Particularmente mantendo telas nas portas e janelas de casa, usando roupas de mangas compridas, calça comprida, meias... Lembrando que o mosquito gosta muito de lugares escuros, então é muito frequente a picada embaixo das mesas. E o uso de repelentes também pode ajudar a reduzir o número de picadas.” 

Em caso de suspeita, com o surgimento de qualquer sintoma, é importante procurar o serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados. Lembre-se de que a melhor forma de prevenção é eliminar possíveis criadouros. E aí? Você já combateu o mosquito hoje? Proteja sua família. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/combateaedes.


 

Tâmila Faria



Cadastre-se

LOC.: Aedes aegypti é o nome científico do mosquito que transmite dengue,
zika e chikungunya, doenças chamadas de arboviroses. É possível identificá-lo por suas listras brancas no tronco, cabeça e pernas. O mosquito precisa de água acumulada e parada para se proliferar. Sendo assim, o Ministério da Saúde alerta que em decorrência do aumento das chuvas, o verão é a época de maior risco de transmissão dessas doenças. Quem explica melhor os sintomas e as formas de prevenção é o médico sanitarista da Fiocruz, Cláudio Maierovitch. Para começar, vamos falar um pouco sobre os hábitos desse mosquito. Em qual período do dia ele costuma atacar mais?
 

“Esse mosquito, o Aedes aegypti, tem um hábito mais diurno. Por isso, é um pouco diferente daqueles mosquitos que as pessoas estão acostumadas, que ficam zumbindo durante a noite incomodando o sono das pessoas. Quando a quantidade de mosquitos é muito grande, então eles têm uma disputa maior para conseguir picar as pessoas, aí eles também picam durante a noite. Mas o principal é durante o dia, particularmente depois das 10 da manhã até o início da tarde.”
 

LOC.: Falando agora um pouco sobre as doenças, quais são os principais sintomas da dengue?

“Dengue é uma doença que geralmente começa com febre, que começa de repente, começa subitamente, como a gente fala, acompanhada de dor de cabeça, muita dor nos olhos, dor atrás dos olhos, dor no corpo muito forte, mal-estar. Esses sintomas costumam durar alguns dias. Na maior parte dos casos, a doença vai durar alguns dias e vai sarar sozinha."

LOC.: É possível que uma pessoa que já teve dengue, seja infectada novamente pelo vírus?

“Dengue pode ser causada por um dos quatro tipos de seu vírus, que são muito parecidos, mas o corpo reconhece de maneiras diferentes, são os chamados Dengue 1, Dengue 2, Dengue 3 e Dengue 4. Cada pessoa pode ter até quatro vezes a doença. Uma vez que tem a doença por um desses tipos e que sara ela fica imune, ou seja, não contrairá novamente a dengue pelo mesmo vírus, mas poderá ter pelos outros três. E há uma particularidade da dengue: quando a pessoa tem dengue pela segunda vez – ou seja, por um segundo tipo de vírus –, existe uma chance maior de que a doença se agrave. Este agravamento é notado tanto por dores abdominais fortes, vômitos, sangramento, sensação de tontura, mal-estar..., especialmente numa fase em que a doença já tinha começado a melhorar. O observado em casos graves é que a pessoa começa com os sintomas e o quadro vai piorando por alguns dias, depois, em geral, a febre diminui e a pessoa começa a melhorar. Se nessa fase, ela tiver um dos sintomas como dor abdominal, deve procurar o serviço de saúde imediatamente.”

LOC.: O mosquito também é responsável pela transmissão de chikungunya. Nesse caso, de que maneira a doença se manifesta?
 

“Embora, em geral, os sintomas de mal-estar não sejam tão intensos quanto dengue, a febre pode não ser tão alta, mas a dor no corpo é muito forte. Tanto dores nas articulações, a popular “dor nas juntas”, como uma dor no corpo que as pessoas têm e que torna difícil até andar. Há uma característica típica dessa doença: as pessoas andam curvadas porque é a posição que dói menos para se locomover. Há uma particularidade da doença causada pelo vírus chikungunya, é que essas dores, essa inflamação nas articulações, podem durar um bom tempo. Podem durar várias semanas e em alguns casos, que não são tão frequentes, podem até durar vários anos e serem incapacitantes, impedindo as pessoas até de trabalhar.”

LOC.: Outro vírus que passou a correr pelo Brasil, causando preocupação especialmente para as gestantes, é o vírus da zika. Como identificar os sinais dessa doença?
 

“Na maior parte das pessoas, causa sintomas mais leves. Em geral não começa com febre, mas começa com manchas pelo corpo, coceiras pelo corpo. Os olhos ficam irritados, inflamados e depois aparece febre. E, em geral, em poucos dias, três ou quatro dias, esses sintomas desaparecem completamente. No entanto, se observou que gestantes que tiveram infecção pelo vírus Zika, em algumas ocasiões, transmitiram este vírus para o bebê, para o feto. Isso causou más-formações no feto e os bebês nasceram com um tamanho de cabeça pequena, chamada microcefalia, quando o cérebro não se desenvolveu adequadamente na gestação. ”

LOC.: Normalmente, os sintomas dessas três doenças costumam aparecer quanto tempo após a picada?

“Varia um pouco de uma doença para outra. Em geral, nós podemos considerar um período de cerca de uma semana até 10 dias entre o momento da picada e o início dos sintomas.”

LOC.: Para encerrar, qual é a recomendação para que as pessoas não sejam infectadas pelos vírus transmitidos pelo mosquito?

“A principal prevenção – para as três doenças – se refere a evitar a transmissão. A primeira ação é para eliminação dos criadouros dos mosquitos. Então qualquer objeto, qualquer local que possa acumular água parada, especialmente água limpa, mas não só água limpa, dentro dos quintais, dentro de casa, mesmo em apartamento, em ambientes de trabalho, pode se transformar em um criadouro para o mosquito Aedes aegypti. É um mosquito que gosta de ficar perto das pessoas. Então, é necessário um esforço de todos para eliminar as condições que favorecem a proliferação do mosquito. E também cada pessoa pode tomar medidas para que todos fiquem menos expostos aos mosquitos. Particularmente mantendo telas nas portas e janelas de casa, usando roupas de mangas compridas, calça comprida, meias... Lembrando que o mosquito gosta muito de lugares escuros, então é muito frequente a picada embaixo das mesas. E o uso de repelentes também pode ajudar a reduzir o número de picadas.” 

LOC.: Em caso de suspeita, com o surgimento de qualquer sintoma, é importante procurar o serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados. Lembre-se de que a melhor forma de prevenção é eliminar possíveis criadouros. E aí? Você já combateu o mosquito hoje? Proteja sua família. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/combateaedes.