Menu

Vereador de Araruama (RJ) é assassinado

Ciraldo Fernandes (DEM) foi morto com sete tiros

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Reprodução

Um vereador da cidade de Araruama, na Região dos Lagos no Rio de Janeiro, foi assassinado com sete tiros na noite deste domingo (8). Ciraldo Fernandes da Silva tinha 57 anos e era parlamentar do Democratas. Ele estava no quarto mandato e na última eleição havia sido o terceiro político com mais votos na cidade.
Informações preliminares apontam que Ciraldo estava saindo de um bingo por volta das 19h25 quando dois homens armados, numa moto, passaram e dispararam contra o político, que morreu na hora.

A Polícia Civil da cidade investiga se o assassinato tem ligação com o tráfico de drogas da região. Uma das linhas de investigação aponta que o vereador teria se recusado a pagar propina para os criminosos, que em represália, mataram Ciraldo. O parlamentar era dono de uma loja de construção. A suspeita é de que a propina cobrada era por conta da loja.

A prefeitura de Araruama decretou luto de três dias. Em nota, o partido de Ciraldo, o Dem, desejou força à família.

Raphael Costa

O repórter Raphael Costa formou-se em 2015 no Centro Universitário de Brasília (CEUB), mas deu início à sua carreira anteriormente. Originalmente paulista, começou em um programa de Rádio e TV local, até se mudar para Brasília. Com cerca de três anos de casa, é a voz que noticia esportes, agricultura e economia.


Cadastre-se

Um vereador da cidade de Araruama, na Região dos Lagos no Rio de Janeiro, foi assassinado com sete tiros na noite deste domingo (8). Ciraldo Fernandes da Silva tinha 57 anos e era parlamentar do Democratas. Ele estava no quarto mandato e na última eleição havia sido o terceiro político com mais votos na cidade.
Informações preliminares apontam que Ciraldo estava saindo de um bingo por volta das 19h25 quando dois homens armados, numa moto, passaram e dispararam contra o político, que morreu na hora.

A Polícia Civil da cidade investiga se o assassinato tem ligação com o tráfico de drogas da região. Uma das linhas de investigação aponta que o vereador teria se recusado a pagar propina para os criminosos, que em represália, mataram Ciraldo. O parlamentar era dono de uma loja de construção. A suspeita é de que a propina cobrada era por conta da loja.

A prefeitura de Araruama decretou luto de três dias. Em nota, o partido de Ciraldo, o Dem, desejou força à família.

Reportagem, Raphael Costa