Menu

"Velha Previdência", afirma Paulo Guedes ao criticar mudanças feitas por relator na Câmara

Substitutivo do relator, deputado Samuel Moreira, manteve diretrizes do texto original, mas eliminou itens considerados polêmicos e criou uma nova regra de transição

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou nesta sexta-feira (14) as mudanças propostas no parecer do relator da Comissão Especial da Câmara. Ao sair de um encontro com diplomatas italianos, no Rio de Janeiro, Guedes afirmou que o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) quer abortar as regras de aposentadoria apresentadas pelo governo federal.

“Para nós, para o governo Bolsonaro, está resolvido. Já levantou os R$ 860 bilhões, está tudo resolvido. Agora, daqui a 5, 6 anos, tem outra reforma. Continuam com a velha Previdência. Na verdade, se sair só R$ 860 bilhões de corte que o relator acenou, o que ele está dizendo é o seguinte: abortamos a nova Previdência e gostamos mesmo e da velha Previdência e cedemos ao lobby dos servidores públicos que eram justamente os privilegiados”, disse.

O substitutivo do relator manteve diretrizes do texto original do Executivo, como a idade mínima para a aposentadoria dos trabalhadores dos setores público e privado, mas eliminou itens considerados polêmicos e criou uma nova regra de transição.
 

Cintia Moreira

Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Cadastre-se

O ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou nesta sexta-feira (14) as mudanças propostas no parecer do relator da Comissão Especial da Câmara. Ao sair de um encontro com diplomatas italianos, no Rio de Janeiro, Guedes afirmou que o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) quer abortar as regras de aposentadoria apresentadas pelo governo federal.

“Para nós, para o governo Bolsonaro, está resolvido. Já levantou os R$ 860 bilhões, está tudo resolvido. Agora, daqui a 5, 6 anos, tem outra reforma. Continuam com a velha Previdência. Na verdade, se sair só R$ 860 bilhões de corte que o relator acenou, o que ele está dizendo é o seguinte: abortamos a nova Previdência e gostamos mesmo e da velha Previdência e cedemos ao lobby dos servidores públicos que eram justamente os privilegiados.”

O substitutivo do relator manteve diretrizes do texto original do Executivo, como a idade mínima para a aposentadoria dos trabalhadores dos setores público e privado, mas eliminou itens considerados polêmicos e criou uma nova regra de transição.

Reportagem, Cintia Moreira