Menu

Trens batem no Rio de Janeiro e uma pessoa morre

Colisão aconteceu na altura da estação São Cristóvão, na Zona Norte da cidade

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Créditos: Tânia Regô/AgenciaBrasil

Morreu o maquinista que conduzia um dos trens que bateram no Rio de Janeiro na manhã desta quarta-feira. Os bombeiros trabalharam por mais de sete horas para retirar o homem das ferragens. O acidente ocorreu na estação Ferroviária de São Cristóvão, da empresa SuperVia, na Zona Norte da cidade. O nome da vítima não foi divulgado.

Após retirar o maquinista, os bombeiros tentaram reanimá-lo por cerca de meia hora com massagem cardíaca, mas não tiveram sucesso. Os dois trens vinham da estação Central e colidiram no ramal de Deodoro. 

Os bombeiros foram acionados por volta das sete da manhã para iniciar os trabalhos de resgate do maquinista e das outras oito vítimas. Sete delas foram encaminhadas para o hospital Souza Aguiar e uma para o Salgado Filho. Todas sofreram ferimentos leves e não correm risco de morte. 

Em sua conta no Twitter, a Supervia, responsável pela linha, lamentou o acidente e prometeu investigar as causas com rigor. 

Já a Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários,Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) publicou uma nota afirmando que irá apurar as causas do acidente. Equipes técnicas da agência foram enviadas à estação para fazer um levantamento. A questão da adequação da SuperVia ao atendimento dado aos usuários também será apurado. Segundo a Agetransp, a empresa pode ser multada.

Reportagem, Raphael Costa

Raphael Costa

O repórter Raphael Costa formou-se em 2015 no Centro Universitário de Brasília (CEUB), mas deu início à sua carreira anteriormente. Originalmente paulista, começou em um programa de Rádio e TV local, até se mudar para Brasília. Com cerca de três anos de casa, é a voz que noticia esportes, agricultura e economia.


Cadastre-se

Morreu o maquinista que conduzia um dos trens que bateram no Rio de Janeiro na manhã desta quarta-feira. Os bombeiros trabalharam por mais de sete horas para retirar o homem das ferragens. O acidente ocorreu na estação Ferroviária de São Cristóvão, da empresa SuperVia, na Zona Norte da cidade. O nome da vítima não foi divulgado.
Após retirar o maquinista, os bombeiros tentaram reanimá-lo por cerca de meia hora com massagem cardíaca, mas não tiveram sucesso. Os dois trens vinham da estação Central e colidiram no ramal de Deodoro. 

Os bombeiros foram acionados por volta das sete da manhã para iniciar os trabalhos de resgate do maquinista e das outras oito vítimas. Sete delas foram encaminhadas para o hospital Souza Aguiar e uma para o Salgado Filho. Todas sofreram ferimentos leves e não correm risco de morte. 

Em sua conta no Twitter, a Supervia, responsável pela linha, lamentou o acidente e prometeu investigar as causas com rigor. 

Já a Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários,Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) publicou uma nota afirmando que irá apurar as causas do acidente. Equipes técnicas da agência foram enviadas à estação para fazer um levantamento. A questão da adequação da SuperVia ao atendimento dado aos usuários também será apurado. Segundo a Agetransp, a empresa pode ser multada.

Reportagem, Raphael Costa