Menu

Torneio organizados pela CBF são suspensos por conta do coronavírus; Comitê Olímpico orienta atletas e aguarda posição sobre Tóquio-2020

Tendência é que campeonatos estaduais também sejam paralisados a partir desta segunda-feira (16), após reunião de clubes e federações locais

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Divulgação Twitter Grêmio

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu neste domingo (15) suspender todas as competições nacionais por conta do coronavírus. A pausa é por tempo indeterminado e afeta a Copa do Brasil, a primeira e a segunda divisão do Campeonato Brasileiro Feminino, o Campeonato Brasileiro sub-17 e Copa do Brasil sub-20.

Em relação aos campeonatos estaduais e regionais, que não são organizados pela CBF, a recomendação é que as federações estaduais tomem a decisão final em comum acordo com os clubes. Em Minas Gerais e São Paulo, os torneios locais já foram suspensos. Nesta segunda-feira, a tendência é que a federação do Rio de Janeiro anuncie a paralisação do futebol.  

Vale lembrar que os jogos da Libertadores e da Copa Sul-Americana já haviam sido adiados pela Conmebol na semana passada. Com isso, os times brasileiros devem ficar parados ao menos até maio.

A pandemia do coronavírus também afeta os atletas em preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, marcados para julho deste ano. Em comunicado na última sexta-feira (13), o Comitê Olímpico Brasileiro informou que “segue acompanhando e respeitando os posicionamentos das Federações Internacionais, do Comitê Olímpico Internacional (COI) e do Comitê Organizador de Tóquio 2020”, mas não se manifestou publicamente se é a favor do adiamento do evento.

Em janeiro, o COB divulgou um comunicado com recomendações para atletas e membros de comissões técnicas que estavam ou iriam para o exterior. Entre as orientações, está evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas; lavar frequentemente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente e antes de se alimentar; cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir e higienizar as mãos; e não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos e copos.
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

LOC.: A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu neste domingo (15) suspender todas as competições nacionais por conta do coronavírus. A pausa é por tempo indeterminado e afeta a Copa do Brasil, a primeira e a segunda divisão do Campeonato Brasileiro Feminino, o Campeonato Brasileiro sub-17 e Copa do Brasil sub-20.

Em relação aos campeonatos estaduais e regionais, que não são organizados pela CBF, a recomendação é que as federações estaduais tomem a decisão final em comum acordo com os clubes. Em Minas Gerais e São Paulo, os torneios locais já foram suspensos. Nesta segunda-feira, a tendência é que a federação do Rio de Janeiro anuncie a paralisação do futebol.  

Vale lembrar que os jogos da Libertadores e da Copa Sul-Americana já haviam sido adiados pela Conmebol na semana passada. Com isso, os times brasileiros devem ficar parados ao menos até maio.

A pandemia do coronavírus também afeta os atletas em preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, marcados para julho deste ano. Em comunicado na última sexta-feira (13), o Comitê Olímpico Brasileiro informou que “segue acompanhando e respeitando os posicionamentos das Federações Internacionais, do Comitê Olímpico Internacional (COI) e do Comitê Organizador de Tóquio 2020”, mas não se manifestou publicamente se é a favor do adiamento do evento.

Em janeiro, o COB divulgou um comunicado com recomendações para atletas e membros de comissões técnicas que estavam ou iriam para o exterior. Entre as orientações, está evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas; lavar frequentemente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente e antes de se alimentar; cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir e higienizar as mãos; e não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos e copos.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes