Menu

VACINAÇÃO: Brasil protege fronteiras contra a entrada de sarampo e febre amarela

Preste atenção, você, que mora em Ponta Porã (MS), Dioníosio Cerqueira (SC), Barra do Quaraí (RS) e Foz do Iguaçu e Barracão (PR). O Brasil está fortalecendo a proteção contra o sarampo e a febre amarela nas fronteiras com outros países.

Banners
Foto: Renato Strauss / ASCOM MS

Preste atenção, você, que mora em Ponta Porã (MS), Dioníosio Cerqueira (SC), Barra do Quaraí (RS) e Foz do Iguaçu e Barracão (PR). O Brasil está fortalecendo a proteção contra o sarampo e a febre amarela nas fronteiras com outros países. Para isso, o Ministério da Saúde está vacinando crianças de seis meses até pessoas com 29 anos contra o sarampo; e de crianças a partir dos nove meses até pessoas com até 59 anos contra a febre amarela. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, explica a importância de realizar essa ação, que teve início nessa segunda-feira (16) e vai até o dia 27 deste mês.

“Todo o Mercosul está fazendo um esforço para aumentar, para colocar os índices de vacinação em bons índices. E é normal que o Brasil chame as cidades de fronteira. Todas essas cidades estão fazendo acordos binacionais, nós estamos mandando vacinas, dimensionando os casos mais complexos e entrando com vacinação”.

Para garantir a saúde do povo brasileiro e impedir que essas doenças entrem no país, o Governo Federal enviou 37 mil doses extras da vacina tríplice viral (sarampo) e 4 mil doses de vacina contra a febre amarela para as regiões foco da campanha. 

Janary Bastos Damacena



Cadastre-se

Preste atenção, você, que mora em Ponta Porã (MS), Dioníosio Cerqueira (SC), Barra do Quaraí (RS) e Foz do Iguaçu e Barracão (PR). O Brasil está fortalecendo a proteção contra o sarampo e a febre amarela nas fronteiras com outros países. Para isso, o Ministério da Saúde está vacinando crianças de seis meses até pessoas com 29 anos contra o sarampo; e de crianças a partir dos nove meses até pessoas com até 59 anos contra a febre amarela. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, explica a importância de realizar essa ação, que teve início nessa segunda-feira (16) e vai até o dia 27 deste mês.

 

“Todo o Mercosul está fazendo um esforço para aumentar, para colocar os índices de vacinação em bons índices. E é normal que o Brasil chame as cidades de fronteira. Todas essas cidades estão fazendo acordos binacionais, nós estamos mandando vacinas, dimensionando os casos mais complexos e entrando com vacinação”.

 

Para garantir a saúde do povo brasileiro e impedir que essas doenças entrem no país, o Governo Federal enviou 37 mil doses extras da vacina tríplice viral (sarampo) e 4 mil doses de vacina contra a febre amarela para as regiões foco da campanha.