Menu

UBERLÂNDIA (MG): Cidade apresenta mais de 30 mil notificações de doenças causadas pelo Aedes aegypti

Banners

As notificações de doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti preocupam autoridades de saúde dos municípios do Triângulo Mineiro. Em Uberlândia, foram mais de 30 mil notificações de dengue, com 20 mortes só em 2019. Com chikungunya, 520 pessoas foram infectadas, enquanto 218 tiveram Zika. Na vizinha Uberaba, mais de mil casos de dengue alertaram os gestores. O aumento é alarmante se consideramos os números de 2018 para Uberlândia: 3.557 pessoas com dengue, 29 com chikungunya e 47 com zika. 

Coordenador do Programa de Controle da Dengue de Uberlândia, José Humberto Arruda explica que as variações climáticas, como chuvas intercaladas e dias quentes, criaram um ambiente favorável para a proliferação do mosquito. Outro fator observado é a falta de cuidado por parte da própria população. 

“Oitenta e quatro por cento dos criadouros que foram para laboratório e positivou para o Aedes aegypti estão dentro dos quintais e das residências. Desse total, 17% estão na cozinha, na sala ou no banheiro. Em 35% a 40% dos bairros, não há acesso ao quintal para os agentes fazerem as ações de tratamento”.

O maior número de recorrência do mosquito ocorreu na região oeste de Uberlândia, onde se localiza bairros como Guarani, Tocantins e Luizote de Freitas.
Ana Paula Quirino, 40 anos, foi vítima da dengue. A moradora do bairro Jardim Botânico conta que sentiu febre que, logo, evoluiu para dores no corpo, nos olhos, enjoos e vômitos. Foram 15 dias debilitada. A funcionária pública precisou se afastar do trabalho. Ela acredita que pegou dengue na própria casa, porque vive em um bairro onde as pessoas não têm cuidado. Hoje, recuperada, ela avalia que o combate ao Aedes aegypti precisa ser feito por todos.

“É uma doença terrível, então devemos cuidar para não termos mais esse problema. Observe se tem algum lugar com água parada para não deixar a responsabilidade apenas para o poder público”.

As cidades têm intensificado as ações de combate contra o mosquito. Uberlândia tem feito ações de inspeção em piscinas, ferros velhos, monitoramento por armadilha e coletas de pneus. Só em 2019, foram recolhidos mais de 207 mil pneus. Em 2020, a Vigilância Sanitária já realizou capacitação de profissionais da rede de Atenção Básica e da rede privada voltada à assistência das doenças transmitidas pelo Aedes. 

Em Uberaba, os agentes visitam as casas durante o ano todo e realizam trabalhos com drones nas áreas de difícil acesso. Além disso, vão reforçar o mutirão de limpeza e o uso de motofog e fumacê quando necessários. 

As autoridades de saúde mineiras notificaram, no ano passado, em todo estado, mais de 480 mil casos prováveis de dengue. Foram confirmadas 169 mortes em decorrência da doença. Em 2020, a Secretaria de Estado de Saúde já registrou 56 casos prováveis da doença até o momento, não havendo registro de casos graves.

Em relação à chikungunya, foram 2,8 mil casos prováveis e um óbito, no ano passado, em Patos de Minas. Em 2020, apenas um caso provável foi notificado, no município de Belo Oriente.

As notificações de Zika chegaram a 698 em 2019, sendo 164 em gestantes. Neste ano, até o momento, não houve registro de casos prováveis.
Se você, morador, tem alguma dúvida, quer solicitar a visita de agentes em sua residência ou está em situação de risco, acione o Centro de Zoonoses de Uberlândia pelo número (34) 3213-1470. Repetindo: (34) 3213-1470. Em Uberaba, entre contato com o Disque Dengue da cidade pelo número (34) 3317-4660. Repetindo: (34) 3317-4660.

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes. 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: As notificações de doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti preocupam autoridades de saúde dos municípios do Triângulo Mineiro. Em Uberlândia, foram mais de 30 mil notificações de dengue, com 20 mortes só em 2019. Com chikungunya, 520 pessoas foram infectadas, enquanto 218 tiveram Zika. Na vizinha Uberaba, mais de mil casos de dengue alertaram os gestores. O aumento é alarmante se consideramos os números de 2018 para Uberlândia: 3.557 pessoas com dengue, 29 com chikungunya e 47 com zika. 

Coordenador do Programa de Controle da Dengue de Uberlândia, José Humberto Arruda explica que as variações climáticas, como chuvas intercaladas e dias quentes, criaram um ambiente favorável para a proliferação do mosquito. Outro fator observado é a falta de cuidado por parte da própria população. 

TEC./SONORA: José Humberto Arruda, coordenador do Programa de Controle da Dengue.

“Oitenta e quatro por cento dos criadouros que foram para laboratório e positivou para o Aedes aegypti estão dentro dos quintais e das residências. Desse total, 17% estão na cozinha, na sala ou no banheiro. Em 35% a 40% dos bairros, não há acesso ao quintal para os agentes fazerem as ações de tratamento”.

LOC.: O maior número de recorrência do mosquito ocorreu na região oeste de Uberlândia, onde se localiza bairros como Guarani, Tocantins e Luizote de Freitas.
Ana Paula Quirino, 40 anos, foi vítima da dengue. A moradora do bairro Jardim Botânico conta que sentiu febre que, logo, evoluiu para dores no corpo, nos olhos, enjoos e vômitos. Foram 15 dias debilitada. A funcionária pública precisou se afastar do trabalho. Ela acredita que pegou dengue na própria casa, porque vive em um bairro onde as pessoas não têm cuidado. Hoje, recuperada, ela avalia que o combate ao Aedes aegypti precisa ser feito por todos.
 

TEC./SONORA: Ana Paula Quirino, funcionária pública.

“É uma doença terrível, então devemos cuidar para não termos mais esse problema. Observe se tem algum lugar com água parada para não deixar a responsabilidade apenas para o poder público”.
 

LOC.: As cidades têm intensificado as ações de combate contra o mosquito. Uberlândia tem feito ações de inspeção em piscinas, ferros velhos, monitoramento por armadilha e coletas de pneus. Só em 2019, foram recolhidos mais de 207 mil pneus. Em 2020, a Vigilância Sanitária já realizou capacitação de profissionais da rede de Atenção Básica e da rede privada voltada à assistência das doenças transmitidas pelo Aedes. 

Em Uberaba, os agentes visitam as casas durante o ano todo e realizam trabalhos com drones nas áreas de difícil acesso. Além disso, vão reforçar o mutirão de limpeza e o uso de motofog e fumacê quando necessários. 
As autoridades de saúde mineiras notificaram, no ano passado, em todo estado, mais de 480 mil casos prováveis de dengue. Foram confirmadas 169 mortes em decorrência da doença. Em 2020, a Secretaria de Estado de Saúde já registrou 56 casos prováveis da doença até o momento, não havendo registro de casos graves.

Em relação à chikungunya, foram 2,8 mil casos prováveis e um óbito, no ano passado, em Patos de Minas. Em 2020, apenas um caso provável foi notificado, no município de Belo Oriente.

As notificações de Zika chegaram a 698 em 2019, sendo 164 em gestantes. Neste ano, até o momento, não houve registro de casos prováveis.
Se você, morador, tem alguma dúvida, quer solicitar a visita de agentes em sua residência ou está em situação de risco, acione o Centro de Zoonoses de Uberlândia pelo número (34) 3213-1470. Repetindo: (34) 3213-1470. Em Uberaba, entre contato com o Disque Dengue da cidade pelo número (34) 3317-4660. Repetindo: (34) 3317-4660.

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.