Menu

VOLTA ÀS AULAS: Oportunidade para reforçar vacinas

Pais e professores devem aproveitar o ambiente escolar para conhecer mais a respeito da proteção oferecida pelas vacinas.

  • Repórter Aline do Valle
  • Data de publicação: 15 de Fevereiro de 2019, 15:18h
Banners
Fonte: Ministério da Saúde

Chegou o período em que crianças e adolescentes voltam às salas de aulas. E é justamente nesse ambiente que eles têm a oportunidade de conhecer mais a respeito da proteção oferecida pelas vacinas e estimular o diálogo entre pais, professores e alunos. De acordo com a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, este é o momento de colocar as vacinas em dia. 

“É importante aproveitar o momento do início das aulas para atualizar a caderneta de vacinação do adolescente, da criança, e garantir assim a proteção contra essas doenças que realmente podem trazer sequelas irreversíveis ao longo da vida. E nós podemos ter uma geração livre dessas doenças se nós mantivermos elevadas coberturas vacinais tanto para as meninas quanto para os meninos”. 

Todas as vacinas são de grande valor. Mas vale ressaltar que meninas entre 9 a 14 anos e meninos entre 11 e 14 anos precisam ser vacinados contra o HPV. A coordenadora do Programa de Imunizações fala da ampla proteção oferecida pela vacina. 

“A vacina do HPV vai proteger contra o câncer de colo de útero para as meninas, câncer de pênis e de ânus para os meninos e ainda contra as verrugas genitais. Inclusive câncer de cabeça e pescoço para ambos os sexos”. 

Vale reforçar que são necessárias duas doses para completar o esquema vacinal contra o HPV. No Brasil, são estimados 16 mil casos de câncer de colo do útero por ano e cinco mil óbitos de mulheres devido à doença. E mais de 90% dos casos de câncer anal e 63% dos cânceres de pênis são atribuíveis à infecção pelo HPV. Para saber mais, acesse saude.gov.br/hpv

Reportagem, Aline do Valle.


Comente...

Cadastre-se

Chegou o período em que crianças e adolescentes voltam às salas de aulas. E é justamente nesse ambiente que eles têm a oportunidade de conhecer mais a respeito da proteção oferecida pelas vacinas e estimular o diálogo entre pais, professores e alunos. De acordo com a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, este é o momento de colocar as vacinas em dia. 

“É importante aproveitar o momento do início das aulas para atualizar a caderneta de vacinação do adolescente, da criança, e garantir assim a proteção contra essas doenças que realmente podem trazer sequelas irreversíveis ao longo da vida. E nós podemos ter uma geração livre dessas doenças se nós mantivermos elevadas coberturas vacinais tanto para as meninas quanto para os meninos”. 
 

Todas as vacinas são de grande valor. Mas vale ressaltar que meninas entre 9 a 14 anos e meninos entre 11 e 14 anos precisam ser vacinados contra o HPV. A coordenadora do Programa de Imunizações fala da ampla proteção oferecida pela vacina. 

“A vacina do HPV vai proteger contra o câncer de colo de útero para as meninas, câncer de pênis e de ânus para os meninos e ainda contra as verrugas genitais. Inclusive câncer de cabeça e pescoço para ambos os sexos”. 

Vale reforçar que são necessárias duas doses para completar o esquema vacinal contra o HPV. No Brasil, são estimados 16 mil casos de câncer de colo do útero por ano e cinco mil óbitos de mulheres devido à doença. E mais de 90% dos casos de câncer anal e 63% dos cânceres de pênis são atribuíveis à infecção pelo HPV. Para saber mais, acesse saude.gov.br/hpv