Menu

TO: “98% das indústrias pesquisadas dão preferência para os egressos do SENAI”, afirma diretora da instituição

De acordo com a FIETO, só em 2018, o SESI e o SENAI somaram mais de 37 mil matrículas

Banners
Foto: Arquivo Fieto

Investir na capacitação da população e trabalhar para o desenvolvimento do Tocantins é um dos grandes objetivos das unidades do SESI e do SENAI do estado. Dados da federação da indústria local (FIETO) revelam que, só em 2018, as duas instituições somaram mais de 37 mil matrículas.

Os atendimentos incluem o ensino fundamental e médio, a Educação de Jovens e Adultos (EJA), cursos presenciais e à distância em educação, saúde, promoção em saúde e o programa Atleta do Futuro. 

Quem teve a oportunidade de capacitação e crescimento profissional foi a empresária de Palmas Sonja Pereira de Souza, de 34 anos. Ela saiu da informalidade, após cursos técnicos e práticos nas áreas de pintura e textura, oratória, atendimento ao público, segurança do trabalho e leitura de projetos – todos feitos nas duas instituições do Sistema S. 

Atualmente, Sonja tem o próprio negócio: uma empresa especializada em pintura, gráfica e comunicação visual. Para ela, as capacitações foram fundamentais para conquistar clientes e oferecer os melhores serviços. “Aprendi a competir: como apresentar meu trabalho, trabalhar de forma mais responsável, ter mais qualidade no meu serviço, como formar um preço competitivo. Então, além de conseguir administrar melhor a minha empresa, consegui muitas coisas na minha vida pessoal”, avalia.

Para a diretora do SENAI do Tocantins, Márcia Rodrigues, todos os investimentos na formação da população trazem resultados positivos. “Se a gente pega nosso percentual de empregabilidade, hoje está em 68%. Nos cursos técnicos e de aprendizagem, 80% dos alunos estão no mercado de trabalho após seis meses de curso”, explica ela.

Para ampliar o atendimento à população do estado, o SENAI criou, em 2018, três novas unidades, na capital Palmas e em Paraíso do Tocantins. Uma delas é o Centro de Educação e Tecnologia de Palmas (CETEC), com toda a base para atendimento às demandas da Indústria 4.0. Além disso, a instituição investiu, nos últimos três anos, R$ 16,3 milhões em novos laboratórios. Já o SESI, investiu R$ 4,9 milhões.

Na opinião de Márcia Rodrigues, tais investimentos refletem diretamente na preferência dos empresários do estado. “A gente também pergunta para as empresas: ‘Faz alguma diferença o candidato ter passado pelo SENAI na hora da contratação?’. Hoje, nós temos índices, e estou falando de pesquisas atualizadas, 98% das indústrias pesquisadas dão preferência para os egressos do SENAI”, conclui Marcia Rodrigues.

Neste ano, ainda de acordo com a gestora, a meta é matricular 24,6 mil pessoas no SENAI, e 7,4 mil no SESI.

Para o deputado tocantinense Tiago Dimas (Solidariedade), o trabalho desenvolvido pelo Sistema S é muito importante para o estado. “Eu conheço o trabalho do Sistema S a fundo. No meu estado, é muito forte. O SESI, SENAI e a Federação das Indústrias como um todo, têm um trabalho prestado de relevância”, afirma o parlamentar.
 

Sistema S
Desde que foi criado, em 1942, o SENAI já formou mais de 73 milhões de trabalhadores em 28 áreas da indústria.  Em 2017, recebeu 2,3 milhões matrículas de educação profissional, realizou 1,3 milhões de ensaios laboratoriais e atendeu 19,2 mil indústrias com serviços técnicos e tecnológicos em todo o Brasil. A instituição está presente em 2,7 mil municípios e emprega mais de 26 mil pessoas.

O SESI, atualmente, tem 505 escolas, 114 unidades de vida saudável e 539 unidades móveis. Só em 2017, a instituição beneficiou mais de 4 milhões de pessoas em ações de saúde e segurança no trabalho e realizou mais de um milhão de matrículas na área de educação.
 

Tainá Ferreira

Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB), Tainá começou na Empresa Júnior Movimento e depois atuou na TV universitária UnBTV. Depois de um tempo entrou para a redação do jornal Correio Braziliense e, após a experiência, partiu para a assessoria de imprensa.


Cadastre-se

LOC.: Investir na capacitação da população e no desenvolvimento de Tocantins é uma das metas do SESI e do SENAI. Pelo menos é o que revelam os dados da Federação da Indústria do estado, a FIETO.  

Em 2018, as duas instituições do Sistema S somaram mais de 37 mil matrículas.

Quem teve a oportunidade de capacitação e crescimento profissional, após fazer cursos nas instituições, é a empresária Sonja Pereira de Souza, de 34 anos. 

A moradora de Palmas saiu da informalidade, após cursos técnicos e práticos nas áreas de pintura e textura, oratória, atendimento ao público, segurança do trabalho e leitura de projetos. Atualmente, Sonja é dona de empresa especializada em pintura, gráfica e comunicação visual. 

Para ela, as capacitações no SESI e no SENAIS foram fundamentais. 

TEC./SONORA: Sonja Pereira, empresária

“Aprendi a competir: como apresentar meu trabalho, trabalhar de forma mais responsável, ter mais qualidade no meu serviço, como formar um preço competitivo. Então, além de conseguir administrar melhor a minha empresa, consegui muitas coisas na minha vida pessoal.” 
 

LOC.: De acordo com a diretora do SENAI do Tocantins, Márcia Rodrigues, o índice de empregabilidade dos jovens que fazem curso técnico e de aprendizagem após seis meses é de 80%. 

A gestora completa que investimentos na formação dos jovens refletem diretamente na preferência dos empresários do estado
 

TEC./SONORA: Márcia Rodrigues, diretora do SENAI (TO)

“A gente também pergunta para as empresas: ‘Faz alguma diferença o candidato ter passado pelo SENAI na hora da contratação?’. Hoje, nós temos índices, e estou falando de pesquisas atualizadas, 98% das indústrias pesquisadas dão preferência para os egressos do SENAI.” 
 

LOC.: Para o deputado tocantinense Tiago Dimas (Solidariedade), o trabalho desenvolvido pelo Sistema S é muito importante para o estado.

TEC./SONORA: Tiago Dimas, deputado federal (Solidariedade/TO)

“Conheço o trabalho do Sistema S a fundo. No meu estado, é muito forte. O SESI, SENAI e a Federação das Indústrias como um todo, têm um trabalho de relevância.”
 

LOC.:  Para ampliar o atendimento à população do estado, o SENAI criou, em 2018, três novas unidades, na capital Palmas e Paraíso do Tocantins. 

Uma delas é o Centro de Educação e Tecnologia de Palmas (CETEC), com toda a base para atendimento às demandas da Indústria 4.0. 

Em 2019, a meta é matricular 24,6 mil pessoas no SENAI e 7,4 mil, no SESI.
 
Reportagem, Marquezan Araújo, com a colaboração de Tainá Ferreira