Menu

Três pessoas morreram em decorrência das chuvas no Rio de Janeiro

Cidade entrou em estado de crise, o mais grave nível de risco, às 20h55 desta segunda (8)

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Reprodução/Twitter

Pelo menos três pessoas morreram em decorrência das fortes chuvas que caem desde a noite desta segunda-feira (9) na cidade do Rio de Janeiro. Dois óbitos foram registrados após um deslizamento no Morro da Babilônia, no Leme. A outra morte foi registrada na Avenida Marquês de São Vicente, na Gávea. Os dois bairros onde os óbitos foram registrados ficam na zona Sul da cidade.

Segundo o Alerta Rio, sistema de monitoramento da prefeitura, a cidade entrou em estágio de atenção às 18h35 de segunda. Às 20h55, passou para o estágio de crise, que é o mais grave de três níveis de risco. Diversas vias da cidade estão interditadas, entre elas a avenida Niemeyer. A chuva também provocou o desabamento de mais um trecho da ciclovia Tim Maia.

 

Segundo o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, mais de cinco mil homens, de diversos órgãos, estão trabalhando na recuperação da cidade.

“As chuvas estão diminuindo. A gente imagina que com esses cinco mil homens atuando na cidade, nós vamos poder melhorar o trânsito, diminuir os alagamentos, limpar os bueiros e normalizar a nossa vida”, disse.

Justiça, repartições estaduais e outros órgãos decretaram ponto facultativo nesta terça. Escolas estaduais também tiveram suas atividades suspensas. Escolas particulares e universidades, como a PUC-Rio, já divulgaram que não terão aulas.

Sirenes de alerta voltaram a soar na manhã desta terça em diversas comunidades da cidade. A previsão é que o tempo continue instável no Rio de Janeiro até quarta-feira (10) e ainda pode chover forte nesta terça (9).

 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

Pelo menos três pessoas morreram em decorrência das fortes chuvas que caem desde a noite desta segunda-feira (9) na cidade do Rio de Janeiro. Dois óbitos foram registrados após um deslizamento no Morro da Babilônia, no Leme. A outra morte foi registrada na Avenida Marquês de São Vicente, na Gávea. Os dois bairros onde os óbitos foram registrados ficam na zona Sul da cidade.

Segundo o Alerta Rio, sistema de monitoramento da prefeitura, a cidade entrou em estágio de atenção às 18h35 de segunda. Às 20h55, passou para o estágio de crise, que é o mais grave de três níveis de risco. Diversas vias da cidade estão interditadas, entre elas a avenida Niemeyer. A chuva também provocou o desabamento de mais um trecho da ciclovia Tim Maia.

Segundo o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, mais de cinco mil homens, de diversos órgãos, estão trabalhando na recuperação da cidade.

“As chuvas estão diminuindo. A gente imagina que com esses cinco mil homens atuando na cidade, nós vamos poder melhorar o trânsito, diminuir os alagamentos, limpar os bueiros e normalizar a nossa vida”.

Justiça, repartições estaduais e outros órgãos decretaram ponto facultativo nesta terça. Escolas estaduais também tiveram suas atividades suspensas. Escolas particulares e universidades, como a PUC-Rio, já divulgaram que não terão aulas.

Sirenes de alerta voltaram a soar na manhã desta terça em diversas comunidades da cidade. A previsão é que o tempo continue instável no Rio de Janeiro até quarta-feira (10) e ainda pode chover forte nesta terça (9).

Reportagem, Paulo Henrique Gomes