Menu

Zico e hegemonia continental: como o Japão chega à sexta Copa do Mundo seguida

Ídolo do Flamengo fez com que país entrasse na rota do futebol e se tornasse a melhor seleção asiática nos últimos anos

Banners

Todos sabemos que o Zico é o maior ídolo da grande maioria dos flamenguistas. Idolatrado pelos rubro-negros, o Galinho também é venerado por outra nação. O eterno camisa 10 da Gávea foi o grande responsável pelo crescimento do futebol e pela profissionalização da modalidade no país asiático, tanto como jogador como treinador.

MAIS: Acesse a versão desta matéria para blogs e sites

A evolução do futebol japonês está diretamente ligada a Zico. O jogador, que estava aposentado desde 1989, voltou aos campos em 1991, no Japão. Por lá seguiu até 1994, quando optou por encerrar a carreira por falta de condições físicas. Após fazer história dentro das quatro linhas, Zico também colocou seu nome na história fora dos campos.Seleção japonesa chega para sua sexta participação em CopasO ídolo rubro-negro assumiu o comando da seleção em junho de 2002, permanecendo até a Copa de 2006. Nesse período, disputou duas Copas das Confederações e se sagrou campeão da Copa da Ásia, tornando a terra do sol do nascente hegemônica no continente.

Em 2018, na Rússia, o Japão irá participar da sua sexta Copa, todas em sequência. A Copa do Mundo de 1998, na França, marcou a primeira participação dos japoneses em Mundiais. As melhores participações dos samurais vieram nas edições de 2002, quando o país asiático sediou a Copa juntamente com a Coreia do Sul, e em 2010, na África do Sul. Nessas edições, os japoneses alcançaram as oitavas de final. Nos outros Mundiais que participou, o Japão foi eliminado ainda na fase de grupos.

Para se classificar para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, os japoneses ficaram com a primeira colocação no grupo B durante a fase final das Eliminatórias Asiáticas. Na fase anterior, também lideraram sua chave.

A seleção do Japão está no Grupo H da Copa do Mundo de 2018. Os adversários da primeira fase serão Polônia, Senegal e Colômbia. A chave é considerada uma das mais equilibradas.

O destaque dentro de campo é o meia Honda, de 31 anos. Apesar de não ter sido convocado com frequência, o experiente atleta do Pachuca, do México, disputará sua terceira Copa do Mundo.

A estreia japonesa no Mundial será no dia 19 de junho, contra a Colômbia, às nove da manhã, horário de Brasília.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes

Agência do Rádio



Conteúdos relacionados

Cadastre-se